A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
102 pág.
EXAMES

Pré-visualização | Página 10 de 10

pulmões são as áreas mais arejadas (portanto, a probabilidade de chegarem bacilos aí é 
maior). Na grande maioria dos casos a lesão é pequena e de cura espontânea (detecção 
difícil). Aqui temos duas peças em que a lesão foi maior. Na de cima, a delimitação é boa, 
mas há necrose caseosa central. Na de baixo, a lesão é maior e sua delimitação é menos 
precisa. Se o paciente sobrevivesse, provavelmente evoluiria para uma caverna (ver 
adiante) 
• Maioria dos casos a infecção se torna localizada (granulomas) e eventualmente se calcifica 
• Complexo de Ranke: calcificação nodal ipsilateral calcificada + lesão Gohn 
• O complexo de Ranke é visto na tuberculose pulmonar primária "curada", composta por 
duas partes: 
• Lesão de Ghon: tuberculoma parenquimal calcificado 
 Nó hiliar calcificado ipsilateral 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
• Achados radiológicos TB pulmonar primária 
o Lesão inicial pode evoluir para doença clinica 
o Pode ocorrer: 
o Pneumonia lobar associada a adenomegalia hilar unilateral 
o Linfoadenopatia mediastinal: pp cças 
o Atelectasia 
o Derrame pleural mais frequente em adultos, unilateral 
o Cavitação é rara 
o Tb miliar 
o Em cças ou imunosuprimidos a tb primária pode evoluir rapidamente para dç clinica. 
A lesão inicial aumenta de tamanho e pode evoluir de várias maneiras: derrame 
pleural (invsão do bacilo na pleura a partir do foco inicial subpleural). Nos casos 
graves pode ocorrer aumento rápido com necrose central e cavitação. 
Complexo de Ranke 
SOFIA HELENA VITTE 
TURMA 60 
EXAMES 
2020.2 
 
99 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
• Tuberculose pós-primária: Habitualmente acometimento dos segmentos apicais e 
posteriores dos lobos superiores e segmentos superiores do lobos inferiores. 
• Pequenos infiltrados até doença cavitária extensa 
• Pode se apresentar como pneumonia: consolidação irregular, mal delimitada 
• 20-50% evoluem com cavitação 
• Derrame pleural: disseminação para a cavidade pleural 
• SPLS: segmentos posteriores lobos superiores 
• habitualmente nos segmentos apicais e posteriores dos lobos superiores onde a tensão de 
oxigênio média é consideravelmente mais alta 
• Com a formação de cavidades, o conteúdo necrótico liquefeito é em última análise, 
liberado nas vias respiratórias e pode sofrer disseminação broncogenica resultando em 
lesões-satélites dentro dos pulmões que, por sua vez podem sofrer cavitação 
 
Derrame pleural- TBC primária 
SOFIA HELENA VITTE 
TURMA 60 
EXAMES 
2020.2 
 
100 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
• Cavitação na TB: Cavidades podem ser únicas ou múltiplas, grandes ou pequenas 
• A doença cavitária do lobo superior bilateral é comum. 
• Paredes finas, lisa na margem interna, pouco frequente nível hidroaéreo 
 
• Carcinoma: parede cavidade é irregular ou nodular 
• TB: segmentos superiores dos lobos superiores e inferiores 
• Klebsiella: lobos superiores 
• Cistos bronquiectasias: lobos inferiores 
 
 
SOFIA HELENA VITTE 
TURMA 60 
EXAMES 
2020.2 
 
101 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
• TB miliar: Apresentação incomum mal prognóstico 
• Disseminação hematogênica 
• Forma mais grave+ intersticial= TB miliar 
• Ocorre tanto na dç primária como pós primaria 
• Bilateral 
• Inicio insidioso: febre, calafrios, sudorese noturna 
• Pode levar semanas até a apresentação radiológica 
• Associa-se com causas de imunodepressão: HIV, Insuficiência Renal, Diabetes Melitus e 
neoplasias 
• Achados radiológicos: Sombras miliares: opacidades ± 2mm de diâmetro 
• Densidades miliares são vistas também em: antracose, sarcoidose, eosinofilia tropical, 
alveolite fibrosante, alveolite alérgica, histoplasmose, coccidioidomicose, blastomicose, 
criptococose, metástases pulmonares. 
Bronquiectasia secundária à tuberculose 
SOFIA HELENA VITTE 
TURMA 60 
EXAMES 
2020.2 
 
102 
 
•