A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
17 pág.
Resumo de Músculos - Anatomia

Pré-visualização | Página 4 de 6

do dorso: 
1. Músculo serrátil posterior 
1.1. Músculo serrátil posterior superior (abaixo do rombóide): 
- Origem: ligamento nucal, processos espinhosos de C7 a T3; 
- Inserção: margens superiores das costelas 2 a 4; 
- Ação: elevação das costelas (propriocepção); 
- Inervação: 2º a 5º nervos intercostais. 
1.2. Músculo serrátil posterior inferior (abaixo do latíssimo do dorso): 
- Origem: processos espinhosos das vértebras T11 a L2; 
- Inserção: margens inferiores das costelas 8-12 perto de seus ângulos; 
- Ação: abaixa as costelas (propriocepção); 
- Inervação: ramos anteriores dos nervos espinais torácicos T9 a T12. 
• Músculos próprios do dorso - agem no dorso si, na manutenção da postura 
Camada superficial - 
Grupo de músculos espinotransversais 
Mm. esplênios da cabeça e do pescoço: 
1. Músculo esplênio da cabeça (direito e esquerdo): 
- Origem: processos espinhosos das vértebras C7 a T5; 
- Inserção: processo mastoideo e linha nucal superior; 
2. Músculo esplênio do pescoço: 
- Origem: processos espinhosos das vértebras T3 a T6; 
- Inserção: tubérculos/ proc transversos dos processos das vértebras C1- C3 ou C4; 
* Esplênio da cabeça: juntos - movem a cabeça para trás, estendendo a cabeça e o pescoço; unilateralmente - mov de 
rotação do mesmo lado; 
* Esplênio do pescoço: juntos - estendem o pescoço; agindo sozinhos: giram a cabeça para o lado dos músculos 
ativos (rotação homolateral); 
Inervação: ramos posteriores dos nervos espinais C1- C8. 
Camada intermédia - 
Mm eretores da espinha -> mov de extensão da coluna vertebral 
~ do lateral p/ medial 
1. M. iliocostal do lombo (partes lombar e tóracica) m. iliocostal do pescoço; 
2. M. longuíssimo (tórax; pescoço e cabeça); 
3. M. espinal (tórax; pescoço e cabeça*). 
 *Geralmente se unem com o semiespinal da cabeça). 
- Ação: estendem (retificam) o tronco fletido (coluna vertebral) e cabeça. 
 
Grupo de mm. transversoespinais 
Camada profunda - 
1. M. semiespinal da cabeça (*geralmente se unem com o espinal ) 
* Tem o semiespinal torácico e da cabeça -> estendem e giram coluna vertebral para o lado oposto. 
Ação: estende a cabeça e as regiões torácica e cervical da coluna vertebral e gira-as para o outro lado. 
2. M. multífidos (abaixo dos eretores) 
- Origem: face posterior do sacro; EIPS; ligamentos sacroilíacos; processos mamilares das vértebras lombares; 
processos transversos de T1 a T3; processos articulares de C4 a C7; 
- Inserção: Processo espinhoso de uma vértebra acima; 
- Ação: Extensão da coluna, inclinação e rotação para o lado oposto; 
- Inervação: ramos dorsais C3-S4. 
3. M. rotadores (abaixo dos multífidos) 
- Origem: processos das vértebras de lombares, torácicas e cervicais 
- Inserção: processos espinhosos da vértebra. 
- Ação: rotação da coluna vertebral para o lado oposto (ação unilateral); estende a coluna vertebral (ação conjunta); 
- Inervação: ramos dorsais T1-11. 
* Camada profunda menor (músculos segmentares) 
▪ Levantadores das costelas: Têm uma direção lateral oblíqua e descendente. 
- Origem: processos transversos das vértebras C7, T1 a T11. 
- Inserção: na costela entre o tubérculo e o ângulo. 
- Função: A contração eleva as costelas. 
▪ Interespinhais: é formado pelos segmentares verdadeiros do dorso, que passam entre os processos espinhosos 
adjacentes 
- Músculos curtos, pares, fixados aos processos espinhosos das vértebras adjacentes, uma a cada lado do lig. 
interespinhal. 
- Função: Extensão da coluna vertebral. 
▪ Intertransversários: Pequenos músculos entre os processos transversos das vértebras adjacentes. 
- Passam entre os processos transversos adjacentes. 
- Função: Ajudam na flexão lateral da coluna (ipsilateral); agindo bilateralmente estabilizam a coluna vertebral. 
 
