A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
Questões Crise do Século XIV e Centralização do poder real

Pré-visualização | Página 3 de 4

d) Ao contexto de mortalidade causada pela peste negra, que se concentrou, exclusivamente, na França e na 
Itália. 
e) Ao contexto de peste negra que, dentre os doentes, fazia sucumbir, sobretudo, as crianças, por não 
contarem com remédio ou alívio algum. 
 
Questão 13 - (UNIOESTE PR) 
Durante o século XIV, a sociedade europeia lidou com os impactos da intitulada Peste Negra, sendo 
INCORRETO afirmar que 
a) a fome e as péssimas condições de higiene contribuíram para o avanço de epidemias e doenças na 
Europa, dentre elas a proliferação da Peste Negra. 
b) as pulgas de roedores, que disseminavam a doença, levaram pobres e ricos à morte, causando desespero, 
fuga e isolamento no intuito de evitar o contágio. 
c) a chamada Peste Negra dizimou mais de um terço da população urbana europeia. Muitas cidades 
desapareceram completamente, caracterizando a peste como uma epidemia urbana. 
d) Giovanni Bocaccio, ao vivenciar esse período, destacou em sua obra “Decameron”, o terror da epidemia 
em Florença e o questionamento dos preceitos religiosos. 
e) a indagação sobre a razão da doença apontava, para alguns, o castigo divino como possível causa da 
epidemia, levando muitas pessoas a se autoflagelarem e promover retiros de oração. 
 EXERCÍCIOS: 
 CRISE DO SÉCULO XIV E CENTRALIZAÇÃO DO PODER REAL 
 
Questão 14 - (Unifenas MG) 
Houve duas razões principais para a guerra. A primeira foi a pretensão de Eduardo III, rei da Inglaterra, ao 
trono francês. Em 1337, intitulando-se rei da França, iniciou a invasão a fim de fazer valer os seus direitos. A 
segunda causa da guerra era de natureza econômica. A Flandres, rica região produtora de tecidos, servia de 
disputa entre franceses e ingleses. 
 
Assinale a alternativa que aponta corretamente a guerra ao qual o texto faz referência. 
 
a) Guerra Santa. 
b) Guerra dos Cem Anos. 
c) Guerra das Duas Rosas. 
d) Guerra Franco-Prussiana. 
e) Guerra dos Reis. 
 
Questão 15 - (FGV) 
Guerra dos Cem Anos - Denominação dada a uma série de conflitos ocorridos entre a França e a Inglaterra no 
período 1337-1475. O termo, que vem sendo considerado impróprio, é uma criação moderna dos 
historiadores do século XIX, introduzido nos manuais escolares. (...) Alguns historiadores têm mesmo proposto 
que seja utilizada a expressão “cem anos de guerra” e não a tradicional. 
(Antônio Carlos do Amaral Azevedo, Dicionário de nomes, 
termos e conceitos históricos apud Luiz Koshiba, História: 
origens, estruturas e processos) 
 
Sobre essa guerra, é correto afirmar que 
 
a) decorreu diretamente da chamada Crise do Século XIV, pois a Inglaterra e a França tinham leituras 
divergentes da paralisia econômica que atingiu a Europa ocidental desde os primeiros anos desse século. 
b) resultou da imediata reação da França, aliada dos reinos de Castela e Aragão, à aliança econômica e 
militar entre a Inglaterra e Portugal, iniciando o mais sangrento conflito bélico da Europa moderna. 
c) desenrolou-se quase toda em território francês, com batalhas entremeadas por tréguas e períodos de 
paz, e as suas origens se ligam à sucessão do trono francês, também disputado pela Inglaterra. 
d) derivou da disputa por territórios recém-descobertos por franceses no norte da África, mas que eram 
estratégicos para a expansão da economia inglesa, já produtora de manufaturados. 
e) desenvolveu-se no contexto das reformas religiosas, obrigando cada nação europeia a se posicionar na 
defesa ou não do papado, fator principal do conflito bélico entre franceses e ingleses. 
 
