A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Questões Interiorização da colonização

Pré-visualização | Página 2 de 3

o traçado de fronteira que praticamente risca como definitivo o desenho do território 
brasileiro de hoje. 
(Ruy Moreira. A formação espacial brasileira, 2014. Adaptado.) 
 
Considerando o processo de ocupação do espaço brasileiro, os vetores que propiciaram uma nova fronteira e 
o estabelecimento de pequenos aglomerados no interior do território foram 
a) a borracha e as rotas de procura por matéria-prima. 
b) a plantation e a construção de entrepostos para o transporte. 
c) a mineração e o comércio informal de ouro. 
d) as expedições bandeirantes e as trilhas do gado. 
e) as missões jesuíticas e a instalação de núcleos comerciais. 
 
 
 EXERCÍCIOS: INTERIORIZAÇÃO DA COLONIZAÇÃO 
Questão-10 - (UFPB) 
 A expansão territorial no Brasil Colônia teve várias formas e direções. 
Sobre esta expansão, assinale com V as afirmativas verdadeiras e com F, as falsas: 
 
( ) A conquista do sertão nordestino teve como principal impulso a criação de gado direcionada para o 
mercado interno da Colônia. 
( ) A ocupação da área norte teve como componente estratégico o interesse dos portugueses e de seus aliados 
ingleses no controle do mercado de couros. 
( ) O expansionismo na área sul teve como motivação a extração de recursos naturais, principalmente as 
chamadas drogas do sertão. 
( ) A expansão para o interior das áreas centro-sul e centro-oeste teve como estímulos a busca por metais e 
pedras preciosas e a caça aos índios para sua utilização como mão-de-obra. 
 
A sequência correta é 
a) V V V F 
b) V F F V 
c) V V V V 
d) V F V F 
e) F F F F 
 
Questão-11 - (FUVEST SP) 
 “Os que trazem [o gado] são brancos, mulatos e pretos, e também índios, que com este trabalho procuram ter 
algum lucra. Guiam-se indo uns adiante cantando, para serem seguidos pelo gado, e outros vêm atrás das reses, 
tangendo-as, tendo o cuidado que não saiam do caminho e se amontoem." 
(Antonil, Cultura e opulência do Brasil, 1711.) 
O texto expressa uma atividade econômica característica: 
a) Do sertão nordestino, dando origem a trabalhadores diferenciados do resto da colônia. 
b) De regiões canavieiras onde se utilizava mão-de-obra disponível na entressafra do açúcar. 
c) De todo o território da América portuguesa onde era fácil obter mão-de-obra indígena e negra. 
d) Das regiões do nordeste, produtoras de charque, que empregavam mão-de-obra assalariada. 
e) Da sul da colônia, visando abastecer de carne a região açucareira do nordeste. 
 
Questão-12 - (UFPR) 
 Aqui no Brasil tratou-se desde o início de aproveitar o índio, não apenas para obtenção dele, pelo tráfico 
mercantil, de produtos nativos, ou simplesmente como aliado, mas sim como elemento participante da 
colonização. Os colonos viam nele um trabalhador aproveitável; a metrópole, um povoador para a área imensa 
que tinha de ocupar, muito além de sua capacidade demográfica. Um terceiro fator entrará em jogo e vem 
complicar os dados do problema: as missões religiosas. 
(PRADO JÚNIOR, Caio. A formação do Brasil Contemporâneo.São Paulo: Brasiliense, 1963, p. 91.) 
Baseando-se no trecho acima sobre o trabalho indígena no Brasil Colônia, assinale a alternativa correta. 
a) Os indígenas serviram como um elemento ativo e fundamental na colonização da região Nordeste, 
enquanto na região Centro-Sul sua mão de obra foi utilizada de maneira escassa. 
b) Os jesuítas segregavam os indígenas em aldeias, para evitar a escravização da mão de obra nativa durante 
a colonização portuguesa. 
c) Os colonizadores espanhóis, ao contrário dos portugueses, não utilizaram a mão de obra indígena, 
constituindo uma sociedade baseada na colonização de povoamento. 
d) O tipo de trabalho executado pelos indígenas era bastante rudimentar, e a dependência da metrópole em 
relação a essa mão de obra provocou atraso econômico e cultural para a colônia brasileira. 
e) Com o início do tráfico de escravos africanos, a mão de obra indígena deixou de ser utilizada no processo 
de colonização. 
 EXERCÍCIOS: INTERIORIZAÇÃO DA COLONIZAÇÃO 
Questão-13 - (ESPM SP) 
 As incursões dos bandeirantes paulistas às missões dos jesuítas castelhanos do Guairá multiplicaram-se a partir 
do século XVII. Paulistas e guerreiros tupiniquins enveredavam pelo Caminho do Peabiru, velha trilha tupi, rumo 
ao Guairá, território situado entre os rios Paranapanema, Iguaçu e Paraná. Nessa região de posse duvidosa, dado 
que os portugueses sempre consideraram que a linha de Tordesilhas passava pelo estuário do Prata, os jesuítas 
espanhóis haviam criado entre 1622 e 1628 onze missões. 
(Adriana Lopez e Carlos Guilherme Mota. História do Brasil: uma interpretação) 
 
