A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
25 pág.
Memorial descritivo - Sistema de coleta de Esgoto

Pré-visualização | Página 1 de 7

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL 
CAMPUS CERRO LARGO 
DISCIPLINA DE SISTEMAS DE ÁGUAS E ESGOTO 
PROFESSORA JULIANA MARQUES SCHÖNTAG 
 
 
 
 
 
 
PROJETO DE SISTEMA DE COLETA DE ESGOTO DE UM LOTEAMENTO DA 
CIDADE DE SILVA TOWN 
 
 
 
 
 
 
GABRIEL DO AMARAL MINUSSI 
JÚLIA TAUBE 
LUCAS BOHNENBERGER 
TIMÓTEO DA SILVA 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
CERRO LARGO 
2021 
 
 
MEMORIAL DESCRITIVO 
1. GENERALIDADES 
O projeto tem por objetivo a implementação de uma rede de coleta de esgoto de um 
loteamento localizado na cidade de Silva Town. O loteamento é composto por 8 lotes 
comerciais, 1116 lotes residenciais, 1 lote escolar e 1 lote de centro de saúde. O projeto 
urbanístico leva em consideração a população inicial de 4.464 habitantes nos loteamentos 
residenciais, com ocupação de 4 habitantes por cada um dos lotes, bem como os lotes 8 lotes 
comerciais, 1 lote escolar com ocupação de 85 alunos e 1 lote de centro de saúde com ocupação 
de 15 leitos. Na situação final do projeto os loteamentos residenciais terão uma população 
estimada de 8.928 habitantes, esse projeto visa atender esse loteamento durante 50 anos a coleta 
de esgoto dessa população. 
Está previsto para a execução do projeto de uma rede de captação de esgoto com adução 
parcial por gravidade e outra parcela conduzida por uma estação elevatória. De modo, que a 
estação elevatória irá conduzir o efluente do último poço de visita à estação de tratamento de 
efluente (ETE). Nesta contextualização realizará o correto tratamento do efluente, que 
posteriormente será lançado em um corpo hídrico, dentro dos parâmetros estabelecidos pela 
legislação. 
 
2. SITUAÇÃO 
O loteamento o qual será traçada a rede de coleta de esgoto faz parte da bacia 1, que 
tratará o esgoto dessa área abrangida. Trata-se de uma área ondulada, na qual a cota máxima é 
de 55 metros e a cota mínima é de 50 metros. Sendo que o desnível dos pontos de cota máxima 
e cota mínima é de 5 metros. Na planta baixa mostra-se a situação da área em apreço, no 
contexto da cidade. O terreno permite o escoamento parcial por gravidade e direciona o efluente 
ao Poço de Visita 29 (PV29). Posteriormente, será necessária uma estação elevatória que 
conduzirá o efluente do PV29 à ETE. 
 
3. DESCRIÇÃO DO SISTEMA PROPOSTO 
Dadas as condições geotécnicas do subsolo do bairro em questão, definiu-se um sistema 
de esgotamento sanitário formado por fossa séptica domiciliar e rede coletora por sistema 
convencional do tipo perpendicular onde se tentou ao máximo utilizar o aproveitamento por 
gravidade. No caso onde não foi possível usar o aproveitamento por gravidade, foi utilizado 
uma estação elevatória que conduziu o efluente para o tratamento na ETE para posteriormente 
 
 
ser despejado em um corpo hídrico. Vale ressaltar que a implementação das fossas é a cargo 
dos proprietários dos lotes, cabendo a companhia de saneamento a ligação da fossa até a rede. 
 
4. PROJETO DE REDE COLETORA 
A rede coletora foi traçada de forma a atender todos os loteamentos, onde foram 
estimadas vazões de início e final de planos, a qual estão discriminadas no ANEXO I. 
Conforme a ABNT NBR 9.649:1986 que trata sobre o projeto de redes coletoras de esgoto 
sanitário, utilizou-se como base para o dimensionamento, conforme a norma, a razão altura de 
lâmina de água pelo diâmetro de y/D ≤ 0,75. Visando assim, atender a vazão inicial e final do 
projeto. Bem como permitir o escoamento por gravidade dentro da tubulação. 
Ainda conforme a ABNT NBR 9.649:1986 utilizou-se a velocidade máxima de 5 m⋅s-1 
para fins de assegurar a integridade das superfícies internas da tubulação, devido ao fato de ter 
sólidos presentes no esgoto. Desta forma, a tensão trativa mínima adotada foi de 1,0 Pa, a qual 
foi verificada para a vazão mínima adotada para a tubulação. 
A respeito da profundidade das canalizações a ABNT NBR 9.649:1986 estabelece que 
a profundidade mínima adotada é de 0,9 metros, onde a tubulação será instalada ao centro da 
via. A profundidade máxima estabelecida pela norma é de 4 metros, porém, para fins práticos 
foi adotado uma profundidade máxima de 5 metros. 
Na PRANCHA 01, está a planta baixa da rede de distribuição, objetivando a 
representação da distribuição e acessórios no terreno. 
 
