A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
102 pág.
EXAMES

Pré-visualização | Página 9 de 10

sinal da silhueta quando em contato com coração, aorta ou 
diafragma 
 
 
 
 
 
Pneumonia LM 
SOFIA HELENA VITTE 
TURMA 60 
EXAMES 
2020.2 
 
92 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Pneumonia LID 
Língula 
SOFIA HELENA VITTE 
TURMA 60 
EXAMES 
2020.2 
 
93 
 
 
 
 
• Padrão segmentar: Múltiplos focos de condensação de distribuição difusa, com 
aspecto algodonoso, tendem a ser confluentes com margens mal definidas 
• Pode existir redução do volume (atelectasias subsegmentares) devido ao 
preenchimento bronquico por exsudatos 
• Geralmente sem broncogramas aéreos. 
• A distribuição é muitas vezes bilateral e assimétrica 
• Pode ocorrer associado derrame pleural, empiema, pneumatocele 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Abaulamento cissura sugestiva de pneumonia por klebsiella 
 
SOFIA HELENA VITTE 
TURMA 60 
EXAMES 
2020.2 
 
94 
 
 
 
• Pneumatocele: cavidade pulmonar cística de paredes finas 
• Pneumonia por stafilo: pneumatocele: geralmente cistos (paredes finas) em locais onde 
anteriormente existia consolidação parenquimatosa. Podem cursar tbem com cavidades. 
• Pneumatocoeles são espaços cheios de ar intrapulmonares císticas que podem ter uma 
variedade de tamanhos e aparências. Eles podem conter níveis líquidos e são geralmente 
o resultado de lesão pulmonar induzida por ventilador em recém-nascidos ou pós-
pneumônica. Eles não devem ser confundidos com uma massa de cavitação pulmonar. 
mbora pneumatoceles são vistos em todos os grupos etários, são mais frequentes na 
infância 1. 
A maioria dos pneumatocoeles ocorrem como resultado de uma pneumonia 
(pneumatocoele pós pneumotic). 
Três teorias principais foram apresentadas para explicar a formação de pneumatocoeles 1: 
Overinflation pulmonar causada por obstrução brônquica transitória / bronquiolar e um 
efeito de bola de válvulas. 
Drenagem do parênquima pulmonar necrosado com o alargamento posterior secundária a 
um efeito bola-válvula. 
Coleções focais de ar dentro do interstício pulmonar seguintes inflamação e necrose da 
parede das vias aéreas e formação de fístulas com a pleura. 
Quando madura, pneumatoceles aparecer espaços císticos paredes finas dentro do 
parênquima pulmonar, contendo ar. No entanto, é importante lembrar que, como eles 
ocorrem geralmente no contexto da infecção, o seu aspecto pode variar, consoante a fase 
em que elas são gravadas. Eles tendem a aparecer dentro da primeira semana de infecção 
e têm geralmente resolvido por semana seis. Se eles são visualizados durante a formação, 
que pode ser em torno da consolidação e ser difícil de distinguir de abcesso. Algumas 
características tornam o diagnóstico de uma pneumatocoele mais provável do que um 
SOFIA HELENA VITTE 
TURMA 60 
EXAMES 
2020.2 
 
95 
 
abcesso: margens interiores lisas,contêm pouco ou nenhum fluido,parede (se visível) é fina 
e regular,persistem apesar da ausência de sintomas 
• Diagnóstico diferencial: O diferencial é geralmente a de cavitação massas pulmonares e 
outras lesões pulmonares de ar que contém. abscesso pulmonar pode ser difícil distinguir 
paredes mais espessas irregulares deve resolver como os sintomas desaparecerem. 
Malformação adenomatóide cística congênita (CCAM) sequestro pulmonar infectado. Em 
um paciente mais velho, o diagnóstico diferencial para uma lesão de cavitação pulmonar 
incluem:cavitante câncer de pulmão, metástase pulmonar cavitação, cisto hidático, 
pneumotórax loculated, grande bolha enfisematosa 
• Quadro clínico: Apresentação clinica : afebril ou febre baixa, tosse seca e dispnéia 
importante. 
• Ausculta pulmonar pobre entretanto geralmente com sintomas extrapulmonares: dores 
articulares, rash cutâneo, inflamação membrana timpânica, etc. 
• Quadro radiológico variável: maioria das vezes infiltrado intersticial porém o 
preenchimento alveolar pode ser observado 
• Causas mais comuns: Vírus, Mycoplasma pneumoniae e Chlamydia pneumoniae 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
• Raio-X: Inflamação do interstício e septos interlobulares: aspecto reticular (fino) 
• Casos de pneumonia intersticial eventualmente disseminam para os alveolos 
adjacentes e produzem doença do espaço aéreo, tornando impossível reconhecer 
natureza intersticial da penumonia 
• Não respeita limites lobares ou segmentares 
• Não há variação de volume 
 
