A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
cirurgia plastica

Pré-visualização | Página 1 de 2

Cirurgias plásticas: Atuação Fisioterapeutica
ABDOMINOPLASTIA/ DERMOLIPCTOMIA
Retirada do tecido subcutâneo excedente na região do abdomem por meio de uma incisão suprapubica com transposição do umbigo e com plicatura dos músculos retoabdominais e deve ser associada com a lipoaspiração possibilitando uma redefinição corporal satisfatoria ao paciente. 
Indicação
· Individuos com gordura localizada abdominal ;
· Flacidez decorrente de emagrecimento ou gravidez;
· Flacidez aponeurotica;
· Diastese abdominal;
· Abaulamentos;
· Hernias;
· Presença de cicatrizes abdominaiss retrateis e dolorosas ( cesaria)
Contra indicação
· Obesos;
· Mulheres que querem engravidar;
· Problemas de saúde q impeça uma abordagem cirurgica;
LIPOASPIRAÇÃO: 
É a remoção cirurgica de gordura subcutânea por meio de cânulas submetidas a uma pressão negativa e introduzidas por pequenas incisões na pele.
Técnica cirurgica 
Por seringa a vacuo, aparelho de sucção e vibrolipoaspiração ( pos operatorio menos traumatico menor força mecanica para remover as gorduras.
 Cuidados pós operatorio 
· Deambulação assim que passar efeito da anestesia;
· Uso de cinta de compressão com esponja de poliuretano ou eva ;
· Na primeira semana sem atividades esportivas, exposição ao sol (para evitar hiperpigmentação cutânea) , dirigir;
· Mobilização precoce;
LIPOESCULTURA : 
 
A lipoescultura também busca me lhorar a silhueta, removendo gordura de áreas com excesso. A diferença é que na lipoescultura essa gordura retirada e recolocada no paciente, em regiões nas quais se deseja obter maior volume, como glúteo e quadril, o que ajuda a alcançar um modelo corporal mais harmônico . 
Depois da lipoaspiração, o tecido adiposo removido é tratado em processo de purificação para eliminar a parte sanguínea e o óleo, assim, o material para enxerto terá uma menor absorção pelo corpo e uma maior permanência . O lipoenxerto pode ser feito para esculpir o corpo, remodelar e aumentar os glúteos , seios, coxas, panturrilhas, além de corrigir rugas e sulcos na face.
 Contra indicações : 
· Infecção vigente;
· Anemia;
· Doenças graves ( insuficiência cardíaca, renal, problemas crônicos e graves do pulmão, problemas de coagulação);
MAMOPLASTIA REDUTORA (diminuição do volume dos seios) A mamoplastia redutora é um procedimento cirúrgico utilizado para alivio dos sintomas provocados pela macromastia, sendo um dos mais freqüentes procedimentos realizados em cirurgia plastica. 
MASTOPEXIA (para levantamento das mamas e retirada somente do excesso de pele)
Para essas cirurgias deve se avaliar o grau de ptose, mamilos, qualidade da pele. As técnicas mais usadas são de T invertido e de L. 
Até um mês de pós operatorio os mmss são restritos onde o cotovelo não ultrapassa a linha dos ombros. É utilizado um curativo de micropore tracionando as mamas para cima. É usado um sutiã anatomico sem costura para sustentação da mama e deve se usar por pelo menos sessenta dias.
MAMOPLASTIA DE AUMENTO (vinculada à colocação de prótese de silicone)
 
