A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Pessoa Natural

Pré-visualização | Página 1 de 2

· A pessoa natural é o ser humano.Pessoa Natural 
· Segundo a lei adquiri personalidade civil quando nasce, mas a lei deixa a salvo os direitos do nascituro. 
- nascituro: é o ser já concebido mais que ainda não nasceu.
· Teoria: 
- Natalista: adotada no Brasil, a personalidade da pessoa so começa com o nascimento com vida( condição), assegura a o nascituro a vida, saúde. O nascituro é mera expectativa de vida.
- Concepcionista: o nascituro adquiri personalidade desde a concepção, assegura a ele direitos fundamentais e patrimoniais. 
· São absolutamente incapaz os menores de 16 anos, tem capacidade de direito mas não tem capacidade de exercício. 
+ precisão de um representante para exercer por eles os atos da vida civil.
+ representantes:
 - pais
- tutores: quando a criança não tem pai, ou os pais perderam o poder sobre o filho. 
· São relativamente incapazes( aqueles que precisam de um assistente para os atos da vida civil): 
· Maiores de 16 e menores de 18 são assistidos por pais ou tutores.
· Ebriohs habituais ( viciados em bebidas) e viciados em tóxicos, são assistidos por um curador( são assistente dos maiores relativamente incapaz).
· Ou aqueles que por causa transitória não puderam exercer essa vontade como os deficientes mentais, pessoas em estado de coma, são assistidos por curadores.
· Os pródigos àqueles que dilapidam o seu patrimônio, assistidos por curador.
· A incapacidade é cessada através da emancipação (antecipação da capacidade) que se da seguinte maneira.
· Casamento, tendo 16 anos completo e autorização dos pais, se chegar a divorciar continua sendo capaz. 
· Exercício em cargos públicos 
· Colação de grau em ensino superior( universidades)
· Economia própria 
· A emancipação pode ser:
· Voluntaria: consentimento dos pais 
· Judicial: pelo juiz
· Legal: quando completa 18 anos.
· Tutela: encargo conferido a uma pessoa jurídica para administrar os bens de crianças e adolescentes. Curatela: encargo conferido a uma pessoa jurídica para administrar os bens de maiores de 18 anos.
· A menoridade cessa aos 18 anos completo 
· A existência da pessoa natural termina pela morte:
· Morte real: existe um corpo, morte biológica. 
· Morte presumida: presume a morte não se tem um corpo, ex: acidente de avião.
· Morte presumida por declaração de ausência: quando a pessoa desaparece e não deixa noticia, é aberto um processo judicial de ausência. 
· Morte presumida sem declaração de ausência:
· 1º: quando é extremamente provável a morte de quem estava em perigo de vida, ex: acidente de avião. 
· 2º: alguém desaparece em campanha ou feito prisioneiro, não for encontrado ate dois anos após o fim da guerra. 
· A declaração da morte presumida somente poderá ser requerida depois de esgotadas as buscas e averiguações, fixando a data provável da morte. A decisão é reversível se encontrada a pessoa. 
· Comorriência ou morte simultânea: quando duas ou mais pessoas vem a falecer em uma mesma situação e não se sabe quem morreu primeiro.~
· Não a transmissão de direitos entre os comorientes mesmo que este sejam pai e filhos.
· São registrados em registro publico:
· Nascimento, casamento e óbito;
· Emancipação;
· Interdição por incapacidade absoluta;
· Sentença declaratória de ausência e morte presumida;
· Modifica-se em registro publico, ou seja, ocorre uma averbação em divorcio, atos jurídicos e extraconjugais.
· Direito da personalidade é o direito que a pessoa tem de defender os direitos da sua própria existência.
· Os direitos da personalidade são intransmissíveis e irrenunciáveis.
· Intransmissíveis: pertencem a seu titular, não pode ser transferido para outro. Ex: o nome
· Irrenunciáveis: o seu titular não pode abrir mão. Ex: vida
· Absolutos: são erga omnes ( são oponíveis contra todos), impõem a coletividade o dever de respeita-los. 
· Imprescritível: não pode ser exercida a qualquer tempo.
· Vitalícios: acompanha a pessoa desde a data do nascimento ate a sua morte. 
· Geral: recai sobre todos 
· Indisponível: algo que não se pode dispor, ou seja, não pode passar para outro.