Músculos suboccipitais 
 
 
Músculos do abdome 
 
Limite superior – diafragma torácico; 
Limite inferior da cavidade abdomino-pélvico - diafragma da pelve; 
* Parte superior = parte abdominal da cavidade abdomino-pélvica (diafragma até abertura superior da pelve). 
Parte inferior = parte pélvica da cavidade abdomino-pélvica ou cavidade pélvica (abertura superior da pelve até o 
diafragma da pelve). 
 
Divisão em quadrantes: a partir dos planos transumbilical (transversal) e mediano (sagital) 
Quadrante superior direito (QSD) - fígado + vesícula biliar + colo transverso... 
Quadrante superior esquerdo (QSE); 
Quadrante inferior direito (QID) - ceco + apêndice reniforme... 
Quadrante inferior esquerdo (QIE). 
 
Divisão em 9 regiões: 
- 2 planos sagitais -> 2 linhas medioclaviculares (direita e esquerda) - da clavícula ao ligamento inguinal; 
- 2 planos transversos -> subcostal (altura da 10ª costela) e intertubercular (tubérculo ilíaco) -> há tb transpilórico (à 
nível de L1) e interespinal (ao nível das EIAS) 
Estratificação da parede abdominal: 
- Pele; 
- Tela subcutânea (ou fáscia superficial) - tec conj adiposo + veias superficiais + nervos cutâneos + vasos linfáticos; 
 - Fáscia de Camper (panículo adiposo) - mais superficial 
 - Fáscia de Scarpa (estrato membranáceo) - mais profundamente 
- Músculos e aponeuroses c/ fáscias de revestimento; 
- Fáscia transversal (fáscia parietal do abdome) - reveste todo o abdome; 
- Tec. (gordura) extra peritoneal ou (espaço pré peritoneal; espaço de Bogros) -> importante em caso de herniações; 
- Peritôneo parietal (+ peritônio visceral) – envolve todo a parede abdominal. 
Obs. - lipoaspiração: panículo adiposo c/ acúmulo de gordura é aspirado. 
Ligamento inguinal (de Poupart) - EIAS até o tubérculo púbico -> delimita cavidade abdomino-pélvica (abaixo dele 
é coxa); originado a partir do espessamento da aponeurose do músc oblíquo externo do abdome 
- Lig. Lacunar (Gimbernat) - originado de fibras profundas do lig. inguinal, é mais medial -> medial ao anel femural, 
importante clinicamente devido ao desenvolvimento de herniações 
- Ligamento de pectíneo (de Cooper) - mais lateral, recobre a linha pectínea do púbis; 
- Lig. Inguinal (reflexo) - fibras mais superiores do lig inguinal emite fibras mais superiores, que reflete e se funde às 
fibras mais inferiores da aponeurose do músc oblíquo externo do abdome contralateral -> origina lig. Inguinal 
reflexo 
Canal inguinal – no homem, permite a passagem do testículo; na mulher, o lig. redondo do útero; pode sofrer 
herniações. 
- Região inguinal ou virilha: 
Estende da EIAS até o Tubérculo púbico. 
- Canal Inguinal c/ duas aberturas: 
a. Anel inguinal profundo (invaginação da fáscia transversal) - abertura interna 
b. Anel inguinal superficial – abertura externa 
1. Pilar lateral – insere-se no tubérculo púbico; 
2. Pilar medial – insere-se na crista púbica. 
• Parede anterolateral do abdome (5): 
Músculos planos (3): 
~ do mais superficial p/ profundo 
1. Músculo oblíquo externo abdome (voltado p/ medial e descendente); 
- Origem: faces externas das costelas 5ª-12ª; 
- Inserção: borda lateral da crista ilíaca, linha alba (* linha mediana formada a partir do entrelaçamento das 
aponeuroses dos músculos planos do abdome) e ligamento inguinal; 
- Ação: comprime e sustenta as vísceras abdominais; flexiona o tronco (ação conjunta); Flexão lateral (agindo 
sozinho); expiração forçada; 
- Inervação: nervos toracoabdominais (T7-T11) e nervo subcostal. 
2. Músculo oblíquo interno do abdome (medial e ascendente); 
- Origem: fáscia toracolombar; crista ilíaca e dois terços laterais do ligamento inguinal; 
- Inserção: margens inferiores das 10ª a 12ª costelas (3 ou 4 costelas inferiores); linha alba e linha pectínea do púbis; 
- Ação: comprime e sustenta as vísceras abdominais; flexão lateral e rotação do tronco; 
- Inervação: nervos toracoabdominais (T6-T12) e primeiros nervos lombares. 
* fibras dele originam cremaster -> ajuda na elevação e aproximação do testículo ao corpo. 
3. Músculo transverso do abdome 
- Origem: terço lateral do ligamento inguinal (tendão