A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
50 pág.
AF_ProjetoRegional_SE

Pré-visualização | Página 6 de 8

T
O
A
v
A
L
IA
ç
Ã
O
ETAPA 1
Ensino Fundamental 1
ETAPA 2
Ensino Fundamental 1
ANEXO 1
Professor(a): Data: / /
Nome: Número: Ano/turma: 
F
IC
H
A
 1
MEMÓRIAS DO CANGAçO
O Cangaço foi um movimento caracterizado como banditismo social ocorrido no final século XIX e na 
primeira metade do século XX no sertão nordestino. O cangaceiro antes de tudo era um sertanejo que, 
por razões diversas que incluíam entre outras coisas a vingança e a luta por justiça, adotavam uma vida 
seminômade. Viviam em bando, vestiam roupas de couro curtido, próprias para a Caatinga. Andavam 
armados com rifles, facas e punhais. Carregavam consigo as coisas de que necessitavam amarradas ao 
tronco: bornal, cantil de água e açúcar, munições, cartucheiras, etc. Por isso, o nome Cangaço, atribuído 
a essa forma de levar pertences e mantimentos presos ao corpo, lembrando a canga de madeira 
colocada sobre o lombo dos animais. O mais famoso dos cangaceiros foi Virgolino Ferreira da Silva, o 
Lampião.
1. Escolha três pessoas (pode ser seus pais, avós ou outra pessoa). Pergunte se eles se lembram de 
alguma história relacionada ao Cangaço. Use a ficha a seguir como roteiro para as entrevistas. 
Preencha uma ficha para cada entrevistado.
Folha de entrevista
a) Nome do entrevistado: 
b) Grau de parentesco: 
c) Lugar onde se passa a história: 
d) Como o entrevistado tomou conhecimento desse fato?
 
 
 
e) Resumo da história narrada: 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
f) Para o entrevistado, Lampião era um homem bom ou ruim? Explique.
 
 
 
 
 
 
E
TA
P
A
 2
 
• 
 A
N
E
X
O
 1
 
• 
 F
IC
H
A
 1
Folha de entrevista
a) Nome do entrevistado: 
b) Grau de parentesco: 
c) Lugar onde se passa a história: 
d) Como o entrevistado tomou conhecimento desse fato?
 
 
 
e) Resumo da história narrada: 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
f) Para o entrevistado, Lampião era um homem bom ou ruim? Explique.
 
 
 
 
 
 
E
TA
P
A
 2
 
• 
 A
N
E
X
O
 1
 
• 
 F
IC
H
A
 1
Folha de entrevista
a) Nome do entrevistado: 
b) Grau de parentesco: 
c) Lugar onde se passa a história: 
d) Como o entrevistado tomou conhecimento desse fato?
 
 
 
e) Resumo da história narrada: 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
f) Para o entrevistado, Lampião era um homem bom ou ruim? Explique.
 
 
 
 
 
 
E
TA
P
A
 2
 
• 
 A
N
E
X
O
 1
 
• 
 F
IC
H
A
 1
ANEXO 2
Professor(a): Data: / /
Nome: Número: Ano/turma: 
E
TA
P
A
 2
 
