A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Farmacobotânica

Pré-visualização | Página 1 de 1

Farmacobotânica 
 
Estudo Farmacobotânico? Por que? 
- Construção de conhecimentos morfológicos 
e anatômicos dos vegetais e desenvolvimento 
do controle de qualidade da matéria-prima 
vegetal; 
- Organização e identificação botânica; 
- Especificações físicas e químicas ligadas às 
famílias botânicas; 
- Estruturas morfológicas de plantas. 
Coleta, herborização e catalogação 
• Nome científico 
 • Família botânica 
 • Nome popular 
• Local e data de coleta 
• Nome do coletor 
 • Número de coleta 
 
 
 
 
 
 
 
 
Identificação de espécies 
• Planta recentemente coletada ou excicata; 
• Aconselhável presença de flores e/ou 
frutos; 
• Comparação com material já determinado 
e revisão bibliográfica. 
Classificação 
• Sistemática filogenética: 
- Sistema de classificação que propõe 
relações parentais e ancestrais entre os 
grupos vegetais, possibilitando delinear sua 
história evolutiva. 
• Taxonomia vegetal: 
Taxis = ordem, arranjo Nomos = lei, norma 
- É a ciência que elabora as leis da 
classificação.  Estudo que determina o 
táxon que descreve a planta, atribuindo o 
nome, a identificação e a classificação a ela. 
 
 
 
 
 
Conceito de espécie 
• Grupos de populações que têm 
semelhanças relativamente grandes entre si, 
diferindo de outras populações menos 
semelhantes. 
- Cada ESPÉCIE é classificada como membro 
de um GÊNERO, cada gênero pertence a 
uma FAMÍLIA, as famílias estão subordinadas 
a uma ORDEM, cada ordem em uma CLASSE, 
cada classe a uma DIVISÃO. 
 
Nomenclatura botânica 
• As definições dos nomes das plantas são 
estabelecidas pelo Código de Nomenclatura 
Botânica (CNB); 
• As plantas são cientificamente designadas 
por um conjunto de duas palavras latinas, 
correspondentes ao nome genérico e ao 
epíteto específico. 
• O primeiro indica o gênero a que pertence 
e a segunda permite designar espécies 
diferentes dentro do mesmo gênero. 
Gênero e Espécie 
• Passiflora edulis ; 
• Passiflora incarnata; 
Os nomes de gêneros e espécies são escritos 
em ITÁLICO ou SUBLINHADO quando 
escritos à mão. 
 
• Todos os nomes científicos das espécies 
devem trazer o seu autor, quando escritos 
pela primeira vez num texto. Ex.: Mangifera 
indica L; 
• Quando conhecemos o gênero, mas não 
sabemos afirmar com certeza qual é a 
espécie, indicamos o nome do gênero 
seguido de “sp.”, para indicar, Ex.: Vernonia 
sp. 
• Os nomes populares, quando usados, 
podem causar o emprego de uma espécie 
não autêntica, do ponto de vista medicinal. 
• Espécies diferentes podem ter o mesmo 
nome vulgar, assim como a mesma espécie 
pode ter mais de um nome. Ex.: Melissa 
officinalis L. (nomes vulgares: melissa, 
cidreira, erva cidreira, capim cidreira). 
Cymbopogon citratus (DC.) Stapf. (capim 
cidreira, erva cidreira, capim cheiroso)