A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
39 pág.
Multimeios Aplicados à Educação - Resumo dos Temas 1 a 6

Pré-visualização | Página 8 de 12

uma delas que inclusive é gratuita, é o VNC da Team Viewer, que 
apresenta uma solução para controle remoto, em que não apenas para este fim, mas 
com o intuito de compartilhar a tela com outros usuários, também é possível. 
• Datashows com alta resolução para realizar as demonstrações e permitir o 
acompanhamento pelos alunos. 
• Televisores. 
• Equipamento de áudio. 
Também compõem o projeto de informática e precisam ser contemplados no 
planejamento e direcionamento dos recursos. 
e. No plano pedagógico do curso, é preciso estabelecer, a partir de que série, quais 
conteúdos programáticos, quantas atividades e a melhor forma de aplicá-los. 
Sugestão fica para a elaboração do plano de aula. 
Muitas escolas têm iniciado a utilização da informática com crianças acima de três anos 
de idade, com a frequência média de uma hora semanal. De início podemos achar que é 
muito pouco tempo, mas se levarmos em conta a quantidade de anos escolares, este 
número de horas será razoável. (TAJRA, 2012, p. 75) 
Como evidenciado na bibliografa pesquisada e em outras fontes, ainda o planejamento 
desta implantação, a distribuição do orçamento de acordo com a necessidade de 
investimentos para o projeto, dependem diretamente da análise dos fatores acima 
apresentados. Com isso, é possível enfatizar, ainda, a necessidade de se pensar o uso do 
software desde a concepção da disciplina, ou de que forma poderá ser agregado tal 
 
 
GOSTOU DO MATERIAL? Então não se esqueça de curtir! 
 
24 Anhanguera - Pedagogia – Multimeios Aplicados à Educação 
recurso. Contanto que sejam considerados as possibilidades de ganho desse recurso 
tecnológico nas escolas, amplamente respaldado nas competências e habilidades 
desenvolvidas nos professores e demais envolvidos, os ganhos para o processo de 
ensino-aprendizagem são consideráveis e, por esse motivo, tão importante se torna essa 
implantação. 
Fica a recomendação de leitura dos materiais disponíveis no livro desta referência 
bibliográfica, para que sejam observados os formulários para o levantamento de dados 
que pode servir de base para a realização do diagnóstico de Tecnologia Educacional, 
proveniente das implantações de softwares nas escolas. 
1.2 Interdisciplinaridade e a implantação de softwares educacionais 
Ao investigar a definição da palavra interdisciplinaridade, obtém-se como resultado, 
justamente, que esta significa a análise dentre diversos conteúdos, no caso das escolas; 
além destes, as disciplinas, em que se busca a intersecção dentre os elementos, ou seja, 
as ferramentas de softwares que são consideradas no projeto, se correlacionam com 
outras disciplinas. 
Por exemplo, quais softwares podem ser compartilhados e entre quais disciplinas? Este 
é um questionamento que possibilita investigar a interdisciplinaridade entre elas e em 
que poderá ser absorvida em cada uma das disciplinas a ferramenta de apoio 
pedagógico. 
1.3 Definição do layout das salas equipadas com computadores ou 
laboratórios 
Primeiro fator salientado pela autora Tajra (2012) é a identificação do público que usará 
o laboratório ou sala de informática. Seguido da distribuição física da sala, ou seja, a 
definição do layout de acordo com o espaço e público-alvo. 
Os tipos de mesas e cadeiras também podem influenciar este aspecto. Sugestão de leitura 
das indicações de layout que Tajra (2012) disponibiliza em seu livro: 88 a 93. 
2.0 Informática na Educação 
Embora os projetos educacionais que envolvem o uso de tecnologias de informação e 
comunicação e softwares, independente de sua natureza, já são estudados, testados, 
implementados, modificados, há alguns anos, este ainda não pode ser considerado um 
processo maduro. Devido à sua complexidade tanto em adequação às necessidades de 
aprendizagem, quanto da capacitação de professores e profissionais envolvidos, como 
 
 
GOSTOU DO MATERIAL? Então não se esqueça de curtir! 
 
