A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
30 pág.
Embriologia

Pré-visualização | Página 1 de 7

EMBRIOLOGIA 
 
 
Elany Portela
 
 
 
158 
Elany Portela 
Sumário 
 Mecanismo de Fecundação .............................................................................................................................................. 159 
 Primeira Semana. ..................................................................................................................................................................................................... 165 
 Segunda Semana ..................................................................................................................................................................................................... 169 
 Terceira Semana ....................................................................................................................................................................................................... 174 
 Quarta a Oitava Semana ............................................................................................................................................................... 183 
 Músculo Esquelético ....................................................................................................................................................................................... 187 
 
159 
Elany Portela 
Mecanismo de Fecundação 
Células Germinativas 
Primordiais 
Teratoma Sacrococcígeo -> teratomas 
são tumores compostos por tecidos das 
três camadas germinativas. 
Na terceira semana do desenvolvimento 
embrionário não se sabe ainda o sexo do 
feto 
Na sétima semana desenvolve-se um 
mesoderma (intermediário) que produz 
uma elevação chamada crista genital que 
vai receber um grupo de células chamadas 
células germinativas primordiais, que saíram 
do saco vitelino e vão migrando pela parte 
ventral do intestino em formação e 
chegam até a crista genital. 
Quando chegam na crista podem 
prosseguir de duas formas: 
1. Se na fecundação o cromossomo 
que uniu com o ovócito foi o Y, 
então tem-se um indivíduo XY, os 
genes de Y liberam substâncias que 
induzem a crista a dar origem a um 
testículo e a célula germinativa 
primordial vai se diferenciar em 
espermatogônia. 
2. Se na fecundação o 
espermatozoide trouxe um 
cromossomo X, tem-se um 
indivíduo XX, que na crista genital 
diferencia-se em ovogônia. 
Células germinativas primordiais são 
pluripotenciais e durante os mecanismos 
de migração elas podem se multiplicar e 
proliferar originando tumores. 
Reprodução 
Os ovários e testículos são formados na 
fase embrionária e as células que originam 
os gametas também. 
Somente na puberdade os indivíduos 
voltam a produzir gametas: 
Masculino - é direto, as espermatogônias 
fazem a espermatogênese formando o 
espermatozoide na puberdade. 
Feminino – começa no período 
embrionário, por meio da ovogênese. As 
ovogonias, que no final da fase embrionária 
são de 300-400 mil crescem e se tornam 
o ovócito I que é envolvido por células do 
ovário, tornando-se o folículo ovariano. 
Inicia-se a meiose I que para no diplóteno 
da prófase I. (tem-se o dictióteno). 
Na puberdade a hipófise libera FSH e LH 
que induzem o ovário a produzir 
estrógeno e progesterona. O dictióteno 
continua o processo da meiose, o que 
origina o ciclo ovariano. 
Um ovócito primário completa a meiose I 
durante a ovulação. 
 
 
 
 
 
Ovulação -14º dia- houve fecundação = 1º dia 
do desenvolvimento embrionário. 
14º dia = 38 semanas / última menstruação = 
40 semanas / último dia do ciclo = 36 semanas 
de gestação 
 
160 
Elany Portela 
Inicia-se a meiose II que para na metáfase 
II, se ocorrer a entrada do espermatozoide 
essa célula vai continuar a meiose II. 
Quando parado na metáfase II da meiose 
o ovócito em desenvolvimento está 
envolvido por células foliculares (que 
formam o folículo ovariano). Estas células 
produzem estrogênio e progesterona e 
envolvem o ovócito II formando a coroa 
radiada, um grupo forma o cumulus 
oofurus (grupo de células cubicas que liga 
o ovócito a camada granulosa, é 
importante na captura do ovócito II pelas 
fimbrias da tiba) e o restante forma as 
camadas externas ao antro folicular 
(camada granulosa). Externamente a 
camada granulosa células do tecido 
conjuntivo organizam e formam a Teca 
Interna (vascularizada e produtora de 
hormônios) e a Teca Externa (formada de 
tecido conjuntivo frouxo do folículo 
ovariano) do folículo ovariano maduro.. 
 