Questão 16 - (UESPI) 
A guerra dos Cem Anos (1337-1453) tumultuou a vida política da Europa. De fato, essa guerra: 
a) envolveu a França e a Inglaterra, com a participação também decisiva da Espanha. 
b) quebrou a economia europeia, interrompendo todo comércio de especiarias com o Oriente. 
c) acabou com os privilégios da nobreza francesa e com a organização da monarquia constitucional. 
d) teve a participação da camponesa Joana D’Arc, integrada e atuante no exército francês. 
e) firmou a liderança política da Inglaterra, com a chegada do absolutismo de Henrique IV. 
 EXERCÍCIOS: 
 CRISE DO SÉCULO XIV E CENTRALIZAÇÃO DO PODER REAL 
 
Questão 17 - (UPE) 
A Guerra dos Cem Anos teve efeitos dos mais diversos na Europa medieval. Além da figura polêmica de Joana 
D’ Arc, a guerra trouxe influências nas relações de poder, consolidou a monarquia francesa, contribuindo para o 
enfraquecimento do feudalismo. 
As origens da guerra estão relacionadas com: 
a) o poder da religião católica e interferência do papa na ordem internacional da época. 
b) conflitos entre monarcas da França e da Inglaterra em torno de certos territórios da França. 
c) o misticismo religioso propagado por Joana D’ Arc. 
d) o crescimento do feudalismo na França e a busca da Inglaterra de terras para sua expansão. 
e) a falta de habilidade diplomática dos monarcas franceses com invasões sucessivas ao território inglês. 
 
Questão 18 - (EFOA MG) 
Na transição do feudalismo ao capitalismo, algumas pré-condições históricas e um conjunto de fatores se 
fizeram necessários. Das alternativas abaixo, assinale a que expressa o fator que NÃO esteve presente na 
desagregação do sistema feudal e na consequente constituição do sistema capitalista: 
a) O símbolo de riqueza passou a ser o dinheiro e não mais a posse da terra. 
b) A centralização do poder feudal foi substituída pela descentralização com a formação das monarquias 
absolutas. 
c) A passagem somente foi decisiva quando as revoluções políticas sancionaram juridicamente as mudanças. 
d) A evolução não se deu sem graves conflitos, muita violência no campo e nas cidades, na luta pela tomada 
do poder. 
e) Ao mesmo tempo em que surgiam características do novo regime, persistiam aspectos do regime anterior. 
 
Questão 19 - (UFAL) 
O Estado Moderno é fruto da própria fragmentação do mundo feudal. Os poderes dos senhores feudais sobre 
as terras proporcionavam uma força fragmentada sem um núcleo, cada feudo possuía sua autonomia política 
o que dificultava o poder centralizado do rei. 
Disponível em: http://www.primeiroconceito.com.br. Acesso em: 9 dez. 2013 (adaptado). 
 
A emergência do estado moderno foi o fruto de vários aspectos da Baixa Idade Média, que possibilitaram o 
crescente poder do rei com o apoio da burguesia comercial. Para centralizar maior poder, o Estado 
monárquico buscou 
 
a) atender as reivindicações dos senhores feudais, que formavam a base de sustentação da nobreza, sem a 
qual o poder do rei desapareceria. 
b) alianças com os servos para se contrapor a crescente força da nobreza feudal, que ameaçava o controle 
real sobre as terras dos feudos. 
c) o controle sobre questões de ordem fiscal, jurídica e militar. Em outros termos, o rei deveria ter 
autoridade e legitimidade suficientes para criar leis, formar exércitos e decretar impostos. 
d) conquistar novas terras, incorporando territórios vizinhos as suas posses e redistribuindo as novas terras 
com os senhores feudais. 
e) se afastar dos interesses dos senhores feudais, centralizando sua atenção no atendimento das 
necessidades do povo, uma forma de ganhar o apoio popular. 
 EXERCÍCIOS: 
 CRISE DO SÉCULO XIV E CENTRALIZAÇÃO DO PODER REAL 
 
Questão 20 - (UDESC SC) 
De modo geral, a historiografia considera o século XIV como aquele que assinala o início da crise do sistema 
feudal europeu. Sobre os fatores que contribuíram para configurar este cenário de crise do sistema feudal, 
assinale a alternativa incorreta. 
 
a) As reformas religiosas de Lutero e Calvino. 
b) A superexploração da terra e dos camponeses. 
c) A crise de abastecimento de alimentos que levou fome à Europa.