A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
(PCA 1º fase) estimulação essencial no controle cervical

Pré-visualização | Página 1 de 2

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (NEAD)
PCA: APRENDIZAGEM DO MOVIMENTO (ECM313-60_20211_01)
Turma: Fisioterapia
Professor: Cleide da Camara Souza
Semestre: 2021.1
Aluno(a):Beatriz Borges da Silva 4604985
1ª FASE DA ATIVIDADE - PCA
Fase 1 
Estimulação essencial no controle cervical em crianças com atraso no desenvolvimento neuropsicomotor de 3 à 12 meses 
 
1 Ideia principal
Sabe-se que um programa de estimulação essencial aliado ao atraso no desenvolvimento neuropsicomotor de uma criança contribui de forma fundamental para o seu progresso global, pois essa quando bem aplicada e mediada estimula a criança ao que tange ao desenvolvimento de habilidades e aprimoramento de suas potencialidades em questões motoras, sensoriais, neuronais, psíquicas, sociais e de linguagem. Esse aprimoramento é eficaz em qualquer fase do desenvolvimento em que a criança se encontra ou de suas especificidades, desde que sejam respeitadas sua fase e idade, e para que o processo de crescimento ocorra de forma linear sem pular marcos motores importantes ou reforçar padrões anormais.
Durante a avaliação do desenvolvimento infantil leva-se em consideração que a nível neuronal, de comando cerebral, todas funções: motoras, sensoriais, psíquicas, neuronais estão interligadas e suas manifestações quanto relacionadas à habilidades de motricidade grossa ou globais (ações de maior amplitude onde grandes grupos músculos são recrutados), motricidade fina (ações de coordenação e destreza) e de linguagem, e consequentemente às áreas no cérebros que estão intimamente ligada a essas como área motora primária, área motora pré-primária, córtex pré-frontal (relacionado com planejamento e tomada de decisão). 
No 1º trimestre do desenvolvimento motor normal, ocorre um importante marco motor: alinhamento de cabeça(controle). Este marco acontece ao final do 3º mês, após a inibição da atividade reflexa primitiva, influenciada pela maturação do sistema nervoso. Essas atividades reflexas, de caráter involuntário e inconsciente funcionam como um arcabouço para evolução dos atos motores voluntários.
A presença do reflexo excedendo após o tempo normal de existência, ou seja, o não desaparecimento do reflexo, sua exacerbação e simetria podem ser fatores que levarão a um no atraso do desenvolvimento motor. 
Alguns exemplos de reflexos que sua permanência após normal de desaparecimento podem indicar um atraso no desenvolvimento motor, mais especificamente para o equilíbrio de cabeça são: Reflexo Tônico Labiríntico (RTL), Reflexo Tônico Cervical Simétrico(RTCS) e Reflexo de Moro. E como o desenvolvimento infantil acontece de forma céfalo-caudal todo o desenvolvimento neuropsicomotor dessa criança ficará comprometido, podendo ainda indicar que uma possível patologia. 
O controle de cabeça constitui como uma forma de requisito para a obtenção de marcos motores seguintes a este, assim como aquisição de novas posturas e atividades de cotidiano, como brincar, conhecer o mundo. Portanto, a aquisição do marco motor de controle de cabeça possibilitará um maior repertório motor dessa criança. 
2 Reconhecimento do problema
A fisioterapia Neuropediátrica atuaria como um mediador para a recuperação da saúde cinética funcional do paciente acometido com base na CIF(Classificação Internacional de Funcionalidade), utilizando o marco motor de controle de cabeça como parâmetro de reconhecimento precoce de atraso no desenvolvimento neuropsicomotor. E a partir disso iniciar um programa de estimulação precoce para aquisição de habilidades e aperfeiçoamento de suas potencialidades, independentemente da situação patológica para o atraso do desenvolvimento, porem visando em todos os casos seu progresso global. 
O monitoramento do desenvolvimento motor durante o primeiro ano de vida viabiliza a detecção precoce de atrasos e possibilita a realização de técnicas de estimulação precoce as quais permitem reverter esta condição ou mesmo minimizar desvios neste processo. (Cardeal et al., 2020. p.2)
 
