A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
trabalho uniasselvi 2

Pré-visualização | Página 1 de 2

Comment by Nelma Saldanha: Observe o template padão para organizar esta primeira pagina. Não precisa ser ter essa logo da Uniasselvi e os nomes dos acadêmicos são organizados em ordem alfabética apenas na linha 1. Na linha 2 é o nome do orientador. Coloquem no padrão.
CONTABILIDADES NOS NEGÓCIOS EMPRESARIAIS
A IMPORTANCIA DA CONTABILIDADE PARA AS COOPERATIVAS DE PRODUÇÃO
Professora: Nelma Castilho Saldanha 
 Alunos: Vagner Cardoso dos Santos
Emanuely Caryne Moura Lima
 Jessica Marques da Rocha Souza
 Gislene Martins 
 
APRESENTAÇÃO	Comment by Nelma Saldanha: Substituir este título por INTRODUÇÃO, conforme template padrão.
 Sistema de cooperativa já existem em nosso pais desde 1889 criada primeiramente em ouro preto MG a Sociedade Cooperativista Econômica dos Funcionários Públicos de Ouro Preto, que logo mais se expandiu para Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo. Com mais de 130 anos as cooperativas estão no mercado procurando seu espaço e gerando emprego e renda.
 Este trabalho visa mostrar a importância de uma contabilidade eficiente para o bem viver das cooperativas pois as mesmas necessitam de profissionais qualificados que entendam deste ramo de negócio, suas leis e tipos de tributação. 
FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA	Comment by Nelma Saldanha: Inclua neste tópico um pouco mais sobre a contabilidade e seu papel. Também não identifiquei uma citação direta. Você pode utilizar o tema da contabilidade para fazer a citação direta.
 As cooperativas tiveram início no Brasil com a Constituição Federal de 1988, com uma lei ainda muito discutida por não ter uma abrangência no que se espera tem no artigo 146, inciso III, alínea “c” está prescrito que cabe à lei complementar editar normas gerais dispensando “adequado tratamento tributário ao ato cooperativo praticado pelas sociedades cooperativas”. Mais esta lei causa muitos entendimentos sobre onde se pode ter imunidade tributária e isenção tributária. 
 Segundo dados ocb que acompanha os processos judiciais as recentes decisões que tem julgada casos relacionados as cooperativas, com divergências pontuais, diminuem o benefício constitucional, desestimulando, enfraquecendo e comprometendo o desenvolvimento de atividades essencialmente. (BECHO, 2005, p. 216). Ele acrescenta que:
 É importante destacar que a busca para o adequado tratamento tributário em exame é uma tarefa complexa. Por adequado teremos, em certas circunstâncias (materialidades), a verificação da incidência e para outras circunstancias poderá ser de não-incidência. Em alguma regra-matriz hipotética, um tipo de cooperativa poderá ser contribuinte e, na mesma regra-matriz hipotética, outra cooperativa poderá não ser contribuinte (BECHO, 2005, p. 216). 
 É uma pena que aos olhos de muitos e digo governantes que não tem compromisso em gerar linhas de credito e a própria população Brasileira que não tem um conhecimento sobre a importância desse ramo de trabalho as cooperativas ainda procurem seu devido espaço. Segundo dados do anuário ocb de 2018, as cooperativas no Brasil tiveram uma receita de R$ 351,4 bilhões dos ativos totais e uma receita bruta no valor de R$ 259,9 bilhões. As cooperativas ainda recolheram aos cofres públicos R$ 7 bilhões, em impostos e tributos. Também fizemos a economia girar, ao injetarmos mais de R$ 9 bilhões, apenas com o pagamento de salários outros benefícios destinados a colaboradores. Por tudo isso uma contabilidade eficiente é preciso para que essas empresas não passem por dificuldades fiscais. Ter profissionais capacitados para este fim é importantíssimo pois uma queixa muito constante de cooperadas na administração das cooperativas é serem surpreendidas por cobranças da receita federal já que muitas das vezes elas depositam sua confiança única e exclusivamente nos contadores. É o que relata a senhora Joseane rodrigues dias que faz parte a 10 anos de uma cooperativa de costura no município de Barcarena. 	Comment by Nelma Saldanha: Cuidado com esse tipo de colocação pessoal. A linguagem deve ser mais formal e impessoal. O texto mais crítico deve ser usado nos resultados e discussões.
