A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Neurofisiologia - Fisiologia do sistema nervoso

Pré-visualização | Página 1 de 1

• Sistema nervoso central
- Encéfalo: cérebro, cerebelo,
tronco encefálico
- Medula espinhal
• Sistema nervoso periférico
- Nervos cranianos e espinhais
- Gânglios sensitivos e viscerais
- Terminações nervosas
sensitivas (via aferente) e
motoras (via eferente)
Revestimento do SNC – tanto
encéfalo quanto medula espinhal
- Composto por 3 camadas que
o protegem
Neurofisiologia
Divisão funcional - Dura-mater  aracnoide pia-mater
- Entre aracnoide e a pia-mater
existe um espaço preenchido pelo
liquor (espaço sub-aracnoide)
- Coleta de liquor em animais é
feita na cisterna magna
• Liquor – produzido
internamente, dentro da região
cerebral, nos ventriculos laterais,
pelas células do plexo coroide
• Conforme vai sendo produzido,
o liquor é drenado por canalículos
(terceiro e quarto ventrículo),
indo pro espaço subaracnoide, ou
segue através do canal central da
medula, sendo reabsorvido
novamente
Sistema liquórico
Meninges
• Somente aeróbico – Ocorre
transporte sempre ativo, pois há
muito transporte de iônico
- Reserva para apenas 90 minutos
de hipoglicemia severa
- Consome cerca de 15% do
oxigênio
• Fluxo sanguíneo cerebral
(FSC)
- Recebe cerca de 20% do débito
cardíaco
- A quantidade mínima de FSC é
cerca de 40% do normal. Entre 40
e 30% do FSC os neurônios
começam a sofrer hipoxia e podem
ser incapazes de realizar a
transmissão de impulsos nervosos.
• Glicose :
- SN não produz sua energia,
dependendo da glicose circulante
- Os neurônios possuem apenas
pequenos reservatórios de energia;
portanto, dependem de um fluxo de
sangue normal para fornecer
oxigênio e nutrientes,
principalmente glicose.
- Possui transportadores de
membrana pra glicose (canais que
facilitam a passagem de glicose)
- GLUT 1 – Glicose do sangue 
Barreira hemato encefálica (BHE)
- GLUT 3 – Glicose do astrócito
 neurônio
Neurofisiologia
Metabolismo cerebral GLUT 1 – saído da glicose dovaso  interior de uma celular
(astrocito)
GLUT 3 – Saída da glicose do
astrocito para o neurônio
- Conseguem fazer o transporte
de glicose mesmo sem insulina
• Funções:
- Proteção
- Susentação
- Isolamento
- Nutrição
Células da glia
• Macroglia
- Oligodendrócitos: formação e
manutenção das bainhas de mielina
dos axônios no SNC
- Células de Schwann: formação e
manutenção das bainhas de mielina
no SNP
- Astrócitos: sustentação e
nutrição dos neurônios.
- Células Ependimárias: revestem
internamente os ventrículos e o
canal central da medula espinhal
• Microglia
- Secreção de citosinas
reguladoras do processo
inflamatório (informa o sistema
imunológico) e reparação do SNC
Unidade funcional que compõe o
sistema nervoso
- Um neurônio pode receber e
realizar conexões ou sinapses com
vários neurônios ou com seu
efetor.
- Constituídos por núcleo,
dendritos, soma (corpo celular),
axônio, bainha de mielina (pode
ter ou não), nódulo de ranvier,
célula de schwann, arborização
terminal (terminal do axônio)
Neurofisiologia
• Classificação
• Sensitivo: bipolar e
pseudounipolar
- Parte sensitiva (aferente):
neurônios que captam estímulos
• Motor: multipolar
- Parte motora (eferente):
mandam respostas aos estímulos
• Mielinizados: possuem a
bainha de mielina
• Amielinizados: Não possuem a
bainha de mielina
- Bainha de mielina melhora a
condução do potencial de ação pelo
axônio. A condução saltatória tem
velocidade de condução mais
rápida, menor gasto energético e
isolamento de fibras nervosas.
• Sistema nervoso central x
periférico
• SNC: corpos dos neurônios e os
axônios que permanecem dentro do
crânio e da coluna vertebral com
exceção dos gânglios
• SNP: formado somente por
axônios (motor e sensitivo)
Neurônios 
Nódulo de ranvier 
