A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
39 pág.
Multimeios Aplicados à Educação - Resumo dos Temas 1 a 6

Pré-visualização | Página 1 de 12

Anhanguera Licenciatura Pedagogia – 4º Semestre 
Matéria: Multimeios Aplicados à Educação 
Resumo dos Temas 1 ao 6 (dicas de estudo para prova) 
 
 
GOSTOU DO MATERIAL? Então não se esqueça de curtir! 
 
Tema 1 
Utilização das Novas Tecnologias no Processo de Ensino-Aprendizagem 
1. Síntese da Evolução dos Meios de Comunicação e das Tecnologias: Um 
Olhar para a Educação 
Quando se pensa no significado de multimeios, o que logo vem à mente são os meios de 
comunicação: rádio, telefone, TV, jornais, revistas, internet, hiperlinks e hipertextos, ou 
mesmo livros, artigos científicos, estudos de casos, pesquisas, ou seja, vários meios para 
transmitir mensagens e se comunicar. “Multi-” remete à ideia de “vários”, “diversos”. 
“Meios”, por sua vez, refere-se ao local de veiculação ou transmissão da informação. 
Tais meios são amplamente utilizados por pessoas das mais variadas idades, por 
variados públicos e mercados (TAJRA, 2012). Com isso, a sua popularização, desde o 
advento da comunicação via rádio em 1877 (que trouxe a possibilidade de estabelecer 
comunicação a longas distâncias), serviu como base de estudos sobre a comunicação 
para a telefonia e para as redes de computadores. Eles foram possíveis em virtude da 
junção dos conhecimentos proporcionados por diversas ciências, tais como física, 
matemática, geografa, entre outras fontes, instigando, por exemplo, as investigações 
acerca de suas possibilidades de uso. E, da mesma forma, acontece de geração em 
geração com as invenções e inovações daquele tempo (ANDRELO, 2012). 
Nesse sentido, o MEC, através da SEED, elaborou um material didático que traz esses 
recortes da evolução tecnológica, no qual há a seguinte visão aplicada quanto ao uso dos 
meios de comunicação e das tecnologias de informação na educação: “A evolução 
tecnológica impõe-se e transforma o comportamento individual e social. A economia, a 
política, a divisão social do trabalho, em diferentes épocas, refletem os usos que os 
homens fazem das tecnologias que estão na base do sistema produtivo” (SEED/MEC; 
UNIREDE, 2001, p. 14). 
Aquilo para o que se almeja despertar a curiosidade é o perfil do aluno, que mudou no 
século XXI. O conjunto de tecnologias disponíveis podem ampliar as possibilidades de 
imersão em assuntos acadêmicos, e o seu uso pode ser voltado para os processos de 
ensino-aprendizagem. 
Algumas características que são apontadas pela autora Tajra (2012) vêm reforçar a 
importância de se incluir na sala de aula o uso de recursos que podem facilitar o 
 
 
GOSTOU DO MATERIAL? Então não se esqueça de curtir! 
 
2 Anhanguera - Pedagogia – Multimeios Aplicados à Educação 
aprendizado e a transmissão daquele determinado assunto, a partir do uso de uma 
ferramenta tecnológica. São elas correspondentes a aspectos que podem contribuir para 
o sucesso desse novo perfil de aluno. Então, é necessário desenvolver neles: 
• Habilidades em leitura básica, escrita e habilidades matemáticas. 
• Bons hábitos profissionais, como ser responsável, pontual e disciplinado. 
• Habilidades em computação e tecnologia de mídia. 
• Valorização do trabalho. 
• Honestidade e tolerância com os outros. 
• Hábitos de cidadania. (TAJRA, 2012, p. 16) 
Ferramentas tecnológicas podem ser as mais variadas, tais como – atualmente 
amplamente utilizada – a internet, os computadores de modo geral, os aparelhos de 
telefonia celular, bem como – já classificadas como úteis para a sala de aula – a 
calculadora, o Datashow como recuso visual e o rádio (TAJRA, 2012). 
Com a intenção de desenvolver competências que permitam ao aluno realizar o estudo 
autônomo e de fato assumir a responsabilidade sobre o seu aprendizado, Gardner (apud 
TAJRA, 2012) apresenta sete competências intelectuais que vêm ao encontro desse 
pressuposto. São elas chamadas de inteligência: 
• Linguística: refere-se aos desafios de linguagem e à comunicação de forma correta. 
• Lógico-matemática: capacidade de resolução de problemas por dedução e 
observação. 
• Corporal-cinestésica: utilização dos movimentos corporais para superar desafios. 
• Musical: refere-se ao desenvolvimento de habilidades de percepção musical e 
associação destas com uma situação real. 
• Espacial: habilidades de abstração que promovam a resolução de problemas. 
• Intrapessoal: conhecimento das características e perfil da própria pessoa. 
• Interpessoal: habilidade de resolver problemas ou minimizar os que envolvem o 
relacionamento e a comunicação. 
Essas competências intelectuais podem ser potencializadas se trabalhadas de acordo 
com as exigências da época à qual se aplica o estudo. Por exemplo, para os alunos do 
século XXI, é importante que se pense num formato de aulas que permita a utilização de 
softwares – tanto os que são livres quanto os que necessitem de licenças – que 
 
