A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
Artigo Final

Pré-visualização | Página 1 de 4

A IMPORTÂNCIA DA AFETIVIDADE NA APRENDIZAGEM
 SCHMIDT, Pamela1
 MARTELETO , Flávio Miranda2
Resumo
A afetividade está presente em todas as etapas do desenvolvimento da criança, envolvendo principalmente aspectos emocionais e social, para a construção de sua personalidade, aprendizagem e o seu desenvolvimento como ser humano. O afeto proporciona muitas contribuições para o desenvolvimento da criança, e o seu processo de ensino aprendizagem, partindo inicialmente dos familiares e mais tarde do ambiente escolar. Entretanto a falta de afeto também pode trazer alguns prejuízos. Nos primeiros anos de vida a afetividade é um instrumento mediador entre a criança e o mundo físico, tendo assim a importância da relação harmoniosa com a família e os bons exemplos que ela pode transmitir para a formação psicológica e comportamental. Neste ínterim, o trabalho vem objetivando a busca nas obras educacionais e pedagógicos, temas que envolvem a afetividade no processo de aprendizagem e desenvolvimento da criança, através de uma pesquisa dotada de referências bibliográficas. Vindo através desta, demonstrar que a afetividade é de suma importância para o desemvolvimento educacional do aluno, que tem como base o respeito mútuo, o diálogo e principalmente o carinho recíproco.
Palavras-chave: Afetividiade, aprendizagem.
1. INTRODUÇÃO
A afetividade acompanha todo o processo de desenvolvimento durante a vida do ser humano. Entretanto, objetivamos a compreensão da importância da afetividade para o desenvolvimento e aprendizagem das crianças na faixa etária de 0 a 05 anos.
Para tanto, a pesquisa teve como objetivos a identificação da influência da afetividade no desenvolvimento da criança; investigando os benefícios que o afeto proporciona na vida social e emocional, bem como a realização de uma análise de que maneira o sentimento afetivo contribui para a construção do conhecimento.
A educação da criança começa com a família, “as relações familiares e o carinho dos pais exercem grande influência sobre a evolução dos filhos em que a inteligência não se desenvolve sem a afetividade” (ALMEIDA, apud Amorim, 1999, pg.50).
É na Educação Infantil que a criança dá os primeiros passos para a formação e socialização fora do ambiente familiar. Assim, a contribuição dos profissionais da área de educação tem fator fundamental neste processo, buscando desta maneira, refletir, compreender e proporcionar momentos de convivência e aprendizagem, se entregando em uma melhor relação com seus educandos.
Portanto, é necessário entender como a afetividade influência no desenvolvimento da aprendizagem de crianças da educação infantil nesta faixa etária.
O embasamento teórico deste estudo seguiu pesquisas em sites e artigos sobre afetividade na educação infantil, bem como conceitos de alguns teóricos como Wallon, Piaget e Vygotsky.Decorre de questões relevantes para uma melhor compreensão sobre o desenvolvimento da criança, de suas relações sociais e emocionais, da importância que a afetividade exerce sobre o desenvolvimento do processo de ensino – aprendizagem.
É importante lembrar que por mais que o vínculo afetivo entre educadores e educandos seja essencial, ele deve estar centrado na aprendizagem. “A criança precisa entender que estar com seu professor não é como estar com sua mãe, seu pai, irmãos, tios”, afirma Maria Cristina Mantovanini, doutora em Psicologia da Educação pela Universidade de São Paulo e psicanalista membro associada da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo. Segundo ela, o elo precisa ser desenvolvido entre eles. “O professor respeita a criança, leva desafios adequados para sua faixa etária, não impõe disciplina pelo medo, proporciona momentos agradáveis em sala de aula e ensina coisas interessantes”, diz.
A pesquisa foi iniciada com o conceito de afetividade, dando sequência, com a importância das relações afetivas familiares e escolares. 
	
