A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
Questões Brasil Indígena e Pré-colonial

Você está vendo uma pré-visualização

Pre-visualização do material Questões Brasil Indígena e Pré-colonial - página 1
Pre-visualização do material Questões Brasil Indígena e Pré-colonial - página 2
Pre-visualização do material Questões Brasil Indígena e Pré-colonial - página 3

Questões Brasil Indígena e Pré-colonial

edição), p. 6 
O texto acima afirma que 
 
a) o Brasil existe há milênios, embora só tenham surgido civilizações evoluídas em seu território após a chegada 
dos europeus. 
b) a história do que hoje chamamos Brasil começou muito antes da chegada dos europeus e conta com a 
contribuição de muitos povos que aqui viveram. 
c) as terras que pertencem atualmente ao Brasil são excessivamente grandes, o que torna impossível estudar 
sua história ao longo dos tempos. 
d) a Arqueologia se dedicou, nos últimos anos, a pesquisar o passado colonial brasileiro e seu vínculo com a 
Europa. 
e) os povos indígenas que ocupavam o Brasil antes da chegada dos europeus, foram dizimados pelos 
conquistadores portugueses. 
 
Questão-08 - (UFRN) 
 A partir dos primeiros contatos entre os europeus e os nativos da América Portuguesa, os povos indígenas que 
habitavam o litoral mudaram as suas relações com o meio ambiente. Essas novas relações estão representadas na 
gravura contida na obra de André Thevet, que esteve no Brasil entre 1555 e 1556. 
 
 EXERCÍCIOS BRASIL INDÍGENA E PRÉ-COLONIAL 
 
Gravura de André Thevet, 1575. Fonte: AZANHA, Gilberto; 
VALADÃO, Virgínia M. Senhores destas terras: os povos indígenas 
no Brasil: da colônia aos nossos dias. São Paulo: Atual, 1991, p. 13. 
 
Analisando a gravura e o contexto histórico ao qual ela remete, pode-se corretamente afirmar que a principal 
razão dessas mudanças foi 
 
a) a utilização de instrumentos e utensílios de origem europeia, que permitiram o início da exploração aurífera 
pelos índios. 
b) a imediata implantação do trabalho escravo, que exigiu a adequação dos nativos aos propósitos 
mercantilistas, então em vigor. 
c) a estratégica utilização da força de trabalho indígena, para suprir as necessidades mercantis dos 
conquistadores. 
d) o desmatamento da vegetação nativa, para a implantação da policultura, destinada a abastecer o mercado 
metropolitano. 
 
Questão-09 - (UEM PR) 
 "Os selvagens, em troca de algumas roupas, camisas de linho, chapéus, facas, machados, cunhas de ferro e demais 
ferramentas trazidas por franceses e outros europeus, cortam, serram, e racham, atoram e desbastam o pau–
brasil, transportando–o nos ombros nus às vezes de duas ou três léguas de distância, por montes e sítios 
escabrosos até a costa junto aos navios ancorados. Em verdade só cortam o pau–brasil depois que os franceses e 
portugueses começaram a frequentar o país; anteriormente, como me foi dito por um ancião, derrubavam as 
árvores deitando–lhes fogo." 
(LÉRY, Jean de. Viagem à terra do Brasil. São Paulo: Martins fontes, 1972, p.24). O texto acima mostra os 
primórdios das relações estabelecidas entre brancos e índios no Brasil. 
 
Sobre tais relações, assinale o que for correto. 
01. O texto mostra que a relação entre europeus e nativos percorreu um longo caminho até atingir, no século XIX, 
o respeito pela diversidade cultural que ainda hoje marca a relação entre brancos e índios. 
02. A chegada do colonizador desenvolveu nos índios novas necessidades que, para serem satisfeitas, obrigavam 
os nativos a cortar e transportar o pau–brasil até os navios europeus. 
04. A relação descrita no texto não eliminou o surgimento de outras formas de relação entre nativos e europeus. 
Dentre essas outras formas de relação, destaca–se a escravidão. 
08. As relações estabelecidas entre os colonizadores e os índios no Brasil Colônia tiveram como base, em um 
primeiro momento, o escambo. 
16. A extração de pau–brasil, com a utilização da mão–de–obra nativa, principal atividade econômica realizada no 
Brasil nas primeiras décadas após o descobrimento, não levou ao surgimento de núcleos habitacionais 
permanentes. 
 
