A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Direito Penal - Concurso de Crime

Pré-visualização | Página 1 de 1

Direit� Pena� | Concurs� d� Crim�
Anotações da aula 06.05.2021
● Concurso Material | Art. 69 do CP
Art. 69 - Quando o agente, mediante mais de uma ação ou omissão, pratica dois ou mais crimes,
idênticos ou não, aplicam-se cumulativamente as penas privativas de liberdade em que haja incorrido.
No caso de aplicação cumulativa de penas de reclusão e de detenção, executa-se primeiro aquela.
(Redação dada pela Lei nº 7.209, de 11.7.1984)
§ 1º - Na hipótese deste artigo, quando ao agente tiver sido aplicada pena privativa de liberdade, não
suspensa, por um dos crimes, para os demais será incabível a substituição de que trata o art. 44 deste
Código. (Redação dada pela Lei nº 7.209, de 11.7.1984)
§ 2º - Quando forem aplicadas penas restritivas de direitos, o condenado cumprirá simultaneamente as
que forem compatíveis entre si e sucessivamente as demais. (Redação dada pela Lei nº 7.209, de
11.7.1984)
Comentário: § 1º Quando for uma pena privativa de liberdade e outra alternativa, não tem como
ele cumprir a alternativa. Então ela vai ser convertida em privativa de liberdade também.
§ 2º Quando as duas forem alternativas, primeiro faz uma e depois a outra.
● Concurso material homogênea
- Dois ou mais crimes idênticos
● Concurso material heterogêneo
- Dois ou mais crimes diversos.
● Requisitos
1° Mais de uma ação ou omissão.
2° A prática de dois ou mais crimes.
● Consequência
- Aplicação cumulativa das penas privativas de liberdade.
● Unificação das penas | Art. 66, inciso III, alínea “a” LEP
Art. 66. Compete ao Juiz da execução:
III - decidir sobre:
a) soma ou unificação de penas;
● Concurso Formal | Art. 70 do CP
Art. 70 - Quando o agente, mediante uma só ação ou omissão, pratica dois ou mais crimes, idênticos ou
não, aplica-se-lhe a mais grave das penas cabíveis ou, se iguais, somente uma delas, mas aumentada, em
qualquer caso, de um sexto até metade. As penas aplicam-se, entretanto, cumulativamente, se a ação ou
omissão é dolosa e os crimes concorrentes resultam de desígnios autônomos, consoante o disposto no artigo
anterior. (Redação dada pela Lei nº 7.209, de 11.7.1984)
Parágrafo único - Não poderá a pena exceder a que seria cabível pela regra do art. 69 deste Código.
(Redação dada pela Lei nº 7.209, de 11.7.1984)
- O agente pratica apenas uma ação e realiza dois ou mais crimes que podem ser iguais
ou crimes diferentes.
1
● Requisitos
- Uma só ação ou omissão.
- Prática de dois ou mais crimes
● Consequências
- Aplicação da mais grave das penas, aumentada de ⅙ até a metade.
- Aplicação de somente uma das penas, se iguais, aumentada de um ⅙ até
metade.
- Aplicação cumulativa das penas, se a ação ou omissão é dolosa e os crimes
resultam de desígnios autônomos.
● Concurso formal perfeito
- Só queria praticar um e acaba praticando outros.
- Exasperação da pena.
- Não tinha desígnios autônomos.
- Concurso formal perfeito depende do elemento subjetivo do
agente. Nos casos em que a conduta do agente é culposa, ou,
quando é dolosa com relação a um crime e culposa em relação
aos demais, será reconhecido o concurso formal perfeito.
-
● Concurso formal imperfeito
- O agente sabe que com uma ação, ele vai conseguir seu
objetivo.
Ex: Ele jogou uma bomba , e sabia que ia matar várias pessoas.
Nesse caso, somam-se as penas (às pessoas que ele atingiu)
- Concurso formal imperfeito/impróprio ocorre quando o agente,
mediante uma só ação, mas com desígnios autônomos
(dolosamente) produz dois ou mais resultados, devendo ser
aplicado a regra do cúmulo material.
