A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
RACIOCÍNIO CLÍNICO-CRÍTICO TEORIAS DE ENFERMAGEM

Pré-visualização | Página 1 de 1

PITÁGORAS INSTITUTO CAMILO FILHO 
GRADUAÇÃO ENFERMAGEM 
 
 
 
GABRIELLI ALVES DA SILVA 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
RACIOCÍNIO CLÍNICO-CRÍTICO 
TEORIAS DE ENFERMAGEM 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Teresina - Piauí 
2020 
 Raciocínio Clinico-Crítico 
 
1) Em um cenário hospitalar, no setor enfermaria cirúrgica, que admite 
clientes nos períodos pré e pós-operatórios, a enfermeira e sua equipe podem 
definir o papel da enfermagem como assistencial e educativo. Então, buscam 
entre as teorias uma que apresente conceitos que trabalham com o cuidado do 
indivíduo inserido no processo saúde-doença. A escolhida é a Teoria do 
Autocuidado de Dorothea Orem. Esta teoria tem como visão: “A enfermagem 
tem como principal preocupação a necessidade de ações de autocuidado do 
indivíduo, o oferecimento e o controle, numa base contínua para sustentara vida 
e a saúde, recupera-se da doença ou ferimento e compatibilizar-se com seus 
efeitos.” Com essa teoria pode-se perceber sua contribuição não só para a 
manutenção da vida ou saúde, mas também no bem-estar e autoestima do 
paciente, uma vez que é capaz de agir e atuar em sua recuperação e 
reabilitação. Pacientes internados a enfermagem faz a assistência do inicio ao 
fim de seu tratamento, com o objetivo de auxiliar na sua recuperação. 
 
2) Aplicação da teoria de Callista Roy teoria da adaptação: Pessoa com 
estomia. A pessoa com estomia passa por um processo de alteração na sua 
integridade física decorrente do procedimento cirúrgico de exteriorização de 
parte de um órgão e consequente confecção do estoma. Em virtude disso, o 
indivíduo precisa adaptar-se aos novos estímulos e à sua condição de 
estomizado. acredita-se na aplicabilidade da teoria de Roy durante a prestação 
do cuidado de enfermagem a pessoa com estoma, visto que tal teoria possibilita 
reconhecer que as pessoas, mediante estímulos, podem desencadear 
respostas, ora positivas ora negativas, em diversas situações e que cabe ao 
enfermeiro atuar como mediador ao elaborar estratégias de cuidado que 
contribuam com os mecanismos capaz de diminuir as respostas não adaptativas. 
 
3) Teoria de iomogene king descreve a atuação do enfermeiro mediante a 
compreensão de que o ser humano deve ser visto em três sistemas interatuantes 
(o pessoal, o interpessoal e o social), cuja interação enfermeiro-pessoa é 
fundamental para o estabelecimento e alcance de metas de saúde, propiciando 
o desenvolvimento de potencialidades no cliente, pessoa e comunidade. 
Utilização da teoria de king na falicitação da adesão ao tratamento de 
hipertensão: Estudo de caso de paciente com hipertensão e não adesão ao 
tratamento. Objetivou facilitar sua adesão ao tratamento estipulando metas 
conjuntas baseado na Teoria de Alcance de Metas de King, planejar e 
implementar assistência de enfermagem ao paciente. Trabalhou o diagnóstico 
controle ineficaz do regime terapêutico. Definiram-se como metas: 1.tomar os 
medicamentos, 2.caminhar 30 minutos por dia, 3.controlar a pressão arterial e 
4.perder um quilograma por mês, até chegar a seis quilos em seis meses. As 
intervenções foram: identificar fatores impeditivos do controle da hipertensão no 
paciente, obter relação entre suas necessidades e serviços viáveis, encorajar 
sua participação em grupos de auto-ajuda e promover participação da família no 
tratamento. Realizou-se evolução semanal durante 23 dias. A adesão foi 
facilitada e foram alcançadas as metas de tomar os medicamentos e caminhar 
30 minutos por dia, embora as demais metas não tenham ainda sido alcançadas. 
 
REFERÊNCIAS: 
 
ARTIGO CIENTIFICO A TEORIA DO AUTO-CUIDADO. Disponível em: 
https://www.scielo.br/pdf/reben/v39n2-3/v39n2-3a02.pdf 
 
Teoria de Dorothea E. Orem. Disponível em: 
https://siteantigo.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/idiomas/teoria-de-
dorothea-e-orem/25162 
 
APLICAÇÃO DA TEORIA DE CALLISTA ROY À 
PESSOA COM ESTOMIA. Disponível em: http://sobest.org.br/anais-
arquivos/RPDF0032-1.pdf 
 
Teoria de Imogene M. King. Disponível em: 
https://siteantigo.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/enfermagem/teoria-
de-imogene-m-king/25168 
 
https://www.scielo.br/pdf/reben/v39n2-3/v39n2-3a02.pdf
https://siteantigo.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/idiomas/teoria-de-dorothea-e-orem/25162
https://siteantigo.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/idiomas/teoria-de-dorothea-e-orem/25162
http://sobest.org.br/anais-arquivos/RPDF0032-1.pdf
http://sobest.org.br/anais-arquivos/RPDF0032-1.pdf
https://siteantigo.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/enfermagem/teoria-de-imogene-m-king/25168
https://siteantigo.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/enfermagem/teoria-de-imogene-m-king/25168