A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Choques - Cardiogênico, hipovolêmico e distributivo

Pré-visualização | Página 1 de 1

• Insuficiência circulatória
• Evento sistêmico resultante
da falência do sistema circulatório
• Hipotensão sistêmica
“O choque é caracterizado por
hipotensão sistêmica, devido à
redução do débito cardíaco ou pela
redução efetiva do volume
sanguíneo circulante.”
• Perfusão inefetiva, resultando
em severa disfunção de órgãos
vitais comprometendo a sobrevida!
Isquemia em larga escala
✓ Falta O2
✓ Faltam substratos
✓ Perda da remoção de excretas
1. Bomba 2. Fluido 3. Tubos –
recipiente
Mecanismos de falência:
Bomba  bomba fraca: choque
cardiogênico
Fluido  quantidade insuficiente
de fluido: choque hipovolêmico
Tubos recipiente  recipiente
muito grande: choque distributivo
Choque
Bomba fraca!!!
• Lesões ao coração
- Infarto: infarto (necrose) do
miocárdio
- Miocardites: inflamação do
miocárdio (bacterianas ou virais)
- Arritmias: podem ser
decorrentes de outras lesões)
- Doenças valvares: trombos em
valvas
• Interrupções na circulação
intratorácica:
- Tamponamento Cardíaco:
acumulo de liquido entre o saco
pericárdico e o coração
- Embolia Pulmonar: sangue
fica estagnado no pulmão e não
chega ao coração
- Situação de hipoperfusão
tecidual sistêmica devido à
incapacidade do músculo cardíaco
fornecer débito adequado às
necessidades do organismo
- Mortalidade variando de 30%
a 90% das ocorrências
- Estima-se que o quadro ocorra
a partir da perda de 40% de
massa ventricular esquerda
Conceito
Sistema circulatório
Choque cardiogênico
• Quantidade insuficiente de
fluido: perda superior a
10%,
• Fatal com 35% a 45% de
perda
• Perda de sangue -
hemorragia
• Perda de plasma –
queimaduras extensas
• Perda de fluidos –
vômitos/diarréias
persistentes
• Hemorragia, queimaduras,
vômitos/diarreia:
- Queda da volemia 
Retorno venoso diminuído
 Débito cardíaco
diminuído  Choque
Fases evolutivas – melhor
estudadas no choque
hipovolêmico
- f. não-progressiva: mec.
compensatórios
- f. progressiva:
hipoperfusão
tecidual/acidose
- f. irreversível
Choque
F. Não progressiva: mecanismos 
compensatórios
• perda liq - < volemia - <
retorno venoso - < pa
• Resposta isquêmica do SNC
+ hipófise:
> ACTH/ADH
> cortisol: retenção de
água/sódio
Aumentar a volemia!!!
Resposta vascular
+ barorreceptores em seios
carotídeos e arco aórtico –
resposta Simpática = aumentar
a pressão arterial!!!!!
> Adrenalina,NA vasoconstrição 
arteriolar, Venoconstrição, 
Taquicardia
pele fria e pálida, + resistência
periférica total
Obs: os reflexos vasomotores
não afetam coração e cérebro
Ativação do sistema
Renina/angiotensina/aldosterona
 constrição aa. aferente
glomerular  Diminui Filtração
Glomerular  retenção de
H2O/Na  Aumentar a volemia
“Quadro reversível desde que
sejam afastadas as causas”
Fisiopatologia
Choque hipovolêmico
F. Progressiva – efeitos da
má perfusão
- déficit atinge um nível em
que o sistema circulatório
começa a se deteriorar:
- déficit persistente de
O2progressiva respiração
anaeróbica - > ác. Lático:
ACIDOSE*
< pH tecidual - < resposta
vasomotora
(-) resp. vasomotora –
vasodilatação arteriolar -
acúmulo sg
microcirculação
<DC, <PA – confusão mental,
oligúria, taquipnéia
pâncreas: liberação de fator
depressor do miocárdio
fígado: < degrad. ác. lático –
agravamento da acidose
intestino: perda da barreira
mucosa: bactérias invadem a
mucosa e alcançam a circ. sg.
. F. Irreversível – injúria
tecidual avançada – Liberação
de enzimas lisossomais -
autólise
Choque
- Recipiente muito grande
• Vasodilatação generalizada
- c. séptico – infecções/
liberação de endotoxinas com
ação vasodilatadora
- c. anafilático –
hipersensibilidade I/liberação
de substâncias vasoativas
- c. neurogênico – perda
tônus
vascular/vasodilatação
sistêmica
Choque distributivo

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.