A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
adpatações na gestação

Pré-visualização | Página 1 de 2

Adaptações durante gestação 
 
· Sistema endócrino:
É responsável pela regulação do crescimento e funcionamento metabólico das células, reprodução e manutenção da gravidez. Há um aumento das glândulas, devido ao aumento do ritmo metabólico. Os órgãos que são responsáveis pela produção de algum tipo de hormônio, precisam neste período funcionar plenamente, evitando graves problemas. Pâncreas: suporte e manutenção da gravidez, através da produção de insulina; Tireóide e hipotálamo: regulação termal a tireoide aumenta de tamanho e o iodo materno também aumenta; 
Paratireóide: produz e ajusta níveis de cálcio na corrente sanguínea,o calcio necessário para o crescimento fetal é em parte retirado do esqueleto materno;  Ptuitária: produz o hormônio folículo estimulante (que estimula a ovulação) e controla o mecanismo de liberação da ocitocina (responsável pela estimulação da contração uterina e produção de leite; produz também a prolactina, que inicializa a estimulação da lactação);  Glândula adrenal: controla o nível de açúcar no sangue e o balanço de sal e fluídos no corpo; controla também o mecanismo de biofeedback, que regula a reação ao stress; Ovário: produz o ovo que é fertilizado. Após a ovulação, as células do corpo lúteo comportam-se como uma glândula endócrina produzindo progesterona e estrógeno. Se houver a gravidez a placenta toma essa função , os principais hormônios que atuam no corpo da mulher grávida são:  Progesterona: altera o tamanho e a função dos seios, para permitir a produção de leite, sensação de fadiga (aumento da necessidade de dormir que a gestante sente); aumenta e engrossa o útero, para dar suporte ao ovo fertilizado; aumento da temperatura basal e ritmo respiratório; 
Relaxina: é um polipeptideo que pertence a superfamilia insulina/relaxina de hormonios. É secretado pelo corpo luteo durante a gestação com um aumento inicial dos niveis sericoa ate um valor de pico por volta da 12 semana gestacional seguida por um declinio ate a 17 semana. Depois disso tornam se estaveis com valores de aproximadam,ente 50% do pico resgistrado. Attua diretamente sobre o tecido conjutivo estimulando a expressao de colagenase aumentando o teor de agua no tecido conjuntivo e ativando fibroblastos na sintese do colageno. Promove uma frouxidao ligamentar (sinfise pubica) inibe a atividade uterina;  Estrogênio: altera o tamanho e a função dos seios, para permitir a produção de leite (preparação para lactação); manutenção da gravidez; aumenta o tamanho e a espessura do útero, retenção hidrica, aumento da flexibilidade das articullações pélvicas, homeostase do cálcio. 
Glândulas mamarias: a concentração de prolactina aumenta , estimulando o aumento das mamas, a ocitocina tem efeito na liberação de leite, contraindo as células mioepiteliais. Aparecimento da rede venosa de Haller, devido a hipervascularização, resultando na dilatação venosa; Hiperpigmentação e aumento das aréolas; Hipertrofia das glândulas sebáceas das aréolas (com função de lubrificação da aréola) – Tubérculos de Montgomery; Ereção e aumento do tamanho dos mamilos, com possível presença de colostro em torno de 7 a 8 semanas.
· Sistema genital: 
Aumento do corpo uterino em 1kg no peso devido ao alongamento e engrossamento das fibras musculares; A forma do útero passa de piriforme (pera) para a forma ovoide. Amolecimento do colo (preparando-se para a dilatação no final da gravidez); Mudança na coloração do colo, vagina, vulva e períneo devido ao aumento do fluxo sanguíneo; A produção do muco cervical torna-se abundante. Ele torna-se espesso, opaco, viscoso, formando um tampão chamado de tampão mucoso, que obstrui o canal cervical, protegendo a cavidade uterina.
· Sistema musculoesqueletico: 
