A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Moléculas de adesão celular

Pré-visualização | Página 1 de 1

Moléculas de adesão celular
permitem o contato célula a célula, estabilizado por junções celulares especializadas 
· Moléculas dependentes de cálcio: caderinas e selectinas 
· Moléculas independentes de cálcio: superfamília das imunoglobulinas e as integrinas 
CADERINAS
são as principais moléculas de adesão e morfogênese 
são dependentes de cálcio (ativa)
estabelecem a ligação entre o citoesqueleto e a face externa de outra célula
formam dímeros (pares) de CADERINA que se unem por interação homofílica em um padrão paralelo
eliminação de cálcio rompe a adesão (afastamento de células) – permite um comportamento invasivo de células tumorais (metástase)
mais de 40 tipos:
Queratina se liga no citoesqueleto 
Homofílicas: afinidade por outra igual (conectam-se com caderinas iguais)
CATENINAS
as caderinas se associam às actinas através de proteínas intermediarias (complexo das cateninas)
relacionados diretamente aos filamentos de actina
interagem com moléculas reguladoras do citoesqueleto de actina
controlam a adesão do domínio extracelular das caderinas 
essencial a morfogênese, mudanças no formato celular e estabelecimento da polaridade
SELECTINAS 
se ligam a carboidratos – grupo das lectinas
afinidade específica: domínio de reconhecimento de oligossacarídeos (glicolipídio e glicoproteína)
afinidade à proteína (glicoproteína) ou lipídeo (glicolipídio)
participam da movimentação de leucócitos 
proteína transmembrana 
MOLÉCULAS CAMs
quatro famílias principais de CAMs: caderinas, superfamília das imunoglobulinas (Ig), integrinas e selectinas
interações mediadas por CAMs:
1. adesão homotípica (entre o mesmo tipo de célula)
2. adesão heterotípica (entre células de diferentes tipos)
3. ligação homofílica (mesmo tipo de CAM)
4. ligação heterofílica (diferentes classes de CAMs)
Imunoglobulinas podem fazer todas 
CAMs podem estar amplamente distribuídas nas membranas plasmáticas ou agrupadas em regiões especificas chamadas junções celulares 
INTEGRINAS
interação entre citoesqueleto e matriz extracelular (manter a estabilidade)
subunidade alfa e beta – heterodímeros (diferenças na composição)
ligados a actina por proteínas de ligação (dentro da célula – citoesqueleto)
· Talina
· Vinculina
· Actinina alfa
ligação com laminina e fibronectina (SFA)
ligação célula-célula (subunidade beta2)
ancorar o tecido epitelial no tecido conjuntivo
relação entre integrinas e selectinas: migração celular a locais específicos durante a embriogênese e podem ser rompidas – motilidade celular (movimentação)
intermediam interações células a células
fase de extravasamento de linfócitos (integração selectinas e integrina) 
DESINTEGRINAS
interrompe a ligação reversível da integrina
domínio desintegrinas se liga às integrinas por competição e impede a ligação da célula com a matriz extracelular 
domínio metaloprotease degrada os componentes da matriz e permite migração celular 
Junções celulares 
são estruturas simétricas, formadas entre duas células adjacentes (lado a lado)
fornecem maior estabilidade
movimento de solutos, íons e água
controla a via paracelular 
Via transcelular: por dentro da célula
Via paracelular: entre as células 
JUNÇÕES DE OCLUSÃO
Mais forte de todas – sem espaço entre células 
Mais apical possível 
funções
· Permitem a formação de uma camada aderente continua – células se comunicam e cooperam
· Determinam a polaridade (o que fica encima não passa para baixo, não se mistura)
· Evitam difusão livre de lipídeos e proteínas entre as células 
· Barreira impedindo passagem livre de substâncias pelo epitélio (o que tiver que passar tem que ser por dentro)
· Impedir migração lateral das proteínas especializadas das membranas celulares, delineando e mantendo os domínios especializados
zônulas (cinturão)
· União: intercelular apical
· Determinam a polaridade – impede livre difusão 
· Cinturão ao redor da célula (zônula)
· Efeito selador/vedação – impede a livre passagem de substancias através de uma camada de células 
· Proteínas transmembranas
· Ocludina interage com proteínas ZO-1, ZO-2, ZO-3 e AF6
· Claudinas família de 16 proteínas envolvidas 
- Mutação claudina 16: síndrome humana da deficiência renal de magnésio 
JUNÇÕES DE ADESÃO (ancoragem)
abaixo das junções oclusivas
três tipos:
· Zônula aderente ou desmossomo em cinturão
· Mácula aderente ou desmossomo pontual 
· Hemidesmosso (base da célula) 
região apical
funções: estabilidade mecânica das células (coesão)
membranas separadas pelo espaço intercelular 
Desmossomo 
· Zônula de aderência 
· Junção em faixa 
· Associado a microfilamentos de actina
· Mediada por caderinas e cateninas
· Mácula de adesão (desmossomo pontual)
· Pequenas placas circulares (botões)
· Selamento pontual
· Associada a filamentos intermediários de citoqueratinas que se estendem de um desmossomo a outro
· Resistência e rigidez
· Presença nos discos intercalares e nas meninges da superfície externa do encéfalo e da medula espinal 
DESMOSSOMO
similar a um botão
associado a filamentos intermediários (tonofilamentos)
resistência e rigidez a um epitélio 
sobra um espaço entre as células 
zônula
Pontual 
· Hemidesmossomos
· Assimétricos
· Domínio basal
· Placa citoplasmática associados a tonofilamentos (queratina)
· Placa de membrana que une os Hemidesmossomos à lâmina de basal através de filamentos de ancoragem 
· Aumentam a estabilidade dos tecidos
JUNÇÕES COMUNICANTES (GAP)
comunicação 
responsável pelo acoplamento químico e elétrico 
formadas por seis monômeros de conexinas conéxon 
facilitam a passagem de algumas moléculas (Ca+2 e AMPc)
canais: permitem a passagem
fecham quando Ca+2 está alta, se não ficam permanentemente abertos 
importantes para a sinapse elétrica 
mutações conexinas
· 26: cóclea surdez
· 32: neuropatia de Charcot-Marie-Yooth degeneração SNP
· 50:catarata congênita 
qualquer posição das células epiteliais
qualquer tecido (exceto muscular esquelético 
CORRELAÇÕES CLÍNICAS 
· Pênfigo foliáceo e pênfigo vulgar
defeito nas desmogleínas (adesão não eficiente)
· Epidermólise bolhosa
caráter genético e hereditário
aparecimento de bolhas, especialmente nas áreas de maior atrito e nas mucosas 
defeitos nas junções que unem a epiderme e a derme ou na adesão entre células da epiderme 
MEMBRANA BASAL
formada por dois componentes 
acúmulo de fibras reticulares + complexo de proteínas e glicoproteínas 
lâmina basal
· Matriz extracelular, produzida pelo tecido epitelial, composta de moléculas de laminina com colágeno tipo IV, entactina e proteoglicanas 
Lâmina reticular: formada por fibras de colágeno, que sustenta a lâmina basal e é continua com o tecido conjuntivo