A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
PATRIMÔNIO E BEM DE FAMÍLIA

Pré-visualização | Página 1 de 2

Patrimôni� � Ben� d� famíli�
O qu� � patrimôni� jurídic�?
É uma universalidade de direito que
abrange o complexo de relações
jurídicas (direitos e obrigações) dotadas
de valor econômico pertencentes a uma
pessoa.
PATRIMÔNIO BRUTO
Engloba os ativos e passivos
X
PATRIMÔNIO LÍQUIDO
Patrimônio restante após serem
descontados os passivos
E ap� � mort�?
Com a morte do de cujus o patrimônio é
automaticamente transmitido para os
sucessores, sendo aberta a sucessão.
!! O patrimônio do devedor responde
por suas dívidas, como forma de
garantia aos credores!!
Apesar de responder pelas dívidas, é
defendida a existência de um
patrimônio mínimo de forma a garantir
a dignidade (constitucionalização do
Direito Civil e função social), através
dos seguintes dispositivos:
↠ Vedação da doação universal (doação
de todos os bens que compõe o
patrimônio sem reservar para a
subsistência)
↠ Proteção ao bem de família
↠ Impenhorabilidade de determinados
bens (Art 833 e 834 CPC)
O qu� � be� d� famíli�?
Núcleo familiar que deve ser protegido
por ser um patrimônio mínimo
necessário para viver com dignidade,
gozando de impenhorabilidade (mesmo
que o proprietário possua dívidas, não
poderá perder esse bem para quitar o
débito)
Be� convenciona�/voluntári�
Código Civil (1711 - 1722)
O QUE É?
↠ Consiste no imóvel urbano/rural com
suas pertenças e acessórios, que deve
obrigatoriamente ser o domicílio da
família, e pode abranger os valores
mobiliários (dívidas/ investimentos
regulados pela CVM) cuja renda será
aplicada na conservação do imóvel ou
na subsistência da família.
QUEM PODE INSTITUIR?
↠ Entidade familiar/cônjuges mediante
escritura pública ou testamento
↠ Por terceiros mediante testamento ou
doação e expressa aceitação por ambos
os cônjuges/entidade familiar
!! Deve ser registrado no Cartório de
Registro de Imóveis !!
LIMITAÇÕES
↠ Os valores mobiliários não podem
exceder o valor do imóvel.
↠ O valor do bem de família não pode
ultrapassar 1/3 do patrimônio líquido
da entidade familiar ao tempo da
instituição
SOBRE A PROTEÇÃO
↠ Fica relativamente inalienável,
podendo ser alienado somente com
consentimento dos interessados ouvido
o MP
↠ O bem se torna impenhorável, estando
protegido contra execuções por dívidas
posteriores à sua instituição.
↠ Pode ser penhorado apenas por
dívidas anteriores e por tributos
relativos ao próprio imóvel ou despesas
de condomínio
↠ Depois de penhorado e pago aos
credores, o saldo será aplicado em
outro prédio (instituído como bem de
família) ou em títulos da dívida pública
para sustento familiar, salvo se motivos
relevantes aconselharem outra solução,
a critério do juiz.
EXTINÇÃO
↠ Entidades familiares sem filhos: a
proteção se extingue com a morte de
ambos os cônjuges ou com a morte de
um dos cônjuges se o sobrevivente pedir
a extinção (desde que seja o único bem
do casal)
↠ Entidades com filhos: a proteção se
extingue após a morte de ambos os
cônjuges e a maioridade dos filhos
⤳ Se um dos filhos estiver sujeito à curatela
(incapaz/interditado) a proteção não se
extingue
⤳ Pais falecidos = administração do bem
cabe ao filho mais velho (se menor de idade
ao tutor)
↠ Comprovada a impossibilidade de
manutenção do bem: a pedido dos
interessados o juiz pode extinguir a
proteção ou sub-rogar (substituir) os
bens que o constituem por outro, depois
de ouvir o instituidor e o MP.
A DISSOLUÇÃO DA SOCIEDADE
CONJUGAL NÃO EXTINGUE O BEM DE
FAMÍLIA CONVENCIONAL
Be� d� famíli� lega�/obrigatóri�
Lei 8009/90
O QUE É?
↠ É o imóvel residencial próprio, do
casal ou entidade familiar. Engloba as
construções, plantações, benfeitorias e
equipamentos, desde que quitados. Se a
vaga de garagem possuir matrícula
autônoma não faz parte.
!! JURISPRUDÊNCIA: Não precisa ser
necessariamente uma família, basta ser
humano. O imóvel alugado para terceiro
também pode ser considerado bem de
família se a renda proveniente for
responsável pelo sustento da família !!
QUEM PODE INSTITUIR?
É estabelecido por lei, sendo uma norma