 Segundo ela, já foi preciso nesses 10 anos trocar de contador 3 vezes e em cada momento essa troca trouxe uma dívida de mais de 100 mil reais em impostos não pagos gerando uma insegurança e até vontade de para o projeto com ela mesmo diz. É o que escreve Gouveia. 
SANTOS; GOUVEIA; VIEIRA, (2012) A contabilidade tem um papel fundamental dentro da cooperativa. Não somente tributar valores, mas também a função de evidenciar a relação da cooperativa com seus associados que muitas das vezes tem nisso o único recurso para a administração da empresa. Esse profissional de contabilidade tem várias atribuições junto a cooperativa não é somente declara o imposto mais também acompanhar o passo a passo da assembleia geral, de onde é gerado uma ata para da entrada na junta comercial. Aqui no para é a jusepa além disso tem que fazer as devidas correções se preciso for. Essa ata é um documento muito importante para a cooperativa pois através dela é que se pode fazer movimentações bancarias. O contador terá que efetuar os tributos de acordo com o ramo da cooperativa sendo. Segundo o site contábeis (2017) os impostos estão divididos da seguinte maneira: 
RAMO PRODUÇÃO
Da cooperativa:
· COFINS/Faturamento – alíquota de 3% sobre receita mensal (cumulativo);
· PIS/Faturamento – alíquota de 0,65% sobre receita mensal (cumulativo);
· ICMS – 12 ou 18 % (depende do objeto da cooperativa);
· IRPJ (atos não cooperativos) – 15% sobre as sobras apuradas no período mais adicional de 10% para parcela excedente ao valor de R$ 20.000,00 mensal;
· CSLL (atos não cooperativos) – 9% sobre as sobras apuradas no período;
· INSS – 20% sobre o valor das remunerações dos Diretores e Conselheiros Fiscais;
RAMO CONSUMO
Da cooperativa
·  COFINS/Faturamento – alíquota de 7,6% sobre receita mensal (não cumulativo);
· PIS/Faturamento – alíquota de 1,65% sobre receita mensal (não cumulativo);
· IRPJ – 15% sobre as sobras apuradas no período + adicional de 10% para parcela excedente ao valor de R$ 20.000,00 mensal;
· CSLL – 9% sobre as sobras apuradas no período.
· ICMS – Estado do Pará é 17%;
· INSS – 20% sobre o valor das remunerações dos Diretores e Conselheiros Fiscais.
 Conforme Sabbag (2017, p. 40) “A cobrança de tributos se mostra como a principal fonte das receitas públicas, voltadas ao atendimento dos objetivos fundamentais, insertos no art. 3º da Constituição Federal. ” Pensando nisso não é difícil de imaginar que nos dias de hoje para uma cooperativa sobreviver ao governo é muito difícil, se unirmos a isso uma carga tributária muito pesada para sustentar o estado dependendo de seu ramo. A seguir temos um gráfico que expressa como é difícil para as cooperativas no brasil.
Imagem 1: divisão das despesas com pessoal e tributos das cooperativas Brasileiras 
Fonte disponível em: Ocb- anuário 2019
 A imagem 1 apresenta como está dividido no ano de 2019 o percentual de gastos das cooperativas brasileiras com uma projeção semelhante para 2020 valor que no ano de 2019 ficou em 16 milhões em tributos para 2020 ficara próximo dos 18 milhões. 
 A verdade é que sem esse profissional de contabilidade tudo seria muito mais difícil. Sem esse conhecimento técnico seria muito complicado administrar uma empresa fazer os recolhimentos necessários. As demonstrações contábeis além do resultado financeiro, devem apresentar demonstrações do resultado das atividades sociais. Sendo de suma importância, para que se aproxime cada vez mais do seu objetivo principal. Objetivo este, que é o de trabalhar para o crescimento social de seu cooperativado. 
RESULTADO E DISCURSÃO	Comment by Nelma Saldanha: De acordo com o template padrão. Este tópico chama-se: RESULTADOS E DISCUSSÕES.Relacione o que você encontrou e evidenciou durante a aplicação prática com os autores consultados e utilizados na sua fundamentação teórica.Use seu senso crítico,