Na ovulação há ruptura da parede do 
folículo maduro e liberação do ovócito na 
tuba uterina 
O ovócito II não é o único que é liberado 
para a tuba uterina, mas também 
estruturas do folículo ovariano. (coroa 
radiada, zona pelúcida e um pouco do 
fluido folicular e são recolhidos para o terço 
superior da tuba uterina através dos 
movimentos das fimbrias da tuba. 
 
Ovócito II 
 
 
Estruturas que o acompanham: 
Primeiro glóbulo polar = indica que 
acabou a meiose I 
Espaço Perivitelínico 
Glicoproteínas -> Zona pelúcida 
(moléculas ZP): A zona pelúcida é um 
grupo de glicoproteínas produzidas pelo 
ovócito I que participa diretamente no 
processo de reconhecimento celular e 
penetração do espermatozoide, assim 
como, depois da fecundação impede a 
entrada de outros espermatozoides. 
Coroa radiada: Grupo de células cúbicas 
que possuem uma matriz extracelular rica 
em ácido hialurônico. Essas células se 
organizam em torno do ovócito e vieram 
de mitoses do epitélio cubico simples do 
folículo ovariano uni laminar 
Grânulos corticais = lisossomos 
Caminho do Espermatozoide: 
Coroa radiada -> Zona pelúcida -> Espaço 
perivitelinico -> fusão com a membrana plasmática 
Membrana 
Plasmática Espaço Perivitelínico 
 
161 
Elany Portela 
. 
 
Espermatozoide 
 
É produzido nos testículos (um indivíduo 
adulto produz cerca de 200 milhões de 
espermatozoides por dia. 
O espermatozoide é armazenado no 
epidídimo. 
Possui cabeça, peça intermediária e cauda 
(flagelo). 
Cabeça -> possui um núcleo com 23 
cromossomos simples e altamente 
compactados e condensados (é o núcleo 
com maior taxa de condensação da 
espécie humana). 
Acrossoma = se origina do complexo de 
golgi e contém diversas enzimas que vão 
perfurar as camadas que envolvem o 
ovócito. Possui membrana externa e 
interna. 
Abaixo do núcleo tem-se um centríolo 
que ajuda na formação do fuso da meiose 
I do zigoto após a fecundação. 
Peça intermediária -> possui 
concentração de mitocôndrias que 
realizam a respiração celular aeróbica, 
produzindo ATP que vai ser liberado para 
o flagelo ( O ATP servirá de energia para 
o movimento flagelar). 
Flagelo -> é constituído de microtúbulos 
organizados em 2 microtúbulos centrais 
rodeados por 9 pares de microtúbulos 
periféricos. Dentro dos flagelos existem 
também mais de 200 tipos diferentes de 
proteína, entre estes a DINEÍNA que 
realiza a lise do ATP liberando energia para 
o movimento dos microtúbulos. 
Maturação 
Quando armazenado no epidídimo o 
espermatozoide sofre um processo de 
maturação. 
A proteína da membrana do 
espermatozoide (receptor do 
espermatozoide) quando no reprodutor 
feminino encontra com as estruturas do 
ovócito e encaixa em uma dessas 
estruturas. Quando isso ocorre essa 
proteína determina a especificidade da 
espécie (reconhece que o ovócito é da 
mesma espécie. 
Uma capa de moléculas é colocada pelo 
epidídimo envolta da cabeça .do 
espermatozoide. Essa capa protege a 
proteína citada anteriormente até a 
chegada dela no ovócito. (A 
DECAPACITAÇÃO é o acumulo de 
moléculas na superfície da membrana 
plasmática do espermatozoide) 
No epidídimo também é acrescentado a 
MP do espermatozoide uma proteína 
chamada beta defensina, que ajuda na 
sobrevivência do espermatozoide quando 
ele estiver em contato com o aparelho 
reprodutor feminino. (evita que o corpo 
Ovo metalécito (ovócito II) sai do ovário no 14º dia 
do ciclo menstrual e cai na cavidade peritoneal, 
após é reconhecido pelas franjas da tuba uterina, 
que captura essa estrutura que passa