• 
 F
IC
H
A
 2
O Cangaço
Inês Calixto
Entre os séculos XIX e XX, surge no Nordeste um movimento camponês conhecido como Cangaço. 
Eram jovens agricultores e vaqueiros que se rebelavam contra os desmandos da lei, cansados de viver 
sob o mandonismo dos coronéis e faziam oposição a eles, tornando-se fora da lei.
Para sobreviver, viviam escondidos na Caatinga e usavam técnicas de guerrilha. Em busca de um 
esconderijo perfeito, andavam de um lugar para outro, aderindo a uma vida seminômade.
Carregavam afivelados ao tronco tudo o que necessitavam: bornais, cantis de água, aguardente 
e açúcar, munição, etc. O nome cangaceiro vem desse costume, que lembrava a canga de madeira 
colocada sobre o lombo dos jumentos.
Os cangaceiros viviam foragidos, escondidos na Caatinga. Para sobrevivência do bando, costumavam 
saquear cidades e fazendas. Viviam em guerra e, no confronto com a polícia, matavam e também 
torturavam.
Os amigos dos cangaceiros eram conhecidos como coiteiros. O coiteiro, pessoa de confiança, era 
quem lhes dava esconderijo, abrigo, comida e proteção.
Os catingueiros, como eram conhecidos os moradores da Caatinga, viviam espremidos pela violência. 
Quando apoiavam a polícia, sofriam os maus tratos dos cangaceiros; quando apoiavam os cangaceiros, 
sofriam represálias e torturas iguais ou pior da polícia.
O cangaceiro mais famoso foi Virgolino Ferreira da Silva, conhecido como Lampião, o governador do 
sertão, rei do Cangaço. 
Lampião entrou para o Cangaço em 1917. Em entrevista concedida por ocasião de sua ida a Juazeiro 
do Norte, Lampião disse de si mesmo:
“– Chamo-me Virgolino Ferreira da Silva e pertenço à humilde família Ferreira do Riacho de 
São Domingos, município de Vila Bela. Meu pai, por ser constantemente perseguido pela família 
Nogueira e em especial por Zé Saturnino, nossos vizinhos, resolveu retirar-se para o município de 
Águas Brancas, no estado de Alagoas. Nem por isso cessou a perseguição.
– Em Águas Brancas, foi meu pai, José Ferreira, barbaramente assassinado pelos Nogueira e 
Saturnino, no ano de 1917.
– Não confiando na ação da justiça pública, por que os assassinos contavam com a escandalosa 
proteção dos grandes, resolvi fazer justiça por minha conta própria, isto é, vingar a morte do meu 
progenitor. Não perdi tempo e resolutamente arrumei-me e enfrentei a luta. Não escolhi gente das 
famílias inimigas para matar, e efetivamente consegui dizimá-las consideravelmente3.
3 Fonte: página oficial mantida pela neta de Lampião e Maria Bonita, a jornalista e pesquisadora Vera Ferreira. Disponível em: 
<http://www.infonet.com.br/lampiao/>. Acesso em: 4 nov. 2015.
ETAPA 2
Ensino Fundamental 1
http://www.infonet.com.br/lampiao/
Em 1930, Lampião conheceu uma jovem baiana chamada Maria Gomes da Silva, a Maria Déia, que 
vivia na região de Malhada da Caiçara, munícipio de Paulo Afonso, na Bahia, e se apaixonou. Dizem que 
foi amor à primeira vista.
Um tio de Maria Déia era coiteiro de Lampião. Foi numa de suas passagens pela casa do coiteiro que 
o cangaceiro conheceu aquela que seria a primeira mulher a entrar para o Cangaço, ficando conhecida 
como Maria Bonita.
Em 1938, Lampião, beirando o rio São Francisco, veio com seu grupo descansar na fazenda de um 
amigo, Pedro Cândido e se refugiaram num lugar conhecido como Grota do Angico. 
Depois de receber o bando, o fazendeiro foi até a cidade de Piranhas comprar mantimentos. A polícia 
desconfiou da quantidade de provisões adquiridas por Pedro Cândido, supondo que dava coito aos 
cangaceiros, seguiram-no rio abaixo até sua fazenda e o torturaram para que dissesse onde se escondia 
Lampião e os seus homens. Pedro Cândido contou sobre o esconderijo e, durante a madrugada, o 
capitão Bezerra, acompanhado de uma milícia de soldados munidos com três metralhadoras, entrou 
na Caatinga surpreendendo-os. Lampião, Maria Bonita e outros nove cangaceiros morreram. Após o 
massacre tiveram suas cabeças cortadas e expostas nas escadarias da prefeitura de Piranhas.
Resumindo:
Virgolino Ferreira da Silva (Lampião), o rei do Cangaço, nasceu em 1898 em Vila Bela, município de 
Serra Talhada, Pernambuco, e morreu assassinado pela Volante, na Grota do Angico, Sergipe, em 1938. 
Metade de sua vida foi vivida no Cangaço ao lado de Maria Bonita. Por seus feitos, ficou conhecido 
como Lampião, o governador do sertão. Percorreu os sertões de sete estados: Bahia, Sergipe, Alagoas, 
Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará. Herói para uns, bandido para outros, Lampião e 
Maria Bonita vivem como um mito no coração dos nordestinos.
E
TA
P
A
 2
 
• 
 F
IC
H
A
 2
 
• 
 A
N
E
X
O
 2
ANEXO 3
Professor(a): Data: / /
Nome: Número: Ano/turma: 
E
TA
P
A
 2
 
• 
 F
IC
H
A
 3
CRUZADINHA
Em duplas, resolvam as atividades a seguir usando o conhecimento que têm a respeito do tema, ou 
peçam ajuda para seus pais, vizinhos, ou pesquisem em livros e na internet.
1. Resolva a cruzadinha:
 a) Nome da companheira de Lampião: 
 b) Título dado a Lampião pelos sertanejos que recebiam sua ajuda e proteção: 
 
 c) A quem o bando de Lampião fazia oposição? 
 d) Qual o estilo de dança comum nos bailes dos cangaceiros? 
 e) Maria Bonita era natural da .
 f) Lampião era natural de .
 g) Maria Bonita, Lampião e outros nove cangaceiros morreram no estado de .
 h) Os cangaceiros mortos tiveram suas cabeças expostas na cidade de Piranhas, estado de