Postura: muda pela modificação do centro de gravidade com aumento das mamas e a expansao do utero provoca uma inclinaçao anterior da pelve e aumento da flexao dos quadris com consequente aumento da lordose os pés se distaciam aumentando a base de sustentação e a cervical se alinha para frente aumentando a fragilidade da musculatura. Diminui a capacidade de mudanças de postura na posição sentada tornando a gestante menos movel resultando em maior tempo em posturas estatistcas nessa posição. Que repercute diretamente na coluna lombar que necessita de variaçoes posturais para diminuir o acumulo de cargas compressivas nessa regiao. Há uma queda do arco plantar resultando no pé do tipo pronado. Controle postural e equilibrio: aumento da base, diminuiçao do equilibrio e aumento da oscilaçao anteroposterior (terceiro trimestre).ADM é reduzida durante o flexão anterior de tronco.Força muscular: diminuição de força nos flexores e extensores de tronco e extensores de quedril. Os abdominais tambem tem força diminuida devido ao estiramento resultante do crescimento uterino. Marcha: é anserina na gestante caracteriza por é aumento de base de suporte, rotação e obliquidade pelvicas e rotação externa do quadril.Indicam um aumento do uso dos abdutores de quadril dos extensores de quadril e dos flexores plantares dos tornozelos. O uso dessas musculaturaa é um mecanismo compensatorio e é o que contribui para a dor lombar , pelvica e de quadril, caibras musculares dolorosas na panturrilha.
· 
· Sistema urinario
Bexiga é também afetada pelos hormônios da gravidez, como a progesterona (afeta o tônus muscular, reduzindo a ação contrátil e o controle do esfíncter- predispõe a infecção urinaria) e pela presença do feto a bexiga é elevada para cima (a pressão do útero sobre a bexiga pode reduzir a capacidade de retenção). O fluxo plasmatico aumenta e a concentração de ureia e creatinina diminuem ( relacionado ao aumento da freuencia urinaria) O rim tem o seu tamanho e função alterada durante a gravidez. Ocorrendo um aumento na retenção de fluído intravascular do 3º trimestre de gestação. 
· Sistema nervoso
Verifica que há prevalência dos impulsos parassimpáticos sobre os do simpático devido à influência dos hormônios. Por esse motivo verifica-se na gravidez forte instabilidade de humor. As mais sofisticadas atividades controladas pelo sistema nervoso central (processos emocionais e cognitivos), podem ser alteradas na gravidez com tendência à insônia, alterações de humor, ansiedade, bem como diminuições leves das funções cognitivas. Sonolencia, libido diminuida, alteração de memoria.
· Sistemagenito gastrointestinal: 
Sintomas de náuseas, enjôos da manhã ou vômitos estão relacionados com o aumento da produção hormonal. O estomago e intestino são deslocados para a proximo ao figado pelo aumento do utero, o apendice movimenta se para cima e lateralmente. A pirose ( queimação) está associada a diminuição do tônus do estomago e do esfincter inferior do esofago, devido a ação da progesteronae das prostaglandinas e diminuição da produção hormonal de motilina que tem ação estimulante sobre a musculatura lisa estando associada ao retardo do esvaziamento gástrico. Figado: há aumento do fluxo arterial hepático e venoso portal. A função hepática se altera um pouco ( variações de bilirrubina, elevação de fibrogênio e fatores de coagulação. Vesicula biliar: o estrogenio e a progesterona supersaturam a bile com o colesterol e diminuem a sintese dos acidos biliares e o fluxo de bile contribuindo para a formação de calculos.
· Sistema tegumentar : 
Com o aumento do estrogenio, ocorrem modificações na vascularização causando eritema, o estimulo da progesterona pode alterar a pigmentação (mamilos, axilas,perineo e linha nigra.Cloasma, estrias, gordura localizada, diastase ( os musculos as vezes não aguentam a tensão e separam se), unhas quebradiças, aumento dos pelos.Há aumento das glandulas sebaces e sudoriparas com aparecimento de acne e transpiração anormal.
· Sistema Hematologico:
Hipervolemia para suprir as demandas metabolicas do utero e prover nutrientes para a placenta e feto.