de ordem pública, por isso, o titular do
bem não pode renunciar à proteção e o
juiz pode determinar de ofício.
!! Basta comprovar que o imóvel é para
fim de moradia, não precisa de escritura
ou registro !!
SOBRE A PROTEÇÃO
↠ Se torna impenhorável, oponível em
qualquer processo de execução civil,
fiscal, previdenciária, trabalhista ou de
qualquer outra natureza
↠ A alegação da impenhorabilidade não
sofre preclusão, podendo ser feita a
qualquer tempo e grau de jurisdição,
ATÉ a arrematação do bem (por simples
petição)
↠ É alienável e disponível se essa for a
vontade do titular, mas se for dado em
garantia de alienação fiduciária não se
pode alegar impenhorabilidade de bem
de família
↠ A lei 8009/90 quando entrou em vigor
se aplicou aos processos em andamento
e em penhoras realizadas antes de sua
vigência
↠ São protegidos também os móveis (1
de cada espécie e se quitados),
vestuários e objetos de uso pessoal
(salvo os de valor
elevado/desnecessários), além de bens
móveis úteis ao exercício da profissão
(livros, ferramentas…) e materiais
necessários para obras em andamentos
(salvo se forem penhoradas).
↠ São impenhoráveis nesse sentido:
↪ Imóvel comercial cuja renda seja
utilizada unicamente para pagar aluguel do
imóvel residencial
↪ Único imóvel do devedor cedido a
familiares e o devedor não reside no imóvel
(incluindo casos de usufruto vitalício da
mãe)
↪ Valor guardado para pagar
financiamento de imóvel próprio
↪ Terreno baldio se verificado que a
entidade não habitava o local por
circunstâncias alheias a sua vontade
↪ Pequena propriedade rural (1 a 4
módulos) trabalhada pela família (mesmo
que não sirva de moradia e que a dívida
contraída não seja oriunda da atividade
produtiva)
!! É dever do executado provar que se
enquadra como pequena propriedade rural
e é dever do exequente (credor) provar que
a propriedade não é trabalhada pela
família !!
↠ Se vários imóveis forem utilizados
como residência, é impenhorável
somente o de menor valor (salvo se
outro estiver já estiver registrado como
bem de família convencional)
!! O SIMPLES FATO DE O IMÓVEL SER DE
LUXO/ELEVADO VALOR NÃO IMPEDE A
PROTEÇÃO!!
SE O IMÓVEL DE RESIDÊNCIA DO
SÓCIO ESTIVER EM NOME DA EMPRESA
ELE AINDA É IMPENHORÁVEL!!
EXCEÇÕES DA IMPENHORABILIDADE
↠ A impenhorabilidade não se expande a
veículos, obras de artes e adornos
suntuosos.
↠ Não será oponível em casos de:
↪ Cobrança de crédito decorrente de
financiamento destinado à
construção/aquisição do imóvelh
◈ Se o proprietário firmar contrato
de compra e venda e depois de receber
parte do preço se recusa a adimplir as
obrigações e não possui outro bem
◈ Se o proprietário não pagar as
dívidas do contrato de empreitada
para construção/reforma do imóvel
residencial. Ex: contrata empresa para
reformar e não paga ela (NÃO é
possível a penhora para pagamento
de compra de materiais de
construção)
↪ Cobrança de pensão alimentícia
◈Resguardando os direitos do outro
cônjuge
↪ Cobranças propter rem
◈ Impostos, taxas e contribuições do
próprio imóvel
↪ Execução de hipoteca
◈ imóvel oferecido como garantia em
favor do interesse da própria entidade
familiar Ex: pagar a faculdade do filho
(se for garantia em empréstimo de
terceiros ainda é impenhorável)
◈ Não pode-se usar o fato de que a
hipoteca não foi registrada em
Cartório de Registro de Imóveis como
justificativa, ele será penhorado da
mesma forma
◈ Bem de família dado em garantia
de dívida de empresa/pessoa jurídica
só pode ser penhorado se os únicos
sócios forem os titulares do bem
(ambos os cônjuges). Se somente um
dos cônjuges é sócio de pessoa
jurídica o bem se mantém
impenhorável (a não ser que o credor
prove que o proveito foi revertido à
entidade familiar)
↪ Execução de sentença penal
condenatória
◈ Casos de condenação à
indenização ou perdimento de bem
↪ Imóvel adquirido como produto de
crime
↪ Obrigação decorrente da fiança de
contrato de locação residencial
◈ Se nomeado fiador, o titular pode
responder com seu bem de família,
quando não for cumprida a obrigação
de contrato de locação RESIDENCIAL

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.