SOFIA HELENA VITTE 
TURMA 60 
EXAMES 
2020.2 
 
96 
 
 
 
 
 
 
 
Kk 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
P carini: bilateral, centralmente 
localizada, intersticial. Sem a história 
do paciente pode ser confundida 
com edema intersticial, processo 
fibrótico crônico como sarcoidose. 
Entretanto não existe derrame 
pleural (edema intersticial) ou 
linfadenopatia mediastinal ( 
sarcoidose) 
 
Tuberculose pulmonar 
 
SOFIA HELENA VITTE 
TURMA 60 
EXAMES 
2020.2 
 
97 
 
• Doença infecciosa causada por bactérias do complexo Mycobacterium tuberculosis 
• Pode infectar virtualmente qualquer órgão ou sistema, mas apresenta clara preferência 
para o pulmão 
• Após a infecção: tb primária 
• + cças e imunodeprimidos 
• Pode ser severa e disseminada 
• Re ativação foco latente: pós primaria 
• Probabilidade da infecção: número de bacilos infectantes, sua virulência e a reação de 
hipersensibilidade que ela provoca é inversamente proporcional à resistência natural e 
adquirida do organismo infectado. 
• A minoria dos infectados, adoecerão 
• Raio x tórax: realizar em todos os suspeitos 
• Raio x pode ser normal 
• TC tórax: 
• Nas imagens atípicas 
• Nas formas miliares (> precisão do infiltrado micronodular e avaliação do mediastino) 
• Nos casos suspeitos com BAAR (-) e raio X de tórax insuficiente para o diagnostico 
• Facilita a diferenciação entre TB pulmonar, CA de pulmão e outras doenças 
granulomatosas 
• Embora o quadro clássico seja de doença do lobo superior com infiltrados e cavidades 
pode-se observar praticamente qualquer padrão radiológico - desde um raio x normal ou 
um nódulo pulmonar, nódulo solitário, infiltrados alveolares difusos em um paciente com 
síndrome do desconforto respiratório agudo. 
• Lesões granulomatos (tubérculos). Essas lesões consistem em acúmulos de linfócitos e 
macrófagos ativados que evoluem para morfologias de células epitelioides e células 
gigantes. A principio. a resposta de lesA0 tecidual pode limitar o crescimento das 
micobactlrias no interior dos macrófagos. Conforme assinalado anteriormente. essa 
resposta. mediada por diversos produtos bacterianos. não apenas destrói os macrófagos 
como também provoca necrose sólida precoce no centro do tubérculo. O BK não sobrevive 
nessas condições e nesse estágio algumas lesões podem cicatrizar por fibrose. com 
calcificação subsequente. enquanto ocorrem inflamação e necrose em outras lesões 
• A resposta imune celular é fundamental nesse estágio IniciaI. Na maioria dos individuos 
Infectados, os macrófagos locais são ativados quando antigenos bacilares processados 
pelos macrófagos estimulam os linfócitosT a liberar uma variedade de linfocinas. Esses 
macrófagos ativados agregam-se ao redor do centro da lesão e neutralizam efetivamente 
• os bacilos da tuberculose. sem causar destruição tecidual adicional. Na parte central da 
lesão. o material necrótico assemelhasse a queijo mole (necrose caseosa) - um fenômeno 
que também pode ser observado em outras afecções como neoplasias. Mesmo quando 
ocorre cicatrização bacilos viáveis podem permanecer dormentes no interior dos 
macrófagos ou no material necrtico durante muitos anos. Essas lesões cicatrizadas no 
parênquima pulmonar nos linfonodos hilares podem subsequentemente sofrer calcificação 
• O nódulo de Ghon é o primeiro granuloma tuberculoso. Geralmente ocorre na região 
subpleural do lobo médio (se for no pulmão direito) ou na região inferior do lobo superior ou 
superior do lobo inferior (se for no pulmão esquerdo), porque as regiões médias dos 
SOFIA HELENA VITTE 
TURMA 60 
EXAMES 
2020.2 
 
98