• Para ocorrer a sinapse é
necessário um potencial de ação
também denominado de impulso
nervoso
- Envolve um neurotransmissor e
uma proteína receptora
- Esses neurotransmissores
ficam armazenados na porção final
dos neurônios  são liberadas
com a entrada de cálcio no
neurônio  receptores presentes
no outro neurônio captam esses
neurotransmissores
• Principal neurotransmissor é
o Ach
• Excitatórios: abre canais de
sódio e cálcio  despolariza
• Inibitório: abre canais iônicos
de cloreto  hiperpolariza
Neurofisiologia
Neurotransmissores
- Acetilcolina: vias motoras
centrais, periféricas e SNA
parassimpático
- Dopamina: neurônios da
substância negra/ núcleos da base
(atividade motora automática)
- Serotonina: tronco encefálico /
medula espinhal (modulação da
dor) e hipotálamo (modulação do
humor e sono)
- Noradrenalina: Estado de vigília
e SNA pós ganglionar simpático
- Glutamato: Excitatório SNC e
ação em neurônios pré-sinápticos
das vias sensoriais e córtex
cerebral
- GABA: Principal
neurotransmissor inibitório SNC
Estímulo que cause a difusão de
íons sódio para o interior da
membrana e que inicie um
potencial de ação (limiar de
despolarização)
• Canal iônico catiônico
Permite a passagem de íons
positivos (Na+ e Ca+) e tem
efeito excitatório – abertura dos
canais de sódio e cálcio
• Canal iônico aniônico
Permite a passagem de íons
negativos (Cl-) e tem efeito
inibitório – abertura dos canais
de cloreto
Potencial de ação 
Sinapse
• Atua no controle visceral 
Controlam todas as atividades
do corpo, como órgãos e
glândulas, de maneira
inconsciente.
• Simpático e parassimpático
funcionam em conjunto,
simultaneamente e geralmente de
forma antagônica
• Dependendo dos estímulos do
meio ambiente, pode ser haver o
predomínio de um deles
• Simpático
- Associado á situações de
estresse
- Responsável por manter o corpo
alerta e consciente
- Via simpática: emerge da
medula espinhal a partir da coluna
torácica
- Fibra pré-ganglionar curta e
pós longa;
- Neurotransmissor pré-
ganglionar é a Ach e pós é a NA.
Receptores Alfa (1,2) e Beta
(1,2,3).
- Midríase, aumento FC, FR e
PA com inibição da função
excretora
Neurofisiologia
• Parassimpático
manutenção da atividade e
economia de energia.
- Regula as funções como a
digestão e eliminação do corpo,
bem como as que ocorrem durante
os períodos de repouso
- Via parassimpática: emerge do
tronco encefálico
- Fibra pré-ganglionar longa e
pós curta;
- Neurotransmissor pré e pós-
ganglionar é a Ach.
- Miose, FC, FR e PA, aumento
da motilidade gastrointestinal
• Voluntario X involuntário
Sempre fazem conexão em um
gânglio (conjunto de corpos de
neurônios)
- Colinergicos:
Pré ganglionares - nicotínicos
Pós ganglionares - muscarinicos
- Adrenergicos:
Pré ganglionares - alfa
Pós ganglionares - beta
Sistema nervoso autônomo
• Simpático X Parassimpatico
Receptores Colinérgicos
- Receptores para Ach
- Receptores Nicotínicos
(atividade voluntária): M.E.E.
- Receptores Muscarínicos
(atividade involuntária): M.M.
lisa; glândulas; músculo cardíaco
Receptores Adrenérgicos
- Receptores para NA
- Efeito dependem do órgão,
quantidade de receptores e da sua
afinidade
- Noradrenalina tem mais
afinidade para receptores alfa e a
adrenalina para receptores beta
Neurofisiologia
• Alfa 2: atuam principalmente
como auto receptores inibitório
pois faz feedback negativo da
transmissão simpática, tem ação
de heteroceptor inibitório pois
inibe a liberação de Ach das
vias colinérgicas, nas células do
pâncreas inibe a liberação de
insulina
• Beta 1: localizados
principalmente no coração e rim,
aumento da FC e da força de
contração (cronotrópico e
inotrópico positivo), aumento da
condutibilidade do nodo AV,
liberação de renina pelas células
justaglomerulares

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.