A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Pronomes Relativos - teoria

Pré-visualização | Página 1 de 2

PRONOMES RELATIVOS 
 
 São pronomes relativos aqueles que representam nomes já mencionados anteriormente e com os quais se 
relacionam. Introduzem as orações subordinadas adjetivas. Por exemplo: 
 
O racismo é um sistema que afirma a superioridade de um grupo racial sobre outros. 
(que afirma a superioridade de um grupo racial sobre outros = oração subordinada adjetiva). 
 
 O pronome relativo "que" refere-se à palavra "sistema" e introduz uma oração subordinada. Diz-se que a 
palavra "sistema" é antecedente do pronome relativo "que". 
 O pronome relativo "que" pode ser antecedido pelos pronomes demonstrativos "o", "a", "os", "as" (quando 
esses equivalerem a "isto", "isso", "aquele(s)", "aquela(s)", "aquilo".). Por exemplo: 
 
Não sei o que você está querendo dizer. 
 
 Às vezes, o antecedente do pronome relativo não vem expresso. Por exemplo: 
 
Quem casa, quer casa. 
 
Observe o quadro abaixo: 
 
 
 Note que: 
 
a) O pronome "que" é o relativo de mais largo emprego, sendo por isso chamado relativo universal. Pode ser 
substituído por "o qual", "a qual", "os quais", "as quais" quando seu antecedente for um substantivo. Por exemplo: 
 
O trabalho que eu fiz refere-se à corrupção. (= o qual) 
A cantora que acabou de se apresentar é péssima. (= a qual) 
Os trabalhos que eu fiz referem-se à corrupção. (= os quais) 
As cantoras que se apresentaram eram péssimas. (= as quais) 
 
b) O qual, os quais, a qual e as quais são exclusivamente pronomes relativos: por isso, são utilizados didaticamente 
para verificar se palavras como "que", "quem", "onde" (que podem ter várias classificações) são pronomes relativos. 
Todos eles são usados com referência à pessoa ou coisa por motivo de clareza ou depois de determinadas preposições. 
Por exemplo: 
 
Regressando de São Paulo, visitei o sítio de minha tia, o qual me deixou encantado. (O uso de "que" neste caso geraria 
ambiguidade.) 
 
Essas são as conclusões sobre as quais pairam muitas dúvidas? (Não se poderia usar "que" depois de "sobre".) 
 
c) O relativo "que" às vezes equivale a "o que", "coisa que" e se refere a uma oração. Por exemplo: 
 
Não chegou a ser padre, mas deixou de ser poeta, que era a sua vocação natural. 
 
Obs.: os pronomes relativos podem vir precedidos de preposição de acordo com a regência verbal dos verbos da 
oração. Por exemplo: 
 
Havia condições com que não concordávamos. (concordar com) 
Havia condições de que desconfiávamos. (desconfiar de) 
 
d) O pronome "cujo" não concorda com o seu antecedente, mas com o consequente. Equivale a "do qual", "da qual", 
"dos quais", "das quais". 
 
Por exemplo: 
 
Este é o caderno cujas folhas estão rasgadas. 
 (antecedente) (consequente) 
 
e) "Quanto" é pronome relativo quando tem por antecedente um pronome indefinido: tanto (ou variações) e tudo: 
 
Por exemplo: 
 
Emprestei tantos quantos foram necessários. 
 (antecedente) 
 
Ele fez tudo quanto havia falado. 
 (antecedente) 
 
f) O pronome "quem" refere-se a pessoas e vem sempre precedido de preposição. 
 
Por exemplo: 
 
É um professor a quem muito devemos. 
 (preposição) 
 
g) "Onde", como pronome relativo, sempre possui antecedente e só pode ser utilizado na indicação de lugar. Por 
exemplo: 
 
A casa onde (em que – na qual) morava foi assaltada. (ONDE – ideia de um verbo estático) 
 
Vou aonde (para onde) você vai. (AONDE = PARA ONDE (ideia para um verbo dinâmico) 
 
h) Na indicação de tempo, deve-se empregar "quando" ou "em que". Por exemplo: 
 
Sinto saudades da época em que (quando) morávamos no exterior. 
 
i) Podem ser utilizadas como pronomes relativos as palavras: 
 
- como (= pelo qual) 
 
Por exemplo: 
 
Não me parece correto o modo como você agiu semana passada. 
 
- quando (= em que) 
 
Por exemplo: 
 
Bons eram os tempos quando (em que – nos quais) podíamos jogar videogame. 
 
j) Numa série de orações adjetivas coordenadas, pode ocorrer a elipse do relativo "que". Por exemplo: 
 
A sala estava cheia de gente que conversava, (que) ria, (que) fumava. 
 
EMPREGO E FUNÇÃO DOS PRONOMES RELATIVOS 
 
 O estudo das orações subordinadas adjetivas está profundamente ligado ao emprego dos pronomes 
relativos. Por isso, vamos aprofundar nosso conhecimento acerca desses pronomes. 
 
1. Pronome Relativo QUE 
 
O pronome relativo "que" é chamado relativo universal, pois seu emprego é extremamente amplo. Esse 
pronome pode ser usado para substituir pessoa ou coisa, que estejam no singular ou no plural. Sintaticamente, o 
relativo "que" pode desempenhar várias funções: 
 
a) Sujeito: 
 
Eis os artistas que representarão o nosso país. 
 
b) Objeto Direto: 
 
Trouxe o documento que você pediu. 
 
c) Objeto Indireto: 
 
Está aqui o caderno de que preciso. 
 
d) Complemento Nominal: 
 
Estas são as informações de que ele tem necessidade. 
 
e) Predicativo do Sujeito: 
 
Você é o professor que muitos querem ser. 
 
f) Agente da Passiva: 
 
Este é o animal por que fui atacado. 
 
g) Adjunto Adverbial: 
 
O acidente ocorreu no dia em que eles chegaram. 
 
2. Pronome Relativo QUEM 
 
 O pronome relativo "quem" refere-se a pessoas ou coisas personificadas, no singular ou no plural. É sempre 
precedido de preposição, podendo exercer diversas funções sintáticas. Observe os exemplos: 
 
a) Objeto Direto Preposicionado: 
 
A Clarice, a quem admiro muito, influenciou-me profundamente. 
 
b) Objeto Indireto: 
 
Este é o jogador a quem me refiro sempre. 
 
c) Complemento Nominal: 
 
Este é o jogador a quem sempre faço referência. 
 
d) Agente da Passiva: 
 
O médico por quem fomos assistidos é um dos mais renomados especialistas. 
 
e) Adjunto Adverbial Companhia: 
 
A mulher com quem ele mora é grega. 
 
Pronome Relativo CUJO (s), CUJA (s) 
 
 "Cujo" e suas flexões equivalem a "de que", "do qual" (ou suas flexões "da qual", "dos quais", "das quais"), 
"de quem". 
 Estabelecem normalmente relação de posse entre o antecedente e o termo que especificam, atuando na 
maior parte das vezes como adjunto adnominal e em algumas construções como complemento nominal. Veja: 
 
a) Adjunto Adnominal: 
 
Não consigo conviver com pessoas cujas (das quais) aspirações sejam essencialmente materiais. 
 
b) Complemento Nominal: 
 
O livro, cuja (de que/ do qual) leitura agradou muito aos alunos, trata dos tristes anos da ditadura. 
 
Atenção: 
Não utilize artigo definido depois do pronome cujo. São erradas construções como: 
 
"A mulher cuja a casa foi invadida..." ou "O garoto, cujo o tio é professor..." 
Forma correta: "cuja casa" ou "cujo tio". 
 
4. Pronome Relativo O QUAL, OS QUAIS, A QUAL, AS QUAIS 
 
 "O qual"," a qual"," os quais" e "as quais" são usados com referência a pessoa ou coisa. 
 Desempenham as mesmas funções que o pronome "que"; seu uso, entretanto, é bem menos frequente e 
tem se limitado aos casos em que é necessário para evitar ambiguidade. 
 
Observe esses dois exemplos: 
 
a) Sujeito: 
 
Conhecemos uma das irmãs de Pedro, a qual trabalha na Alemanha. 
(Uma das irmãs de Pedro trabalha na Alemanha.) 
 
Conhecemos uma das irmãs e Pedro, a que trabalha na Alemanha. 
 (aquela) 
 
Nesse caso, o relativo a qual evita ambiguidade. Se fosse usado o relativo que, não seria possível determinar quem 
trabalha na Alemanha. 
 
b) Adjunto Adverbial: 
 
Não deixo de cuidar da grama, sobre a qual às vezes gosto de um bom cochilo. 
 
A preposição sobre, dissilábica, tende a exigir o relativo sob as formas " o / a qual", "os / as quais", rejeitando a forma 
"que". 
 
5. Pronome Relativo ONDE 
 
 O pronome relativo "onde" aparece apenas no período composto, para substituir um termo da oração 
principal numa oração subordinada. 
 Por essa razão, em um período como "Onde você nasceu?", por exemplo, não é possível pensar em pronome 
relativo: o período é simples, e nesse caso, "onde" é advérbio interrogativo. 
 Na língua culta, escrita ou falada, "onde" deve ser limitado aos casos em que há indicação de lugar físico, 
espacial. Quando