 EXERCÍCIOS BRASIL INDÍGENA E PRÉ-COLONIAL 
Questão-10 - (FGV) 
 “A língua deste gentio, toda pela Costa, é uma: carece de três letras - não se acha nela F, nem L, nem R, cousa 
digna de espanto, porque assim não têm fé, nem lei, nem rei; e desta maneira vivem sem justiça e 
desordenadamente.” 
(Pero de Magalhães Gandavo, séc. XVI) 
 
A partir do extrato acima podemos afirmar tratar-se de um texto que: 
a) Subestima a cultura indígena; 
b) Respeita as especificidades das diferentes culturas; 
c) Está isento de valores; 
d) É de forte caráter relativista; 
e) Vê como completas as sociedades indígenas. 
 
Questão-11 - (UNICAMP SP) 
 Na América Portuguesa do século XVI, a política europeia para os indígenas pressupunha também a existência de 
uma política indígena frente aos europeus, já que os Tamoios e os Tupiniquins tinham seus próprios motivos para se 
aliarem aos franceses ou aos portugueses. 
(Adaptado de Manuela Carneiro da Cunha, Introdução a uma história indígena. 
São Paulo: Companhia das Letras/Fapesp, 1992, p. 18.) 
 
Com base no excerto e nos seus conhecimentos sobre os primeiros contatos entre europeus e indígenas no Brasil, 
assinale a alternativa correta. 
 
a) A população ameríndia era heterogênea e os conflitos entre diferentes grupos étnicos ajudaram a definir, de 
acordo com suas próprias lógicas e interesses, a dinâmica dos seus contatos com os europeus. 
b) O fato de Tamoios e Tupiniquins serem grupos aliados contribuiu para neutralizar as disputas entre franceses 
e portugueses pelo controle do Brasil, pelo papel mediador que os nativos exerciam. 
c) Os indígenas, agentes de sua história, desde cedo souberam explorar as rivalidades entre os europeus e 
mantê-los afastados dos seus conflitos interétnicos, anulando o impacto da presença portuguesa. 
d) As etnias indígenas viviam em harmonia umas com as outras e em equilíbrio com a natureza. Esse quadro foi 
alterado com a chegada dos europeus, que passaram a incentivar os conflitos interétnicos para estabelecer o 
domínio colonial. 
 
Questão-12 - (IFSC) 
 Nas primeiras décadas da chegada dos portugueses no Brasil (1500 a 1530), o governo português limitou-se a 
reconhecer a terra e preservar sua posse. É o chamado período pré-colonial. 
 
Sobre o início da colonização do Brasil, assinale a alternativa CORRETA. 
a) No primeiro momento, o governo português enviou expedições guarda-costas e exploradoras, bem como 
priorizou a construção de feitorias. 
b) O rei de Portugal ordenou a utilização da mão-de-obra africana na extração do pau-brasil. 
c) A providência imediata após o descobrimento foi a criação do governo geral, visando a descentralizar o 
poder político. 
d) O Brasil foi colonizado primeiro por invasores franceses, com o objetivo de dominar o comércio açucareiro. 
e) A fundação das atuais cidades do Rio de Janeiro e São Paulo fez parte do primeiro plano de ocupação 
elaborado em 1510. 
 EXERCÍCIOS BRASIL INDÍGENA E PRÉ-COLONIAL 
Questão-13 - (UNICAMP SP) 
 Em carta ao rei D. Manuel, Pero Vaz de Caminha narrou os primeiros contatos entre os indígenas e os portugueses no 
Brasil: “Quando eles vieram, o capitão estava com um colar de ouro muito grande ao pescoço. Um deles fitou o colar 
do Capitão, e começou a fazer acenos com a mão em direção à terra, e depois para o colar, como se quisesse dizer-nos 
que havia ouro na terra. Outro viu umas contas de rosário, brancas, e acenava para a terra e novamente para as 
contas e para o colar do Capitão, como se dissesse que dariam ouro por aquilo. Isto nós tomávamos nesse sentido, por 
assim o desejarmos! Mas se ele queria dizer que levaria as contas e o colar, isto nós não queríamos entender, porque 
não havíamos de dar-lhe!” 
(Adaptado de Leonardo Arroyo, A carta de Pero Vaz de Caminha. São Paulo: 
Melhoramentos; Rio de Janeiro: INL, 1971, p. 72-74.) 
Esse trecho da carta de Caminha nos permite concluir que o contato entre as culturas indígena e europeia foi 
a) favorecido pelo interesse que ambas as partes demonstravam em realizar transações comerciais: os 
indígenas se integrariam ao sistema de colonização, abastecendo as feitorias, voltadas ao comércio do pau-
brasil, e se miscigenando com os colonizadores.