· Direito da personalidade é direito subjetivo, ou seja, é o direito de defender os direitos inerentes a sua pessoa.
· Medidas de proteção ao direito da personalidade:
· Preventivas: prevenir que ocorra lesão. Ex: impedir a publicação de uma biografia não autorizada. 
· Cominatória: aplicar multa quando se tem uma lesão. Ex: multa pra quem diariamente veicula vídeos proibidos na internet. 
· Repressiva: reprimir a lesão a esse direito. Ex: suspender inscrição do nome da pessoa no SERASA. 
· Em se tratando do morto, a medida preventiva é realizada pelo cônjuge sobrevivente ou qualquer parente em linha reta ou colateral ate o 4º.
· Há disposição do próprio corpo para fins de transplantes na forma estabelecida em lei, ou por indicação medica. 
· A disposição gratuita do seu próprio corpo em todo ou em parte, é valida para depois da sua morte com o objetivo cientifico ou altruístico. 
· Cientifico: universidades.
· Altruístico: doação de órgãos. 
· Esse ato de dispor o corpo após a morte pode ser revogado a qualquer tempo. 
· Ninguém pode ser constrangido a submeter-se ,com risco de vida, a tratamentos médicos ou intervenção cirúrgica.
Principio da autonomia da vontade
(ninguém é obrigado a nada)
· Toda pessoa tem direito ao nome, sobrenome e prenome.
· Prenome: pertence a própria pessoas, mas fácil de alterar. Ex: Joao, Maria Rita. 
· Sobrenome: pertence à família da qual descende. Ex: Sousa Silva.
· Agnome: adotado para pessoas que tem o mesmo nome, ex; Júnior, neto, filho.
· Alteração do prenome:
· Quando expõe a pessoa ao ridículo
· Erro de grafia 
· Homonímia
· Apelido publico e notório 
· Adoção durante a maioridade 
· Quando a pessoa é conhecida por outro nome
· Por motivos de ameaça 
· Transgênero- nome social 
· Alteração do sobrenome:
· Casamento 
· União estável 
· Divorcio ou separação 
· Adoção 
· Paternidade e maternidade sócio afetiva
· O nome da pessoa não pode ser utilizado por outrem em publicação que a exponha ao desprezo publico. 
· Não se pode utilizar nome de outrem em propagandas comerciais sem a sua autorização. Ex: TV, Radios 
· O pseudônimo adotado pela pessoa terá a mesma proteção que se da ao nome. Ex: xuxa, Pelé, Zico, Kaká
· A transmissão da palavra, a exposição e utilização da imagem de uma pessoa poderão ser proibidas quando atingir sua honra, boa fama e respeitabilidade.
· Se tratando do morto requer ao cônjuge, ascendentes ou descendentes, recorrer essa proteção.
· A vida da pessoa privada é inviolável
· A ausência ocorre quando uma pessoa desaparece do seu domicilio sem deixar noticias, o juiz nomeara um curador para administrar os bens do ausente. 
· Se a pessoa deixou um procurador, o juiz ira nomear um curador se 
· O procurador não quiser exercer o mandato 
· Se o procurado não puder exercer 
· Os poderes do curador forem insuficientes 
· O juiz que nomear um curador, fixa a ele poderes e obrigações. 
· O cônjuge desde que não esteja separado judicialmente ou por mais de 2 anos, será o seu curador.
· Em falta do cônjuge, será o curador seu ascendente ou descendente. 
· Sendo descendentes o mais próximos precedem os remotos; 1º filhos, 2ºneto, 3ºbisneto. 
· Na falta de cônjuge, ascendentes e descendentes, o juiz escolherá um curador (irmão, tio, amigo...).
· Se passado três anos, poderão os interessados (cônjuge, herdeiros, credores, os que têm direito dependendo da morte do ausente) declarar ausência e abrir a sucessão provisória. 
· A sentença que determina a abertura da sucessão provisória só produzira efeitos 180 dias depois de publicada.
· Abertura de testamento 
· Partilhar bens 
· O herdeiro para se imitirem na posse dos bens do ausente, darão garantias. 
· Aquele que tiver direito, mas não puder prestar garantias será excluído.
· A alienação dos bens do ausente se da: por ordem judicial, para evitar ruinas.
· O sucessor provisório ficara representando o ausente ativamente de modo que recorrer contra eles as ações pendentes e futuras. 
· O ausente tem bens que tem frutos e rendimentos: