A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Questões Estado Moderno e Mercantilismo

Pré-visualização | Página 1 de 3

EXERCÍCIOS ESTADO MODERNO E MERCANTILISMO 
 
Questão-01 - (ENEM) 
 Ordena-se pela autoridade do Parlamento, que ninguém leve, ou faça levar, para fora deste reino ou Gales, ou qualquer 
parte do mesmo, qualquer forma de dinheiro da moeda desse reino, ou de dinheiro e moedas de outros reinos, terras 
ou senhorias, nem bandejas, vasilhas, barras ou joias de ouro guarnecidas ou não, ou de prata, sem a licença do rei. 
HUBERMAN, L. História da riqueza do homem. Rio de Janeiro: Zahar, 1978. 
 
A temática exposta no texto, referente à Inglaterra dos séculos XVI e XVII, caracteriza uma associação entre 
 
a) determinação de regras protecionistas e fortalecimento das instituições monárquicas. 
b) racionalização da empresa colonial e reconhecimento dos particularismos regionais. 
c) demarcação de fronteiras comerciais e descentralização dos poderes políticos. 
d) expansão das atividades extrativas e questionamento da investidura divina. 
e) difusão de práticas artesanais e aumento do controle do legislativo. 
 
Questão-02 - (ENEM) 
 A ocasião fez o ladrão: Francis Drake travava sua guerra de pirataria contra a Espanha papista quando roubou as tropas 
de mulas que levavam o ouro do Peru para o Panamá. Graças à cumplicidade da rainha Elizabeth I, ele reincide e 
saqueia as costas do Chile e do Peru antes de regressar pelo Oceano Pacífico, e depois pelo Índico. Ora, em Ternate ele 
oferece sua proteção a um sultão revoltado com os portugueses; assim nasce o primeiro entreposto inglês ultramarino. 
FERRO, M. História das colonizações. Das colonizações às independências. Séculos XIII a XX. 
São Paulo: Cia. das Letras, 1996. 
 
A tática adotada pela Inglaterra do século XVI, conforme citada no texto, foi o meio encontrado para 
 
a) restabelecer o crescimento da economia mercantil. 
b) conquistar as riquezas dos territórios americanos. 
c) legalizar a ocupação de possessões ibéricas. 
d) ganhar a adesão das potências europeias. 
e) fortalecer as rotas do comércio marítimo. 
 
Questão-03 - (Unifenas MG) 
 Em 1519, Hernán Cortés e seus conquistadores invadiram o México, até então um mundo humano isolado. Os astecas 
logo notaram que os forasteiros demonstravam um interesse extraordinário por um certo metal amarelo. A obsessão 
espanhola por ouro parecia inexplicável. O que havia de tão importante em um metal, que não podia ser comido, 
bebido ou tecido, e que era frágil demais para ser utilizado em ferramentas ou armas? Quando os nativos questionaram 
Cortés sobre o porquê de os espanhóis terem tanta paixão por ouro, o conquistador respondeu: “Por que eu e meus 
companheiros sofremos de uma doença do coração que só pode ser curada com ouro”. (YuvalNoahHarari, Sapiens Uma 
breve história da humanidade, L&PM Pocket, Porto Alegre, 2018, p. 236). 
 
No início da Idade Moderna, as medidas adotadas pelas Monarquias Absolutistas, como a Espanha, para 
conseguirem grande quantidade de ouro e prata definiram um importante modelo econômico. Trata-se do 
 
a) Modo de Produção Asiático. 
b) Capitalismo Industrial. 
c) Liberalismo Econômico. 
d) Sistema Monetário Medieval. 
e) Mercantilismo. 
 
 
 
 
 
 EXERCÍCIOS ESTADO MODERNO E MERCANTILISMO 
 
Questão-04 - (PUC SP) 
 A história do subdesenvolvimento da América Latina integra, como já se disse, a história do desenvolvimento do 
capitalismo mundial. Nossa derrota esteve sempre implícita na vitória alheia, nossa riqueza gerou sempre a nossa 
pobreza para alimentar a prosperidade dos outros: os impérios e seus agentes nativos. Na alquimia colonial e 
neocolonial, o ouro se transforma em sucata e os alimentos se convertem em veneno. 
Galeano, E. As Veias Abertas da América Latina; 8ª ed, Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1979 - p.14 
 
Eduardo Galeano, importante jornalista e intelectual uruguaio, se alinhava ao grupo dos pensadores de esquerda 
da América Latina. Percebem-se sinais desses elementos no fragmento acima. Esses sinais representam uma visão 
comum da historiografia latino-americana. Assinale a alternativa que melhor represente essa visão. 
 
a) A América Latina foi explorada pelos europeus desde o século XVI, para atender a uma demanda por mercados 
consumidores e matérias primas, com forte predomínio do trabalho assalariado. 
b) A visão que os europeus tinham da América condizia com a visão que tinham de si mesmos, prezando pelo 
respeito e alteridade, num claro movimento de equilíbrio comercial. 
c) A América “surgiu” no radar europeu para atender a uma lógica mercantilista, movida por lucros exorbitantes 
da Metrópole, a partir da exploração de suas Colônias. 
d) A América Latina foi ocupada, desde sempre, por elites estrangeiras que tinham o intuito de organizar suas 
atividades e administração coloniais no sentido estrito do livre comércio. 
 
Questão-05 - (PUCCamp SP) 
Em fins da década de 1780, navios negreiros haviam cruzado o Atlântico aos milhares, transportando milhões de 
escravos para plantations do Novo Mundo e ajudando a criar uma nova e pujante economia capitalista atlântica. De 
repente, em 1788-9, todos eles foram chamados de volta para casa por assim dizer, por abolicionistas, que 
tomaram consciência de que o que se passava nesses navios era moralmente indefensável e que a violência do 
tráfico devia ser conhecida em seus portos de origem, em Londres, Liverpool, Bristol – na Inglaterra; em Boston, 
Nova York e Filadélfia – nos Estados Unidos. 
(REDIKER, Marcus. O Navio negreiro: uma história humana. São Paulo, 2011, p. 314) 
 
 O comércio marítimo, interligando importantes portos de vários continentes, foi uma marca fundamental das práticas 
econômicas que caracterizaram o Mercantilismo. Dentre os princípios e práticas do Mercantilismo, destaca-se 
 
a) a mínima regulamentação da economia pelo Estado, uma vez que se incentivava o empreendedorismo e a livre 
concorrência comercial. 
b) o pacto colonial, que compreendia a adoção de medidas que asseguravam o exclusivismo da exploração das 
atividades econômicas da colônia por sua metrópole. 
c) o metalismo, conceito que representava a busca incessante por metais preciosos, principalmente no Novo 
Mundo, a fim de suprir os desejos de ostentação das burguesias mercantis. 
d) o superávit da balança comercial, expresso na prevalência das exportações sobre as importações, garantindo 
capital suficiente para o investimento no projeto de industrialização de base. 
e) a contenção de gastos públicos, pois se acreditava que o Estado deveria resguardar suas riquezas para os 
conflitos militares, cabendo à iniciativa privada ou à Igreja projetos de conquista e colonização. 
 
Questão-06 - (Unicentro PR) 
 Assinale a alternativa correta sobre as principais características do mercantilismo como política econômica do Estado 
Absolutista. 
 
a) Balança comercial favorável, bulionismo e sistema colonial. 
b) Liberalismo econômico, especulação financeira e balança comercial deficitária. 
c) Hegemonia da Igreja, contrarreforma e reforma protestante. 
d) Livre comércio, estado mínimo e incentivo ao empreendedorismo. 
e) Desemprego estrutural, degradação da natureza e flexibilização das leis trabalhistas. 
 EXERCÍCIOS ESTADO MODERNO E MERCANTILISMO 
 
Questão-07 - (Famerp SP) 
 A base comum das ideias mercantilistas consiste na atuação de dois novos fatores: os Estados modernos nacionais, ou 
seja, as monarquias absolutas, e os efeitos de toda ordem provocados pelas grandes navegações e descobrimentos 
sobre a vida das sociedades europeias. 
(Francisco Falcon. Mercantilismo e transição, 1986. Adaptado.) 
 
Os dois fatores mencionados no texto expressam-se, respectivamente, 
 
a) no intervencionismo econômico dos Estados modernos e no aumento dos metais nobres entesourados. 
b) na redução significativa do comércio interno europeu e na colonização da América e da África. 
c) no desenvolvimento de teorias voltadas à defesa do livre comércio e na política de degredo de encarcerados. 
d) na difusão das ideias sociais libertárias e no aperfeiçoamento