 
GOSTOU DO MATERIAL? Então não se esqueça de curtir! 
 
3 Anhanguera - Pedagogia – Multimeios Aplicados à Educação 
pertençam cada vez mais à realidade acadêmica e em todos os níveis educacionais 
(TAJRA, 2012). 
Nessa instância se destacam ainda os softwares de simulação e de programação que 
visam ao desenvolvimento do raciocínio lógico- matemático. Também estão elencados 
os softwares gráficos que possibilitam a inserção de representações artísticas e 
simbólicas. 
Não obstante, deve-se considerar o computador como uma ferramenta essencial. Isso se 
dá principalmente pelo fato de que com ele é possível integrar os diversos tipos de mídias 
e recursos tecnológicos (TAJRA, 2012). 
A internet também passa a ter papel importante para a descoberta e o desenvolvimento 
de soluções que atendam às necessidades de formação desde as séries iniciais. Há 
diversos sites e programas disponíveis na web que permitem muito mais do que 
transmissão de informação. Integram e proporcionam, portanto, a imersão em 
ambientes de testes que podem trabalhar desde a compreensão de textos até a de 
aspectos lógico-matemáticos, de física e das demais ciências que se queira conhecer. Isso 
amplia as possibilidades de preparo de aulas, exercícios, ou seja, de métodos que 
apresentem os conceitos ordenadamente e que permitam o aprendizado tanto dos 
conceitos predeterminados quanto do próprio uso das ferramentas computacionais e 
mídias que a atualidade exige (TAJRA, 2012). 
1.1 Breve Levantamento da Contribuição dos Meios de Comunicação 
para a Educação no Brasil 
Observe logo a seguir um pouco sobre a evolução dos meios de comunicação e a sua 
importância, voltando o olhar para a sua contribuição à educação: 
• 1923: Rádio 
Teve início com a Rádio Sociedade no Rio de Janeiro (primeira rádio brasileira), que tinha 
o propósito de “levar a cada canto um pouco de educação, de ensino e alegria” 
(ANDRELO, 2012, p. 140). O físico Albert Einstein e o poeta Filippo Tommaso Marinetti 
chegaram a realizar palestras pela emissora (ANDRELO, 2012). 
• 1970: Televisão 
Nessa década no Brasil, a televisão representava os avanços trazidos com a evolução 
industrial e, também, um meio de propagar as mensagens da ditadura mesmo nas 
escolas. No fim de 1970, a TV trouxe cursos de formação com iniciativas da Fundação 
Roberto Marinho e Padre Anchieta (Telecurso 2º Grau). Em 1982, com o Sistema 
 
 
GOSTOU DO MATERIAL? Então não se esqueça de curtir! 
 
4 Anhanguera - Pedagogia – Multimeios Aplicados à Educação 
Nacional de Radiodifusão Educativa (SINRED), interligado ao Ministério da Educação e 
Cultura e ao das Comunicações, surgiram as emissoras educativas e com elas houve o 
advento da educação a distância que, inclusive, se intensificou no país (ASSIS, 2008). 
• 1990: Computador 
O computador de uso pessoal, a partir da década de 1970, foi alvo de pesquisas e 
investimentos da Microsoft e da Apple como equipamento destinado a facilitar as 
rotinas profissionais, ainda que não se pudesse afirmar se esse recurso tecnológico