 COMPLICAÇÕES:
· Edema: é um acumulo patológico de liquidos, localizados nos tecidos conjuntivos intersticiais cutâneos.
Exsudatos são ricos em proteinas podem ser hemorrágicos, turvos ou purulentos e freqüentemente se coagulam devido à presença de fibrinogênio. transudatos pobres em proteinas límpidos, amarelo-claros e não se coagulam espontaneamente
· Hematomas: coleção de sangue causado por rompimento de vasos de maior calibre que não consegue se espalhar pelos tecidos moles;
· Seroma: acumulo de liquido formado por plasma e linfa na área operada. Causada por interrupção dos canais linfaticos e vasculares em razão de trauma e formação de espaço morto;
· Necrose;
· Complicações respiratorias Diminuição da capacidade vital forçada causada pela perda sanguinea;
· Deiscencia: reabertura da ferida;
· Hipercromias;
· Fibroses formação em excesso de tecido conjutivo
· Embolia gordurosa;
· Trombose venosa e perfurações;
· Desvios posturais ( ombros anteriorizados, alinhamento anormal das escápulas) desecandeados por proteção álgica por conta do quadro doloroso, e em caso de cirurgias mamarias as mamas estão em tamanhos diferentes e pesos contribuindo para a postura viciosa.
· Rejeição da protese
Fatores de risco para complicações
· Deslocamento cirurgico;
· Hemostasia insuficiente ;
· Uso a abusivo do eletrocautério tipo de corrente para flacidez e manchas;
· Atvididade precoce do paciente;
· Compressão abdominal inadequada 
Avaliação Fisioterapeutica pré operatoria: vai servir de parametro para o pós operatorio.
· Sinais vitais ;
· Função muscular;
· Amplitude articular;
· Sensibilidade;
· Postura;
· Marcha;
· Flacidez 
Drenagem Linfatica manual:
É necessária em cirurgia plastica em razão da destruição e alteração estrutural de vasos e nervos durante o procedimento provocando dor, edema e diminuição da sensibilidade cutânea. Quando a drenagem linfatica manual é realizada no pos operatorio imediato promove uma grande melhora do quadro algico e desconforto, pois melhora a congestão tecidual pois sua função é evacuar dejetos e transporte de nutrientes no vaso linfatico.
Contra indicação:
Disfunções tireoidianas, crises asmáticas, flebite, trombose, menstruação abundante, afecções da pele, hipertensão descontrolada, hipotensão, insuficiência renal, insuficiência cardíaca, nervos pré-cancerosos, câncer, suspeita de arteriosclerose, e sensação de mal estar.
RADIOFREQUÊNCIA: 
É usada no tratamento de fibrose cicatriciais com o objetivo de amolecer o tecido colágeno e absorver o tecido fibrose. Também pode ser usada para enrijecimento da pele flácida após lipoaspiração . Seu efeito termico muda as fibras do colageno, comprimento e diametro, fibroblastos aquecidos forma novo colageno e subsequente remodelamento. Usado de 40 a 45° C de 30 a 40 minutos dependendo da área a ser tratada.
 Liberação Tecidual Funcional (LTF) 
Tensões mecânicas aplicadas ao tecido em cicatrização promovem uma organização dos feixes de colágeno de uma forma mais natural, com mais elasticidade que quando não aplica tensão. Essa é a maneira mais eficaz e rápida de tratamento especifico para fibroses e aderências em cirurgia plástica . Pelo fato do colágeno se depositar de maneira aleatória, a manipulação deverá ser em todos os sentidos, para que se consiga a reorganização dos feixes de colágeno. A intensidade do estiramento é proporcional à resistência que o tecido oferece, sua utilização ideal, de forma preventiva, é a partir do 3º - 5º dia pós operatório, com aplicação de 2 a 3 vezes por semana, durante a fase de reparo (aproximadamente 30 a 40 dias), associada ou não aos outros recursos fisioterapêuticos disponíveis.
Ultra-som 
Utilizada para acelerar a cicatrização, alcançar força tênsil normal e até mesmo a prevenção de cicatrizes hipertróficas e quelóides. Aumento no número de fibroblastos, alinhamento ideal para contração da ferida e aceleração da fase inflamatória e contração da ferida. 
Aceleração do reparo tecidual - modo pulsado: freqüência 3 MHZ, com intensidade abaixo de 0,5 W/cm²
Fase proliferativa - efeito térmico do ultra-som pulsado de intensidade de 0,5 W/ cm2.
Vacuoterapia/ endermologia:
É um metodo de massagem que utiliza pressão negativa e sucção promovendo uma mobilização do tecido subcutânea efetuada por rolos ou ventosas, localizadas no cabeçote. É uma opção para tratar fibrose. Deve ser utilizada de maneira suave sem causar traumas no tecido. Auxilia na reabsorção de edemas junto com a ultrassom que ajuda a desagregar as fibroses. Regula o equilíbrio hídrico, a circulação e nutrientes e a eliminação de toxinas dos tecidos.
As manobras devem ser executadas no sentidos das fibras musculares e linhas de tensão da pele,