4.1 DADOS BÁSICO PARA O DIMENSIONAMENTO 
Para o dimensionamento da rede coletora de esgoto, foram admitidos os seguintes 
elementos básicos: 
• Consumo médio per capita: qi = 80 𝐿 ⋅ ℎ𝑎𝑏−1 ⋅ 𝑑𝑖𝑎−1; qf = 120𝐿 ⋅ ℎ𝑎𝑏−1 ⋅ 𝑑𝑖𝑎−1 
• Taxa de ocupação: dhi = 4 ℎ𝑎𝑏 ⋅ 𝑙𝑜𝑡𝑒−1; dhf = 8 ℎ𝑎𝑏 ⋅ 𝑙𝑜𝑡𝑒−1 
• População inicial de plano: Pi = 4.464 ℎ𝑎𝑏 
• População final de plano: Pf = 8.928 ℎ𝑎𝑏 
• Coeficiente do dia de maior consumo: K1 = 1,2 
• Coeficiente da hora de maior consumo: K2 = 1,5 
• Coeficiente de hora de menor consumo: K3 = 0,5 
• Coeficiente de retorno: C = 0,80 
• Coeficiente de rugosidade da tubulação: η = 0,013 
 
 
• Taxa de infiltração: qinf = 0,5𝐿 ⋅ 𝑠−1 ⋅ 𝑘𝑚−1 
• Ocupação da escola 
• Numero de estudante: ne = 85 alunos – Inalterado com o tempo 
• Consumo por aluno: qe = 50 𝐿 ⋅ 𝑑𝑖𝑎−1– Inalterada com o tempo 
• Centro de Saúde: 
 • Número de leitos: nls = 15 leitos – Inalterado com o tempo 
 • Consumo por leito: qls = 150 𝐿 ⋅ 𝑑𝑖𝑎−1– Inalterada com o tempo 
• Consumo unitário por lote comercial: - Inalterada com o tempo 
• Número de lotes comerciais: nc = 8 lotes – Inalterado com o tempo 
 • Consumo por leito: qc = 30 𝐿 ⋅ 𝑑𝑖𝑎−1 – Inalterada com o tempo 
 
4.1.2 Dados Básicos para o dimensionamento da estação elevatória e poço de 
sucção 
• Vazão inicial da bomba (adotada): Qi,bomba= 12 𝐿 ⋅ 𝑠−1 
• Vazão final da bomba (adotada): Qf,bomba = 25𝐿 ⋅ 𝑠−1 
• Tempo Mínimo do Ciclo de Funcionamento: TMCF= 10 min 
• Altura mínima útil do poço de sucção: HU= 0,6 m 
• Largura do poço de sucção: LP=3,10 m 
• Coeficiente de Hazen-Williams para PVC DEFºF: C=150 
• Comprimento tubulação de sucção: Ls = 17,3 m 
• Comprimento tubulação de recalque: Lr = 34,6 m 
• Valor aproximado para perdas localizadas paras curvas de 90°: K= 0,4 
• Valor aproximado para perdas localizadas paras curvas de 45°: K= 0,2 
• Valor aproximado para perdas localizadas paras entradas: K = 0,5 
• Valor aproximado para perdas localizadas paras saídas: K = 1 
• Gravidade: g = 9,81 m⋅ 𝑠−2 
• Peso específico da água a 15 °C: γ=1000 (kgf⋅m-3) 
• Rendimento bomba: ηb=65% 
• Rendimento motor: ηm=90% 
 
4.2 TRAÇADO DA REDE 
O traçado da rede coletora teve como objetivo principal propiciar a coleta e transporte 
por gravidade através das condições topográficas do terreno do loteamento, no trecho onde não 
 
 
foi possível propiciar o escoamento por gravidade, foi dimensionada uma estação elevatória 
para conduzir o efluente para a ETE. 
Está apresentado na PRANCHA 01, a qual contém as curvas de nível em metros, 
numeração dos PV/TL/TIL, comprimento dos trechos e diâmetros correspondentes. 
Em função das condições topográficas do loteamento bem como das características 
urbanísticas, a rede coletora foi estabelecida nas vias de tráfego e o tipo de traçado utilizado 
foi do tipo perpendicular. 
 
4.3 TUBULAÇÕES 
A rede projetada será executada em tubulações de concreto com seção circular, com 
diâmetro mínimo de 100𝑚𝑚, em conformidade com as diretrizes. O recobrimento mínimo 
previsto para os coletores situados no leito das ruas é de 0,90𝑚, conforme especifica a ABNT 
NBR 9.649:1986. 
 
4.4 INSPEÇÕES TUBULARES 
Nas cabeceiras dos coletores de esgoto serão instalados terminais de limpeza (TL). 
Esses dispositivos substituem os TIL e PV, com grande vantagem sob o ponto de vista 
econômico. 
 
4.5 POÇOS DE VISITA E TERMINAIS DE INSPEÇÃO E LIMPEZA 
Os poços de visitas foram previstos para situações onde se necessitou uma angulatura 
específica e estação elevatória. Já os terminais de inspeção e limpeza (TIL) foram dispostos de 
maneira a permitir a manutenção

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.