25 Anhanguera - Pedagogia – Multimeios Aplicados à Educação 
também, dos recursos financeiros a despender para que tal implantação seja 
concretizada. 
Neste sentido encontram-se ainda as dificuldades inerentes à demora da inserção de tais 
métodos considerados inovadores, nas escolas, seja pelo motivo financeiro e 
burocrático, seja por motivo pedagógico e a não introdução do uso de softwares, de 
acordo com o modelo pedagógico aplicado. 
Segundo o projeto denominado ACCOT, há três fases inerentes ao processo evolutivo de 
um projeto de informática na educação. Este compreende a iniciação, adaptação e 
incorporação ou absorção (TAJRA, 2012). 
2.1 Iniciação 
Nesta etapa concentram-se a aquisição dos computadores, a sua instalação, ou seja, toda 
a parte física da sala de informática é organizada: 
É interessante ressaltar que, diante da nova realidade de que quase todas as escolas , 
principalmente as particulares, já possuem computadores, com certeza, o simples fato 
de tê-los não significa mais um diferencial, mas principalmente um passo que a escola 
deve, de fato, dar. O que passará a ser um diferencial será a forma de utilização da 
informática dentro da escola, a qual deve fazê-lo conforme os seus objetivos. (TAJRA, 
2012, p.95) 
Este também é o momento da interação dos professores com este novo espaço e, não 
recomendado mas ainda aplicado, início do processo de capacitação dos professores, 
apenas quando o laboratório já está totalmente instalado. Nesse contexto, o melhor é que 
os professores já estejam aptos ao uso das ferramentas, quando este é entregue. 
2.2 Adaptação 
Esta fase compreende, justamente, o avanço da aplicação das atividades pedagógicas 
que foram previstas. Aqui, alunos e professores já estão habituados à aplicação e 
execução dos processos de ensino-aprendizagem que envolvem tais ferramentas de 
software. 
Como exemplo característico desta fase podemos citar uma aula na qual a professora 
solicitou aos alunos a elaboração de um desenho para uma competição que ocorreria na 
escola. A professora deu flexibilidade para que os alunos escolhessem a ferramenta a ser 
utilizada: o computador, os recursos tradicionais (lápis, pincéis). 
A primeira reação dos alunos foi irem direto ao computador a fm de efetuar o desenho, 
mas em função de não terem os conhecimentos básicos sobre o software que estavam 
 
 
GOSTOU DO MATERIAL? Então não se esqueça de curtir! 
 
26 Anhanguera - Pedagogia – Multimeios Aplicados à Educação 
utilizando, verificaram que seria melhor elaborar com os recursos já dominados. 
(TAJRA, 2012, p. 96) 
Com isso verifica-se a importância dessa fase, de forma a compreender que o recurso 
tecnológico não visa a substituição dos métodos formais, mas que, no entanto, que vêm 
complementar e ampliar as possibilidades de ensino e de aprendizagem, inerentes ao 
processo educacional. 
2.3 Incorporação ou absorção 
Nesta etapa já é considerado o uso das ferramentas tecnológicas implantadas, como de 
conhecimento amplo pelos professores e de familiarização e associação destas nas 
atividades, pelos alunos. 
A duração de cada uma das fases varia muito, de acordo com cada realidade escolar e a 
do próprio professor, entretanto é interessante conhecê-las como forma de verificar que 
a evolução da utilização da tecnologia no campo educacional ocorre de modo 
semelhante, independentemente da modalidade de aplicação escolhida. (TAJRA, 2012, 
p. 96) 
Diante do contexto apresentado, desde a iniciação até a incorporação efetiva aos 
processos de informática na educação, torna-se evidente a sua importância para o 
desenvolvimento de metodologias que os incorporem de forma agregadora ao ensino e 
à aprendizagem. Com isso, é fundamental se planejar todo o processo desde a concepção 
da ideia, até o momento da implantação, para que o projeto possa obter êxito e, de fato, 
contribuir para a formação de um novo perfil de aluno, o do século XXI. 
 
Competência: entende-se por competência desenvolvida, no âmbito da educação e da