A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
ANTIGO REGIME

Pré-visualização | Página 1 de 2

ROTEIRO DE ESTUDO Izabela Ramos 3°A 
ANTIGO REGIME 
Antigo Regime é a denominação do sistema político e social da França anterior à Revolução 
Francesa (1789) 
Características do Antigo Regime 
Política: Absolutismo 
Concentração da autoridade política sobre o rei com o apoio da teoria do direito divino, 
desenvolvida pelo filósofo Jean Bodin. Existia uma assembleia que reunia os três estados, mas 
esta só podia ser convocada quando o rei decidisse. 
Economia: Mercantilismo 
A riqueza de um país estava baseado no monopólio, na acumulação de metais e na regulação da 
economia pelo Estado. 
Sociedade: Clero, nobreza, burguesia e camponeses 
O clero e a nobreza eram livres de impostos que recaíam sobre burgueses e camponeses. 
Estados Nacionais 
Formação de uma burocracia e um exército 
Unificação monetária 
Imposição da justiça real, que se sobrepõe a justiça senhorial 
Unificação e centralização administrativa 
Direito Divino dos Reis 
Foi uma doutrina política comum durante a Idade Moderna. 
Garantia a legitimidade e soberania do monarca no Estado Nacional. A crença era de que não os 
súditos ou qualquer outra autoridade concederia ao rei o direito de governar, mas seria a 
vontade do próprio Deus. 
Formulada por Jean Bodin e Jacques Bossuet. 
Teoria do Contrato Social 
Segundo Hobbes, na criação do Estado operou-se um contrato entre governantes e governados. 
O ser humano se submete a um poder maior para que possa viver em paz e em uma sociedade 
organizada. 
Ideia central da obra O Príncipe 
Ao escrever O Príncipe, Maquiavel expressou nitidamente os seus sentimentos de desejo de ver 
uma Itália poderosa e unificada. Expressou também a necessidade de um monarca com pulso 
firme, determinado que fosse um legítimo rei e que defendesse seu povo sem escrúpulos e sem 
medir esforços. Um dos temas mais importantes da obra é o debate sobre a questão: “é 
preferível que um líder seja amado ou temido?” Maquiavel responde que é importante ser 
amado e temido, porém, é melhor ser temido que amado. 
Mercantilismo 
Conjunto de práticas econômicas adotado pelas nações europeias entre o século XV e o século 
XVII (Expansão Marítima). 
Metalismo: também conhecido como bulionismo, esse princípio consistia na acumulação de 
metais preciosos como principal forma de obtenção de riquezas. 
Balança comercial favorável: essa teoria defendia que a soma das transições comerciais de um 
Estado deveria ser positiva. 
Protecionismo: realizado através de barreiras alfandegárias, com o aumento das tarifas, que 
elevava os preços dos produtos importados e incentivo ao comércio, a indústria e a marinha 
mercante nacionais 
Renascimento Cultural 
O Renascimento Cultural foi um movimento que teve seu início na Itália no século XIV e se 
estendeu por toda a Europa até o século XVI. 
Teve sua origem na península Itálica, que era o centro do comércio mediterrâneo. Com a 
economia dinâmica e rica, os excedentes eram investidos em produção cultural. 
Racionalismo: baseado na convicção de que tudo se podia explicar pela razão e pela observação 
da natureza. 
Humanismo: valoriza o ser humano, considerado a obra mais perfeita de Cristo. 
Antropocentrismo renascentista: a ideia do homem como centro das preocupações intelectuais e 
artísticas. 
Hedonismo: defendia o prazer individual como o único bem possível. 
Literatura: Dante (Divina Comédia), Maquiavel (O Príncipe), Cervantes (Dom Quixote), Camões 
(Os Lusíadas) 
Artes Plásticas: Leonardo da Vinci (A Ceia), Botticelli (Nascimento da Vênus), Michelangelo 
(Teto da Capela Sistina) 
Ciência: Copérnico (Heliocentrismo), Galileu (Lei da Queda dos Corpos, construção de uma 
luneta astronômica) 
Expansão Marítima 
Causas e motivações 
• Busca de especiarias nas Índias (tentativa de romper o monopólio comercial das cidades 
italianas) 
• Busca de metais preciosos 
• Expansão da fé cristã (justificativa) 
• Fortalecimento das monarquias nacionais e desenvolvimento da política mercantilista 
Razões do pioneirismo português 
Centralização Política: Formação do Estado Português consolidada com a Revolução de Avis 
Burguesia ávida de lucros (a concentração em algumas áreas da Península Ibérica de capitais 
interessados na expansão comercial e que financiaram os empreendimentos marítimos) 
Fascínio pelas Índias 
Paz interna e externa 
Tradição pesqueira e a Escola de Sagres 
Surgimento e aperfeiçoamento de novos aparelhos para a navegação (bússola, astrolábio, 
caravela, desenvolvimento da cartografia) 
Localização geográfica favorável 
O engajamento da nobreza e do clero