3 Proposta solução
 A população demandada para elaboração deste projeto se enquadra em crianças de 3 a 12 meses, sendo esta portadora de patologia associada a um atraso no desenvolvimento neuropsicomotor. A concepção de um produto atendendo a um programa de estimulação essencial, que respeite a condição patológica da criança e o tempo de aprendizagem e criação de engramas neurais de cada uma, e ao mesmo tempo que a fisioterapia aliada ao produto crie condições para aquisições de habilidades focando em seu desenvolvimento global, estimulando-a em todas suas potencialidades. 
 O ministério da saúde no caderno de atenção básica (2002) ressalta a importância das visitas de rotinas às unidades básicas de saúde (UBS). A regularidade das visitas ao fisioterapeuta e ao pediatra proporciona a cada criança um acompanhamento individualizado aumentando as chances de se identificar sinais de alerta para possíveis atrasos no desenvolvimento motor. (Da silva velho et al., 2020. p.4)
(Protótipo em desenvolvimento, direcionado para estimulação do controle cervical)
4 Embasamento científico
 Importância do programa de estimulação essencial em crianças com comprometimento no desenvolvimento neuropsicomotor 
O desenvolvimento infantil ocorre desde a concepção e continua a partir do nascimento. A primeira infância é a fase em que o cérebro se desenvolve mais rapidamente. Essa fase compreende o desenvolvimento cerebral, e consequentemente, as conexões necessárias para os ganhos motores cognitivos e socioemocionais. Sendo assim é de suma importância conhecer os marcos do desenvolvimento motor esperados para cada idade a fim de identificar e intervir assim que o atraso for percebido. (Da silva velho et al., 2020. p.2).
Um atraso e/ou distúrbio motor em criança é decorrente não somente de lesões neurais nas vias motoras, mas também pode ser causado por deficiência visual, cognitiva ou distúrbio psico-afetivo e vice-versa, isto é, um déficit motor pode levar, com o tempo, a uma deficiência cognitiva e/ou distúrbio psíquico secundário. (Hassano, 2011). Sendo assim é importante de elucidar que um déficit tanto a nível cognitivo, quanto um distúrbio psico-afetivo podem compreender uns dos fatores que levam à um déficit na qualidade de movimentos, ou até mesmo atraso na obtenção dos marcos motores. 
O controle postural, é primeiramente atingido com o marco motor do controle de cabeça, é da inicio a habilidade de manter, atingir e restaurar o equilíbrio em qualquer postura adotada, visto que o principio da evolução do desenvolvimento compreende a forma céfalo-caudal. Entretanto, não ocorre apenas na manutenção de postura, assim como mobilidade e a realização de atividades da vida diárias de uma forma segura e em detrimento à perturbação externa. (Mancini e Horak, 2010).
A manutenção do controle postural requer participação ativa do sistema sensório-motor (Steindl, Kunz, Schrott-Fischer, & Scholtz, 2006). Os indivíduos com desordens musculoesqueléticas e neurológicas têm, com mais frequência, déficit de equilíbrio e problemas de mobilidade (Mancini & Horak, 2010). Um exemplo de como uma patologia diagnosticada durante o 1º trimestre de vida e com possibilidade de dar início a um programa de estimulação essencial logo assim que diagnosticada, é o caso da Síndrome de Down, pois essas crianças podem apresentar dificuldade no controle postural, em consequência, déficit de equilíbrio funcional estático e dinâmico. Visto que o principio do desenvolvimento infantil acontece de forma céfalo-caudal e proximal-distal, faz-se necessário que uma das primeiras medidas adotadas no programa de estimulação precoce seja para obter o marco motor de controle cervical, pois assim que esse está consolidado o desenvolvimento deixa de ser comprometido e a criança tem a possibilidade de se tornar independente do próprio corpo e livre para criadas as condições posteriormente venha a desenvolver e aprimorar os seguintes marcos motores rumo à autonomia e mobilidade, desde que durante o tratamento sejam focadas