Quanto ao assunto tratado no texto é correto assinalar: 
a) as incursões dos bandeirantes às missões jesuítas visavam apresar indígenas aldeados em grupos 
numerosos e habituados ao trabalho rural; 
b) nessas incursões não havia nenhuma participação de indígenas entre os integrantes das bandeiras; 
c) o objetivo primordial dos bandeirantes paulistas era apresar “negros da terra” para a exportação dessa 
mão de obra para a Europa; 
d) os ataques dos bandeirantes paulistas aos jesuítas castelhanos eram uma resposta contra a postura da 
Espanha que naquele momento apoiava a invasão holandesa ao Brasil; 
e) as incursões dos bandeirantes paulistas contra as missões jesuíticas de Guairá e Tapes ocorreram após o 
Tratado de Madri. 
 
Questão-14 - (Fac. Cultura Inglesa SP) 
 O emprego de mão de obra indígena e a catequese foram práticas utilizadas na colonização da América 
Portuguesa. 
Como resultado da combinação dessas práticas, 
a) os indígenas eram respeitados por todos, pois os reis portugueses viam a catequização como sua principal 
missão no Novo Mundo. 
b) os indígenas eram explorados pela Igreja e trabalhavam como escravos nas missões, embora a coroa 
portuguesa tentasse protegê-los. 
c) os indígenas eram vistos pelos colonizadores como uma opção de mão de obra escrava, o que provocou 
diversos conflitos com a Igreja. 
d) a coroa portuguesa desistiu da escravização dos indígenas, pois eles eram preguiçosos e não trabalhavam 
adequadamente. 
e) a Igreja e os colonizadores trabalharam juntos para civilizar os indígenas, promovendo a paz e a harmonia 
no Novo Mundo. 
 
Questão-15 - (IFGO) 
 No começo do século XIX, os bandeirantes foram considerados, pelos pensadores ligados às elites paulistas, uma 
espécie de heróis nacionais que representavam modelos de conduta, de moralidade, de abnegação e de luta 
contra as adversidades. 
No século XVIII, bandeirante e o bandeirantismo estão associados 
 
a) à necessidade de encontrar outras regiões que oferecessem o pau-brasil que, no século XVIII, teve sua 
demanda aumentada na Europa. 
b) à ampliação das áreas de comercialização no interior da colônia portuguesa como claro objetivo de criar 
um mercado interno desenvolvido. 
c) ao processo de interiorização da ocupação da colônia portuguesa na América e à busca por metais 
preciosos. 
d) à busca por regiões que pudesse oferecer melhores condições de plantio para a cultura de café que se 
expandia em São Paulo. 
 
 
 EXERCÍCIOS: INTERIORIZAÇÃO DA COLONIZAÇÃO 
Questão-16 - (UFPR) 
 “(...) a aldeia é um espaço escolhido e organizado pelo próprio índio, e ‘o aldeamento é resultado de uma 
política feita por vontade dos europeus para concentrar comunidades indígenas’." (Aldeias que não estão no 
mapa. Entrevista com a Profa. Dra. Nanci Vieira de Oliveira por Maria Alice Cruz. Jornal da Unicamp. 197, 
novembro de 2002, p.5.). 
A afirmação acima refere-se aos aldeamentos missionários e às transformações que eles trouxeram à vida dos 
indígenas no período colonial da América portuguesa. Os objetivos das missões jesuíticas eram 
a) a catequese e a escravidão dos indígenas como mão-de-obra para a monocultura, o que implicou para os 
índios a mestiçagem com os escravos negros e a modificação de sistema de trabalho e