1 A influência da afetividade na aprendizagem significativa: uma abordagem na educação infantil Afluente, UFMA/Campus III, v.3, n. 7, p. 77-93, jan./abr. 2018 ISSN 2525-3441
2. DESENVOLVIMENTO
A educação infantil proporciona um espaço fora do ambiente familiar para as crianças antes da educação básica, oferecendo formação e inserção social, proporcionando condições necessárias para que as crianças se sintam acolhidas.
O termo afetividade é vasto e passível de muitas interpretações, para este trabalho utiliza-se o encontrado na linguagem geral: afeto relaciona-se com sentimentos de ternura, amor, carinho e simpatia, está relacionado aos mais diversos termos como: emoção, estado de humor, motivação, sentimento, atenção, personalidade, temperamento e outros tantos. (ENGELMANN, 1978).
A afetividade está presente em todas as etapas do desenvolvimento da criança, envolvendo principalmente aspectos, emocional e social, para a construção de sua personalidade, aprendizagem e o seu desenvolvimento como ser humano. O afeto proporciona muitas contribuições para o desenvolvimento da criança, e o seu processo de ensino aprendizagem, partindo inicialmente dos familiares e mais tarde do ambiente escolar. 
Entretanto a falta de afeto também pode trazer ainúmeros prejuízos. Nos primeiros anos de vida a afetividade é um aparato mediador entre a criança e o mundo físico, tendo assim a importância da relação harmoniosa com a família e os bons exemplos que ela pode ensinar para a formação psicológica e comporta-mental. Neste ínterim, o trabalho vem objetivando a busca nas obras e artigos educacionais e pedagógicos, temas que envolvem a afetividade no processo de conhecimento e desenvolvimento da criança. 
Venho por meio deste trabalho demonstrar que a afetividade é fundamental para o desempenho educacional, que tem como base o respeito mútuo, o diálogo e, principalmente o carinho recíproco.
Educar não significa apenas repassar informações ou mostrar um caminho a seguir, que o professor julga ser o correto. Educar vai muito além, é ajudar o educando a tomar consciência de si mesmo, dos outros e da sociedade em que vive, bem como seus direitos e deveres dentro dela. É saber aceitar-se como pessoa e principalmente aceitar e respeitar os outros com seus defeitos e qualidades. É, também, oferecer diversas ferramentas para que a pessoa possa escolher o seu caminho, entre muitos. O educador é, sem dúvida, a peça mestra nesse processo de educar verdadeiramente, devendo ser encarado como um elemento primordial e fundamental.
O afeto é essencial para todo o funcionamento do nosso corpo nos dando coragem, motivação, interesse, e contribuindo para nosso desenvolvimento. E é pelas sensações que o afeto nos proporciona que sabemos quando algo é verdadeiro ou não. Principalmente para a criança o afeto é importantíssimo, pois ela precisa sentir-se segura para poder desenvolver seu aprendizado, e é necessário que o professor tenha consciência de como seus atos são extremamente significativos nesse processo, porque essa relação aluno-professor é permeada de afeto, e as emoções são estruturantes da inteligência do indivíduo (WALLON, (1995). 
O papel do professor é de mediador do conhecimento, ele é um espelho na sua forma de expressar valores, resolver conflitos, comunicar-se; na forma de ouvir, falar e de relacionar-se com os outros professores e com os alunos. E a forma como o professor se relaciona com o aluno se reflete nas relações do aluno com o conhecimento e na relação aluno-aluno. 
A prática de um professor afetivo será a de respeitar o ritmo de aprendizagem de cada aluno, pois ele possui a sensibilidade de perceber quando pode ou não avançar com o conteúdo. Um educando pode necessitar de mais tempo para aprender uma determinada disciplina que o seu colega, mas também poderá ser mais rápido numa disciplina que tem mais afinidade. Não deve esquecer que cada educando é único e suas habilidades e limitações da mesma forma, o professor deve buscar respeitar os mesmos e o seu ritmo e forma de aprendizado.
Para o professor realizar um bom trabalho, visando atingir a um

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.