A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
18 pág.
TCC PÓS PRONTO Mônica

Pré-visualização | Página 1 de 4

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU
NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO FAVENI
A LUDICIDADE NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM
Mônica Battisti 
SÃO MIGUEL DO OESTE – SC
2019
CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU
NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO FAVENI
A LUDICIDADE NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM
Mônica Battisti
Artigo científico apresentado a FAVENI como requisito parcial para obtenção do título Educação Infantil e Anos Iniciais.
São Miguel do Oeste - SC
2019
A LUDICIDADE NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM 
Mônica Battisti
RESUMO
O presente artigo tem como finalidade explorar e incentivar o lúdico no processo de ensino e aprendizagem. Essa ferramenta didática que está trazendo inúmeros resultados positivos para o desenvolvimento intelectual da criança. Levando em consideração que os jogos e brincadeiras estão presentes na vida das crianças desde o início dos tempos. Importante destacar que por meio da brincadeira é possível de abordar conteúdos específicos incentivando a criatividade e interesse dos educandos. Nos tempos atuais, a ludicidade vem sendo discutida e avaliada como um tema que é capaz de proporcionar um ensino eficaz através das brincadeiras e jogos como recurso pedagógico, com um ponto de partida capaz de desenvolver a aprendizagem. As brincadeiras direcionadas proporcionam às crianças um ambiente agradável e interessante, possibilitando assim o aprendizado de várias habilidades úteis à sua vida social e afetiva. A ludicidade é de extrema importância para o desenvolvimento integral da criança, pois para ela viver é brincar.
Palavras – chave: Lúdico, aprendizado e educação.
1 INTRODUÇÃO 
O ato de brincar é inerente as crianças, assim ludicidade na educação infantil está cada vez mais à tona, em função das diversas atribuições positivas que a ludicidade traz para o educando. Pelo fato ser um atrativo, as crianças prendem sua atenção no brinquedo e se divertem ao mesmo tempo que aprendem. A atividade lúdica enriquece no educando diversas aptidões, sendo algumas delas a memória, imaginação, atenção, criatividade, entre outras. Além disso, desenvolve um ser social e interativo. 
“É através de seus brinquedos e brincadeiras que a criança tem oportunidade de desenvolver um canal de comunicação, uma abertura para o diálogo com o mundo dos adultos” (KISHIMOTO, 1999, p.69). 
	Ao atribuir os brinquedos e brincadeiras no ambiente escolar, de forma correta, o educador adquire um grande aliando no caminho do aprendizado. Em algumas atividades, onde os alunos precisam de mais concentração, pode-se assimilar alguma atividade lúdica, no qual, contribuirá no desenvolvimento intelectual da criança. A quebra de tabus contra o ato lúdico em sala de aula é um dos principais objetivos do ato docente. 
2 A IMPORTÂNCIA DO ATO LÚDICO NO ENSINO E APRENDIZAGEM 
2.1 IMPORTÂNCIA DA LUDICIDADE 
Hoje, o professor, em seu planejamento, deve ter a clareza da importância da ludicidade como recurso pedagógico nas atividades relacionadas à escrita e leitura. Por isso, escolheu-se a temática “A Ludicidade No Processo De Ensino E Aprendizagem. ” Considera-se de grande relevância pesquisar esse tema porque a ludicidade é de suma importância seja no intuito de educar, ensinar, divertindo-se e interagindo com os outros. 
 Nos tempos atuais, a ludicidade vem sendo discutida e avaliada como um tema que é capaz de proporcionar um ensino eficaz através das brincadeiras e jogos como recurso pedagógico, com um ponto de partida capaz de desenvolver a aprendizagem. 
Pensando dessa forma, justifica-se que a ludicidade é fundamental para aprendizagem sem ser só um conteúdo maçante, oportunizando ao aluno vivenciar novas experiências, através de novas maneiras de aprendizagem, pois a criança pode se expressar de formas diferentes e atividades lúdicas podem ser além de um divertimento uma grande aliada para adquirir conhecimento. 
