A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Anatomia do Sistema urinário - Os rins

Pré-visualização | Página 1 de 1

Sistema urinário
Os Rins
Funções
Auxiliam na homeostase, controlando a quantidade de fluidos corporais e de substâncias circulantes no sangue;
· Os rins possuem papel regulador, regulando diversas funções do corpo;
· Principais funções reguladoras dos rins:
· Volume de plasma sanguíneo – pressão arterial;
· Concentração de produtos do metabolismo celular, exceto gás carbônico;
· Eliminar principais resíduos nitrogenados: amônia e ácido úrico;
· Amônia é transformada em ureia no fígado – ciclo da ureia;
· Creatinina – formada a partir da degradação da creatina muscular;
· Eliminam também as substâncias tóxicas ou em excesso ingeridas;
· Regulam o pH plasmático – equilíbrio de íons H+ e bicarbonato;
· Função endócrina – produz hormônios como eritropoietina e renina;
· Ativação da vitamina D;
Anatomia
· São órgãos pares;
· Possuem coloração vermelho-amarronzada;
· Formato de feijão;
Localização
· Estão localizados na parte posterior e superior da cavidade abdominal, um de cada lado da coluna vertebral;
· Ficam atrás do peritônio (membrana serosa que reveste a cavidade abdominal e órgãos digestivos) – são órgãos retroperitoneais;
· Ficam abaixo do diafragma;
· Protegidos pelas costelas flutuantes;
· Possuem camada de tecido conjuntivo: cápsula fibrosa – proteção e revestimento;
· Tamanho: 11 a 13 cm de comprimento;
· É composto por face anterior e posterior;
· Possui dois polos: superior e inferior;
· Bordas: lateral convexa e medial côncava;
· Na borda côncava observa-se o hilo renal, depressão onde penetra o pedículo renal;
· Pedículo renal: todas as estruturas que entram e saem do rim:
· artérias e veias renais, pelve renal e vasos linfáticos
· Pelve renal: conduz urina produzida nos néfrons até a tubulação responsável por transportar a urina dos rins até a bexiga urinária – ureter;
· Saindo de cada rim há um ureter (que leva a urina a bexiga), após há a bexiga (capacidade de distensibilidade – armazenam urina) e por fim há a uretra;
Córtex: parte mais externa;
Medula renal: parte mais interna;
Pirâmides renais: localizados na medula renal
Colunas renais: espaços entre as pirâmides renais;
Cálices menores: pequena depressão onde se projetam as pirâmides renais;
A urina produzida nos rins chega aos cálices menores, que se unem em cálices maiores, que formam a pelve renal – “funil” que leva a urina aos ureteres;
Estrutura vascular
· Toda o sangue do corpo chega aos rins, portanto ele necessita de vascularização bem organizada;
· O sangue chega aos rins pela artéria renal que vem da aorta abdominal;
· A artéria renal se divide em artérias interlobares que passam entre as pirâmides renais através das colunas renais;
· As artérias interlobares se dividem nas artérias arquedas, na transição entre o córtex e a medula renal;
· Das artérias arqueadas se ramificam inúmeras artérias interlobulares no córtex;
· As interlobulares se subdividem nas arteríolas aferentes – vasos que efetivamente entram nos néfrons;
· O sangue que sai dos néfrons segue o seguinte caminho:
· veias interlobulares – veias arqueadas – veias interlobares – veia renal – veia cava inferior
Estrutura funcional dos rins – néfrons
· Há aproximadamente um milhão de néfrons em cada rim;
· São formados por duas partes principais: corpúsculo e túbulos renais;
· Os capilares que acompanham os túbulos renais são os capilares peritubulares;
· O corpúsculo é formado por:
· Um enovelado de vasos sanguíneos provenientes da arteríola aferente – glomérulo;
· Cápsula de Bowman (cápsula glomerular): envolve o glomérulo;
· O filtrado glomerular percorre o seguinte caminho:
· Túbulo contorcido proximal – alça de Henle (parte descendente e ascendente) – túbulo contorcido distal – ducto coletor (drena a urina para a pelve renal);
· Néfrons justaglomerulares: localizados mais próximos a pirâmide renal;
· Possuem alças de Henle mais longas;
· São o tipo mais numeroso;
· Néfrons corticais: localizados próximos a parte externa do córtex renal;
Filtração da urina
· Filtração glomerular: passagem de substâncias do glomérulo para a cápsula de Bowman;
· Conforme o filtrado passa pelos túbulos renais ocorre reabsorção, secreção e, por fim, excreção;
A barreira de filtração glomerular é composta por:
· Camada de células endoteliais: possui poros que permitem a passagem de grande parte dos componentes do plasma – exceto as de grande peso molecular (hemácias);
· Membrana basal: fina camada de glicoproteínas 
· Previne a filtração de proteínas grandes;
· Podócitos: possuem corpo celular mais volumoso e várias projeções citoplasmáticas – pedicelos;
· Os pedicelos se intercalam conforme envolvem os capilares glomerulares;
· Entre eles há fendas estreitas por onde passam as moléculas filtradas para atingir o interior da cápsula glomerular;
· O filtrado é praticamente livre de proteínas;
· O filtrado é formado graças as diferenças de pressão entre o glomérulo e cápsula de Bowman;
· Três pressões principais influenciam nesse processo:
· Pressão hidrostática sanguínea – pressão exercida pelo sangue dentro dos capilares glomerulares que empurra o líquido para fora (a favor);
· Pressão coloidosmótica – pressão de atração da água exercida pelas proteínas do sangue, especialmente a albumina (contrária);
· Pressão hidrostática – exercida pelos líquidos da cápsula de Bowman (contrária);
· As pressões contrárias não conseguem vencer a pressão sanguínea e resultam na pressão de filtração;
· Os capilares glomerulares são extremamente permeáveis, portanto, a pressão de filtração consegue produzir um volume grande de filtrado glomerular;
· O volume sanguíneo total do corpo é filtrado pelos rins a cada 40 minutos;
· A filtração é regulada por mecanismos intrínsecos e extrínsecos dos rins relacionados à vasoconstricção das arteríolas aferentes;
Reabsorção e secreção tubular
· A maior parte do volume do filtrado passa de volta para a circulação sanguínea - reabsorção;
· Ocorre a passagem de grande parte da água e dos solutos dos túbulos renais de volta para circulação sanguínea;
· A maior parte acontece no túbulo proximal – 65%;
· Ocorre também o transporte de substâncias do sangue para os túbulos renais - secreção;
· Para que as substâncias passem do lúmen tubular para o sangue ela precisam atravessar:
· Células epiteliais tubulares;
· Fluido intersticial;
· Células dos capilares sanguíneos;
· Isso pode ocorrer em diferentes vias:
· Via transcelular: substância atravessa a célula
· Via paracelular: substâncias passam pelas junções entre células;
· Pode ocorrer a favor ou contra o gradiente de concentração;
· Íon sódio possuem papel fundamental para reger todo o processo de reabsorção – cotransporte;
· Água: ocorre nas duas vias com auxílio do transportador aquaporina;
· As proteínas transportadoras variam entre as porções dos túbulos, portanto cada túbulo possui a característica de absorver ou secretar cada grupo de moléculas;
· Sob ação de hormônio antidiurético, o ducto coletor se torna mais permeável à água, a urina se torna, então, mais concentrada;