A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
17 pág.
Resumo de Músculos - Anatomia

Pré-visualização | Página 6 de 6

Fáscia parietal da pelve - contínua c/ fáscia parietal/transversal do abdome, ; 
Fáscia visceral da pelve (denominada de acordo com o que recobre): retal, uterovaginal, vesical etc. 
* Toda a musculatura é revestida por fáscias, superior e inferiormente. 
Fáscia endopélvica: entre as fáscias parietal e visceral - ocupa todo o lugar entre as vísceras, de tec fibroso c/ camada 
anelar de tec adiposo. 
Músculos - 
Diafragma/ assoalho pélvico: 
1) Músculo isquiococcígeo - posterior ao levantador do ânus 
- Origem: espinha isquiática; 
- Inserção: sacro e cóccix; 
- Ação: suporte das vísceras pélvicas e suporte das vísceras pélvicas e resiste a aumentos da pressão intra-
abdominal.; 
- Inervação: Ramos dos nervos espinais de S4 e S5. 
2) M. levantador do ânus (3 subdivisões) - mais importante -> sustentação das vísceras pélvicas, resistencia às 
pressões abdominais: 
a. M. puborretal (medial) – importante na incontinência fecal; 
b. M. pubococcígeo (mais lateral) 
- Origem: m. puborretal; face posterior do corpo do púbis; arco tendíneo do m. levantador do ânus; 
- Inserção: cóccix; 
- Ação: suporte das vísceras pélvicas e resiste a aumentos da pressão intra-abdominal. 
* C/ fibras mediais que são denominadas de acordo com a região onde estão, podendo ser: pubovaginal, puboanal, 
puboperineal e puboprostático.. 
c. M. iliococcígeo. 
- Origem: arco tendíneo do m. levantador do ânus; espinha isquiática. 
- Inserção: corpo anococcígeo; 
- Ação: suporte das vísceras pélvicas e resiste a aumentos da pressão intra-abdominal. 
* Ligamento anococcígeo entre o ânus e o cóccix 
* Hiato urogenital (hiatos para uretra e vagina) - mais mediana, nas fáscias superior e inferior do mm. levantador do 
ânus e da camada profunda do períneo -> na mulher, 2, mas no homem, apenas 1. 
* Hiato anorretal (alça puborretal “U” do mm. puborretal, importante p/ continência fecal) - abertura no mm. 
levantador do ânus. 
Aplicação médica - mesmo em repouso, há tônus muscular (contração tônica) que ajuda a manter ângulo anorreal 
(“flexura anorretal do canal anal) - ajuda a manutenção da continência fetal -> contração = expulsão fecal; m. 
puborretal e esfíncter externo do ânus são voluntários, mas m. esfíncter interno é involuntário. 
M. levantador do ânus precisa relaxar e diafragma torácico e mm. parede anterolateral do ânus precisam contrair p/ 
haver defecação. 
Região glútea: 
M. obturador interno (parede lateral – d/e) - rotação lateral do quadril; 
- Origem: membrana obturatória. 
- Inserção: trocanter maior do fêmur; 
- Ação: rotação lateral. 
- Inervação: N. obturador interno. 
M. piriforme (parede posterossuperior lateral). 
- Origem: sacro e forames sacrais anteriores; 
- Inserção: trocanter maior do fêmur; 
- Ação: rotação lateral. 
Inervação: Ramos de S1 e S2. 
* localizados na pelve, mas c/ ação no quadril.