A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
208 pág.
livro Anatomorfofisiologia do Sistema digestório, endócrino, urinário e reprodutor

Pré-visualização | Página 3 de 44

no processo de mastigação 
e trituração do alimento são os dentes. No adulto os dentes são em número de 32, 
sendo oito incisivos, quatro caninos, oito pré-molares e 12 molares (TORTORA; 
DERRICKSON, 2016).
NOTA
Os dentes são órgãos do corpo humano de consistência dura, natureza calcária 
e cor branca. Os dentes estão localizados na boca e fixados à mandíbula.
A principal função dos dentes é realizar a mastigação dos alimentos.
Os dentes são classificados de acordo com a posição e a função. Desta 
forma, temos:
PALATO DURO (ósseo, que forma a 
maior parte do céu da boca.
PALATO MOLE (muscular, que forma 
o restante do céu da boca.
ÚVULA, que impede que o alimento 
ingerido entre na cavidade nasal. 
BOCHECHA, que forma a parede 
lateral da cavidade oral. 
CANINOS, que rasgam os alimentos.
INCISIVOS, que cortam os alimentos.
VESTÍBULO DA BOCA, o espaço 
entre as bochechas, lábios, gengivas 
e dentes.
PRÉ-MOLARES, que esmagam e 
trituram os alimentos. 
MOLARES, que trituram os alimentos. 
Lábio superior (puxado para cima).
FRÊNULO DO LÁBIO SUPERIOR, que 
insere o lábio superior à gengiva.
Gengiva.
FAUCES, que é a abertura entre a 
cavidade oral e a parte oral da faringe..
Arco palatoglosso.
Arco palatofaríngeo. 
Tonsila palatina (entre os arcos).
LÍNGUA (puxada para cima), que 
forma o assoalho da boca, manipula 
alimentos para mastigar e engolir, 
modela alimentos e sente gostos.
FRÊNULO DA LÍNGUA, que limita o 
movimento da língua posteriormente.
Abertura do ducto de glândula 
submandibular.
GENGIVA, que cobre os soquetes dos 
dentes e ajuda a ancorá-los.
FRÊNULO DO LÁBIO INFERIOR, que 
insere o lábio inferior à bochecha.
Lábio inferior (puxado para baixo). 
Vista anterior
UNIDADE 1 | SISTEMA DIGESTÓRIO
6
• Incisivos: dentes situados na parte anterior da boca e servem para cortar os 
alimentos.
• Caninos: possuem formato pontiagudo e servem para rasgar os alimentos. 
• Pré-molares e molares: possuem a função de triturar os alimentos e localizam-
se na porção posterior da boca.
 
Os seres humanos possuem, na sua primeira dentição, 20 dentes de leite, 
também chamados dentes decíduos, sendo este o primeiro conjunto de dentes que 
aparece em humanos (10 dentes na parte superior e 10 dentes na parte inferior). 
Após os 6 anos, os dentes de leite começam a cair e surge a dentição permanente. 
Esta é formada por 32 dentes (16 dentes superiores e 16 dentes inferiores). Desta 
forma, o ser humano possui quatro incisivos, dois caninos, quatro pré-molares 
e seis molares na parte superior e a mesma quantidade na cavidade inferior 
(TORTORA; DERRICKSON, 2016).
FIGURA 3 – DENTES
FONTE: Adaptado de Netter (2015)
Bom, uma vez que o alimento chegue à boca, é triturado pelos dentes e 
misturado à saliva, o mesmo passa a ser chamado bolo alimentar, e você precisa 
degluti-lo, certo? Quando se inicia este processo, uma série de eventos voluntários 
e involuntários que visam fazer com que você não se engasgue com o alimento, 
visto que tanto o processo de deglutição quanto o processo de respiração 
compartilham uma estrutura em comum: a faringe. 
Fossa incisiva
Incisivos laterais
Caninos
1º pré-molares
2º pré-molares
1º molares
2º molares
3º molares
Processo 
p a l a t i n o 
do maxilar
Lâmina horizontal 
do osso palatino
Forame palatino maior Forame palatino menor
Dentes permanentes inferioresDentes permanentes superiores
Incisivos centrais
TÓPICO 1 | ANATOMIA DO SISTEMA DIGESTÓRIO
7
Vamos ver como isso acontece:
• Fase oral (voluntária): esta fase voluntária tem como principal estrutura a língua 
que é capaz de empurrar o alimento do seu ápice para trás, levando o bolo 
alimentar a ser pressionado contra o palato duro; desta forma, o bolo alimentar 
é forçado em direção a faringe, onde ocorre a estimulação de receptores táteis 
que começarão o processo de deglutição.
• Fase faríngea (involuntária): uma vez que o bolo alimentar estimula os 
receptores faríngeos, ocorre uma sequência de eventos muito rapidamente 
(menos de um segundo), e que culminam com a inibição, de maneira refl exa, 
da respiração.
• Fase esofagiana (involuntária): por último, esta fase leva o bolo alimentar do 
esôfago ao estômago através de movimentos peristálticos, muito rapidamente, 
fazendo com que o bolo alimentar percorra todo o esôfago em menos de dez 
segundos.
Você deve estar pensando: mas o que são movimentos peristálticos? Como 
isso ocorre? Veremos no próximo tópico!
FIGURA 4 – PROCESSO DE DEGLUTIÇÃO
FONTE: Adaptado de Windmaier (2013)
Após a deglutição, o bolo alimentar chega ao esôfago. O esôfago é um 
órgão tubular oco, com aproximadamente 25cm de comprimento, que se estende 
desde a vértebra cervical de número 6 (C-6) até a junção gastroesfofágica 
localizada ao nível da vértebra torácica número 11 (T-11), cuja principal função é 
levar o alimento ao estômago.
Com relação à histologia deste órgão, temos as seguintes camadas 
celulares:
UNIDADE 1 | SISTEMA DIGESTÓRIO
8
O esôfago possui a camada mucosa (camada formada por epitélio 
de revestimento associado a tecido conjuntivo), que reveste internamente 
as cavidades corpóreas, formada por epitélio estratificado pavimentoso não 
queratinizado, lâmina própria (constituída de tecido conjuntivo frouxo) e túnica 
muscular da mucosa (formada por músculo liso).
No terço superior esofágico temos uma camada muscular esquelética, no 
terço médio deste órgão temos a presença de células musculares esqueléticas e 
lisas, já no terço inferior, temo somente a presença de células lisas.
A camada submucosa do esôfago é formada por tecido conjuntivo frouxo 
e glândulas mucosas (TORTORA; DERRICKSON, 2016).
Você pode ver estas estruturas em lâminas de histologia, acessando o link: 
http://bit.ly/32dIay8.
As figuras a seguir demonstram a estrutura do esôfago e sua localização 
anatômica que vai desde a região cervical até o abdômen:
FONTE: Adaptado de Netter (2000)
FIGURA 5 – ESTRUTURA DO ESÔFAGO
0
16
C o n s t r i ç ã o 
cricofaringea
Constrição 
da aorta
Esfíncter 
sofágico 
inferior
Parte cárdica 
do estômago
Fundo do 
estômago
Diafragma
Brônquio principal 
esquerdo
Aorta
Traquéia
Músculo 
cricofaríngeo
Cartilagem 
cricóide
Cartilagem tireóide
Recesso piriforme
Epiglote
Orofaringe
Dentes incisivos
Extenção 
média em 
centímetros
23
40
38 
DICAS
TÓPICO 1 | ANATOMIA DO SISTEMA DIGESTÓRIO
9
FIGURA 6 – ESÔFAGO
FONTE: Adaptado de Netter (2000)
Conforme demonstrado na Figura 6, o esôfago pode ser subdividido em 
esôfago cervical, torácico e abdominal, de acordo com sua localização na cavidade 
torácica/abdominal. 
Agora, o bolo alimentar, que passou pelo esôfago, deve chegar até o 
estômago, sempre impulsionado pelos movimentos peristálticos. Vamos observar 
as estruturas estomacais na Figura 7:
Nervos laríngeos recorrentes (no esôfago).
Esôfago cervical
Artéria carótida comum direita
Músculo escaleno anterior
Músculo longo do pescoço
Artéria carótida comum esquerda
Ducto torácico
Veia jugular interna (seccionada)
Veia braquiocefálica esquerda (seccionada)
Veia subclávia (seccionada)
Artéria torácica interna (seccionada)
Nervo vago esquerdo (X)
Nervo frênico esquerdo (seccionado)
Artéria subclávia esquerda
Músculo escaleno posterior
Plexo branquial
Nervo frênico direio
Artéria subclávia direita
Tronco tireocervical
Arco da aorta
Pleura costal (margem seccionada)
Nervo vago direito (X)
Nervo laríngeo recorrente esquerdo
Bifurcação da traquéia
Brônquio principal esquerdo
Esôfago torácico
Aorta torácica descendente
Esôfago abdominal
Pleura diafragmática
Pilar direito do diagragma
Estômago
Pilar esquerdo do diagragma
1ª costela (seccionada)
Tronco branquiocefálico
Traquéia
Veia ázigo
Brônquio eparterial
Brônquio principal direito
Pleura mediastinal (margem 
selecionada)
Plexo esofágico
Tronco vagal anterior
Pericárdio (margem seccionada)
Diafragma
Veia cava inferior (seccionada)
Veias hepáticas (seccionadas)
Artérias frênicas inferiores
Tronco celíaco
Aorta abdominal

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.