A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
DIREITO CONSTITUCIONAL

Pré-visualização | Página 1 de 1

DIREITO CONSTITUCIONAL
CONCEITOS (SENTIDOS) DA CF.
SENTIDO PENSADOR
Sociológico 	Ferdinad Lassale 
Para esse sentido a CF só é legítima se representar a vontade do povo. Esse pensador vê a CF como a soma dos fatores reais de poder na sociedade. (É a soma de pessoas que tem poder político, econômico ou religioso, o resto é mera folha de papel)
Político 	Carl Schimitt
Para ele, a validade da CF é a decisão política fundamental de um país. A validade da CF não se apoia na justiça das normas e sim na decisão política. 
OBS: Carl Schimitt diz que a constituição só dispõe de matérias de grande relevância jurídica (Ex: Direitos Fundamentais, Organização do Estado, etc. ou seja, normas materialmente constitucionais. As outras normas presentes na CF seriam somente Leis Constitucionais formalmente constitucionais) 
Jurídico 		Hans Kelsen
Desse sentido advém o Sentido Lógico Jurídico e o Sentido Jurídico Positivo (fundamento supremo).
Hans Kelsen considera que a CF está no mundo do dever ser e não no mundo do ser. (Teoria Pura do Direito – não leva em consideração outros aspectos: sociológicos, políticos, econômicos, etc.) 
O sentido jurídico é o fruto da vontade racional do homem. 
Normativo 	Konrad Hesse 
É normativo porque se impõe. Para ele, a CF é a ordem jurídica fundamental de uma comunidade com força normativa para se impor. É a força que por si só pode ser aplicada e respeitada: Neoconstitucionalismo. – Tem a preocupação de efetivar os princípios fundamentais. 
Culturalista 	J. H. Meirelles Teixeira 
Engloba todas as conceituações. É uma CF TOTAL. 
CLASSIFICAÇÕES DA CF
1. Quanto a origem: 
A) Promulgada: É a CF elaborada de forma democrática. Fruto do trabalho de uma Assembleia Constituinte – eleita diretamente pelo povo, tem ampla participação popular- 
B) Outorgada: É imposta por um regime ditatorial de forma unilateral pelo governante (sem a participação do povo)
C) Cesaristas: Também chamadas de bonapartistas, é a CF a qual a participação popular se limita à confirmação do texto constitucional não podendo modificar os ditames do texto. O soberano edita o texto e o submete a um referendo popular. – É um plebiscito popular. 
D) Pactuadas: Decorre do pacto celebrado entre o monarca e o parlamento. (Rei X Legislativo) Ex: Magna Carta do Rei João sem Terra de 1215 que criou o Habeas Corpus e o Devido Processo Legal. 
A CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 É PROMULGADA!
2. Quanto a possibilidade de alteração:
A) Rígidas: É a CF com o procedimento de alteração mais solene, mais rigoroso, do que as alterações das leis ordinárias. Aqui, as normas só podem ser alteradas se cada casa do Congresso Nacional aprovar a mudança por 3/5 dos votos em 2 turnos de discussão e votação.
As CF rígidas decorrem do principio da supremacia da CF. 
OBS: Diferente das Leis Ordinárias: 1 turno de votação e quórum de maioria simples. 
Lei Complementar: Em cada casa apenas 1x e aprovação de 50% + 1
B) Flexível: O procedimento de alteração é o mesmo das leis. Ou seja, nessa CF não há supremacia. A CF aqui é alterada da mesma forma que leis anteriores. 
C) Semirrígida ou Semiflexível: Tem dois tipos de procedimentos para modificação: um mais rigoroso para as normas da CF que tenham conteúdo (materialmente) essencial do Estado e um mais simples para as normas formalmente constitucionais, porém sem conteúdo materialmente constitucional. 
(Uma parte é flexível outra parte é rígida)
D) Imutável: Não pode haver modificação por determinado período de tempo (mas não é fixa) passado o prazo pode haver modificação. 
E) Fixa/Silenciosa/ Petrificada: É silenciado quanto a possibilidade de modificação do seu texto. 
A CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 É RÍGIDA!
3. Quanto ao conteúdo: 
A) Material: Só considera constitucional normas de conteúdo essencial do Estado. Ex: Direitos e garantias individuais, organização do Estado, etc. 
B) Formal: Não considera só o conteúdo da norma. TUDO que está na CF é norma constitucional. (Qualquer regra contida no texto é considerada constitucional) 
OBS: Normas que estão fora do texto constitucional (Tratados internacionais e de Direitos Humanos aprovados sob rito de emenda são considerados normas constitucionais)
A CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 É FORMAL!
4. Quanto a forma: 
A) Escrita: Conjunto de regras escritas, organizadas em um único documento, formalizadas em um texto.
B) Não Escrita: É a costumeira, composta por textos esparsos, baseados em usos e costumes, jurisprudência, etc. Não tem um texto único centralizado. 
A CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 É ESCRITA!
5. Quanto ao modo de elaboração:
A) Dogmática: É elaborada em um único momento a partir da reunião dos representantes da Assembleia. 
B) Histórica: Se desenvolve ao longo de vários séculos. Ex: CF da Inglaterra.
A CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 É DOGMÁTICA!
6. Quanto a extensão: 
A) Sintética: Ou negativa, é a CF sucinta, resumida, de curta extensão. Essa CF trata apenas de princípios gerais de organização do Estado. Ex: CF EUA que tem 9 arts. em sua CF. 
B) Analítica: É a CF mais ampla, dirigente, que aborda todos os assuntos.
A CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 É ANALÍTICA.
7. Quanto ao conteúdo ideológico
A) Liberal: É a que agrega direitos de 1º geração (se preocupa exclusivamente em limitar a atuação do Estado trazendo apenas prestações negativas) – 1º dimensão. 
B) Social: É a que agrega direitos de 1º e 2º geração (preserva a liberdade e efetiva direitos sociais, econômicos e culturais, além de direcionar ações governamentais)
A CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1998 É SOCIAL
8. Quanto a Ideologia
A) Ortodoxa: A que tem uma única metodologia.
B) Eclética: A que tem mais de uma ideologia.
A CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1998 É ECLÉTICA
9. Quanto ao critério ontológico: 
A)