A atividade lúdica é reconhecida como meio de fornecer à criança um ambiente agradável, motivador, planejado e enriquecido, que possibilita a aprendizagem de várias habilidades, além de trabalhar estas habilidades na criança, ajudará no desenvolvimento da criatividade, na inteligência verbal-linguística, coordenação motora, dentre outras. (ALMEIDA, 2006).
Considerando o que o autor aborda, a atividade lúdica é capaz de contribuir para o desenvolvimento intelectual da criança. Por esse motivo, compreender que o lúdico faz parte das atividades essenciais da dinâmica humana, trabalhando com a cultura corporal, movimento e expressão, é fundamental, pois é dessa maneira que pode aperfeiçoar a verdadeira noção de ludicidade como necessária para que haja o desenvolvimento de todas as capacidades. E a ideia central é que a partir do entendimento sobre ludicidade se busque desenvolver novas estratégias lúdicas para se trabalhar a escrita. É nessa perspectiva que alguns autores comentam sobre como alfabetizar a criança sem ser uma aprendizagem maçante. 
O espaço lúdico não precisa ficar restrito a quadro paredes, ao contrário, deve fluir por todo o ambiente, dentro e fora das classes. Especialmente para as classes de alfabetização, utilizávamos todos os recursos disponíveis tendo a satisfação de ver crianças sendo alfabetizadas de maneira prazerosa. Sem sofrimento. (PINTO, 2003, p.65). 
É um assunto muito perturbador, pois realmente se pode dizer que o aluno precisa mais desse incremento para enriquecer seu aprendizado de forma prazerosa, possibilitando a motivação da criança e, assim, tornando-se indispensável para sua formação. É nesse caminho que se torna uma grande oportunidade de unir a ludicidade e escrita em uma parceria eficaz para o ensino dessa prática social. 
Quando o ambiente é alfabetizador, a criança interage com um ambiente rico, estimulante que a convida a aprender. A sala deve dispor de jogos, brinquedos, som, recursos visuais e principalmente um responsável e preparado para atuar nesse espaço. Se o professor não tiver uma postura interdisciplinar diante do conhecimento nem uma metodologia vai funcionar. (PINTO, 2003, p.66)
O professor deve estar preparado para se desafiar e buscar novas estratégias para que o ensino alcance os objetivos trilhados, pois se a criança interagir com o que está proposto já é um grande avanço e, certamente, motivada, via ludicidade, se apropriará dos mecanismos da escrita com mais facilidade. 
2.2 BRINCAR E APRENDER
As atividades lúdicas não se resumem ao jogo e à brincadeira, mas incluem atividades diferenciadas que possibilitam momentos de prazer, alegria e integração dos envolvidos. Ludicidade forma de fortalecer a criatividade, os conhecimentos, através de jogos e dentre outras brincadeiras diversas. “Proporciona a quem a vivencia instantes de encontro consigo e com o outro, momentos surreais e de realidade e, de redefinição e percepção, momentos de autoconhecimento e de cuidar de si e ter um olhar mais atento com o outro”. (PIAGET,1975, p. 12). 
O intuito é educar, ensinar se divertindo e interagindo com os outros. Na atividade lúdica, o que importa não é apenas o produto da atividade, o que dela resulta, mas a própria execução que pode acontecer nos mais diversos espaços (internos e externos).
O espaço lúdico deve causar um impacto em todos que nele entrem. Principalmente a criança deve ser tocada pela alegria, pela curiosidade é um mundo de fantasia, portanto deve estimular o sonhar acordado. É também um espaço para desenvolver competências. A criança, ao brincar, vai treinar suas habilidades. Vai treinar sua capacidade de ganhar e perder, de criar regras e saber respeitá-las. (PINTO, 2003, p.61).
São lúdicas as atividades que propiciam a vivência ampla do aqui, agora, integrando a ação, o pensamento e o sentimento. Tais atividades podem ser uma brincadeira, um jogo ou qualquer outra atividade que possibilite dar início a determinado momento de inserção: uma dinâmica de integração grupal ou de sensibilização, um trabalho de recorte e colagem, exercícios de relaxamento e respiração,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.