● Concurso material benéfico | Art. 70 parágrafo único
● Concurso Formal homogêneo
- dois ou mais crimes iguais
● Concurso Formal heterogêneo
- dois ou mais crimes diversos.
OBS: dependendo do concurso, se homogêneo ou heterogêneo o código penal determina
soluções diversas no momento de aplicação da pena. Se homogêneo, o juiz, ao reconhecer o
concurso formal deverá aplicar uma das penas que serão iguais em virtude da prática de uma
mesma infração penal, devendo aumenta-la de um ⅙ até a metade; Se heterogêneo, o juiz
deverá aplicar a mais grave das penas e aplicar o percentual de ⅙ até a metade.
2
● Dosagem da pena
- No concurso formal próprio ou perfeito aplica-se a mais grave das penas
cabíveis. Ou se iguais, somente uma delas, devendo o juiz aplicar o aumento
de 1 ⁄ 6 até a metade. A variação da aplicação do percentual do aumento
dependerá do número de infrações cometidas. Assim, quanto maior for o
número de infrações maior será o percentual de aumento.
● Jurisprudência do STJ
- O roubo praticado contra vítimas diversas em um único contexto, configura o
concurso formal e não o crime unico, ante a pluralidade de bens jurídicos
ofendidos.
- O aumento decorrente do concurso formal, se dá de acordo com o número de
infrações.
- No concurso de crimes, o cálculo da prescrição é feito considerando cada
crime isoladamente, não se computando o acréscimo decorrente do concurso
formal, material, ou da continuidade delitiva.
● Crime continuado | Art. 71 do CP
Art. 71 - Quando o agente, mediante mais de uma ação ou omissão, pratica dois ou mais crimes da mesma
espécie e, pelas condições de tempo, lugar, maneira de execução e outras semelhantes, devem os
subseqüentes ser havidos como continuação do primeiro, aplica-se-lhe a pena de um só dos crimes, se
idênticas, ou a mais grave, se diversas, aumentada, em qualquer caso, de um sexto a dois terços. (Redação
dada pela Lei nº 7.209, de 11.7.1984)
Parágrafo único - Nos crimes dolosos, contra vítimas diferentes, cometidos com violência ou grave
ameaça à pessoa, poderá o juiz, considerando a culpabilidade, os antecedentes, a conduta social e a
personalidade do agente, bem como os motivos e as circunstâncias, aumentar a pena de um só dos
crimes, se idênticas, ou a mais grave, se diversas, até o triplo, observadas as regras do parágrafo único
do art. 70 e do art. 75 deste Código. (Redação dada pela Lei nº 7.209, de 11.7.1984)
Comentário: Crimes da mesma espécie são crimes iguais (entendimento majoritário e adotado pelos
tribunais). A posição majoritária dos tribunais superiores é no sentido de considerar como crimes da mesma
espécie aqueles que tiverem a mesma configuração típica.
Condições de tempo: O STF firmou o entendimento no sentido de que excedido o intervalo de 30
dias entre os crimes não é possível que ocorra o crime continuado.
Condições de lugar: O STF já entendeu que o fato de serem diversas as cidades nas quais o agente
praticou os crimes, não afasta a conexão espacial desde que sejam próximas uma das outras.
● Teorias
- Teoria mista
- Teoria da ficção jurídica
- O Brasil adota essa teoria.
- Teoria única
● Requisitos
- Mais de uma ação ou omissão
- Prática de dois ou mais crimes da mesma espécie.
- Condições de tempo, lugar, maneira de execução e outras semelhantes.
3
- Os crimes subsequentes devem ser havidos como continuação do primeiro
● Consequências
- Aplicação da pena de um só dos crimes , se idênticas, aumentadas de ⅓ a ⅔.
- Aplicação da mais grave das penas, se diversas , aumentada de um ⅙ a ⅔
- Nos crimes dolosos, contra vítimas diferentes cometidos com violência ou
grave ameaça a pessoa, a aplicação da pena de um só dos crimes , se idênticas,
é aumentada até o triplo.
- Nos crimes dolosos, contra vítimas diferentes, cometidos com violência ou
grave ameaça a pessoa, a aplicação da mais grave das penas, se diversas,
aumentadas até o triplo.
- Deve ser aplicada sempre a regra mais benéfica.
4