A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Caso Clínico - Gestante

Pré-visualização | Página 2 de 2

deita ou anda. 
 
Perda de água pela vagina: A perda de água pela vagina indica a ruptura das membranas, ou “bolsa das águas”, que 
mantêm o líquido amniótico durante a gravidez. Quando isso ocorre, a grávida não sente dor, apenas a sensação de 
uma água morna escorrendo pelas pernas. Ela pode se romper no começo ou só no final do trabalho de parto. É 
importante que a grávida avise o médico quando suspeitar da perda de líquido, especialmente se a ruptura ocorrer 
antes do início do trabalho de parto. 
 
Eliminação do tampão mucoso: Durante as últimas semanas de gravidez, o colo começa a ficar fino e dilatar em 
preparação para o parto, o que pode ocasionar a perda de um tampão mucoso. Quando isso ocorre, a grávida nota a 
saída de uma substância mucosa pela vagina, com alguns filetes de sangue. Este não é exatamente um sinal de 
trabalho de parto, e sim que ele está se aproximando. Na verdade, o trabalho de parto, às vezes, só começa vários 
dias depois desse sinal. 
 
Contrações uterinas no final da gravidez são comuns. Por isso é preciso aprender a diferenciar as falsas – que não 
causam dilatação do colo do útero – das verdadeiras, que indicam o começo do trabalho de parto. Alguns sinais 
ajudam: as contrações do falso trabalho de parto são irregulares; uma mudança de atividade, ou mesmo de posição, 
resulta na diminuição das intensidades das contrações. 
 
5. Márcia, 20 anos, G2/P1/A0, IG: 27 semanas. Durante a consulta do pré-natal apresenta PA = 150x100mmHg: 
-Minha cabeça doeu um pouco logo cedo, mas, melhorou depois que tomei um remédio. Não sinto nada agora. 
Minhas pernas é que estão cada vez mais inchadas, no final do dia parecem uma melancia de tão grande. Ganhei 
Arlinda Marques Moitinho Dourado – Medicina 2021 4 
 
muito peso durante a gestação. A gente engorda mesmo, todo mundo já sabe. Mas, por que se engorda tanto com a 
gravidez? 
Marcia tem 20, esta atualmente na sua segunda gestação, sem casos de aborto. Entretanto apresenta PA alta, perna 
inchadas e ganho de peso alto. 
A pressão alt,a na gravidez surge quando a pressão arterial está acima de 140/90 mmHg, especialmente em 
mulheres que nunca tiveram aumento da pressão arterial, podendo causar dores na nuca, dor na barriga, visão 
embaçada ou inchaço do corpo. As causas de pressão alta durante a gestação podem estar relacionadas com uma 
alimentação desequilibrada ou malformação da placenta. Além disso, a mulher tem maior risco de ter pressão alta 
na gravidez quando está grávida pela primeira vez, tem mais de 35 anos, é obesa ou diabética. Normalmente, a 
pressão arterial fica mais baixa na primeira metade da gestação, voltando ao normal ou podendo até subir 
ligeiramente na segunda metade da gravidez e mais perto do parto. Por isso, se a gestante tiver a pressão alta, 
principalmente depois das 20 semanas de gestação. 
 
As pernas e os pés ficam inchados na gravidez, devido ao aumento na quantidade de líquidos e de sangue no corpo e 
devido à pressão do útero nos vasos linfáticos da região pélvica. 
 
O ganho de peso no início da gravidez acontece principalmente devido às novas estruturas que se formaram para 
receber o bebê, como a placenta, o saco gestacional e o cordão umbilical. Além disso, as alterações hormonais 
também favorecem o aumento do acúmulo de líquidos, que contribui para esse aumento. 
 
 É necessário manter uma dieta balanceada, principalmente controlar a ingesta de alimentos gorduroso, fritos, 
salgados, e aumentar o consumo de fibras, frutas, verduras legumes e água. 
 
6. Daniela, 28 anos, G4/P3/A0, IG 36sem, situação familiar insegura, atividade laboral cansativa: 
-Eu estou com um problema sério..., mas, sério mesmo. Sinto câimbras terríveis que não melhora com nada. Me diga 
o que é bom para resolver por favor. Outra coisa que me incomoda é posição para dormir, a dor na coluna e esta 
falta de ar. Por que será?Também vou muito ao banheiro para fazer xixi a noite. tratamento de ITU 
Durante a gravidez é normal que a circulação sanguínea seja mais lenta devido ao efeito dos hormônios da gestação 
e ao aumento do volume de sangue no corpo. Por esse motivo, é normal que o sangue possa acabar se acumulando 
em maior quantidade nas pernas, criando inchaço e facilitando o aparecimento de cãibras. Normalmente técnicas 
simples como alongar os músculos, fazer massagens no local afetado e colocar compressas mornas são o suficiente 
para aliviar a cãibra. Além de que uma boa forma de evitar este tipo de cãibras consiste em descansar regularmente 
ao longo do dia com as pernas ligeiramente elevadas, acima do nível do coração, para que a circulação do sangue 
seja mais fácil, durante a gravidez é recomendado beber entre 6 a 8 copos de água por dia para evitar a 
desidratação, e deve-se consultar o obstetra para fazer um exame de sangue e confirmar os níveis de cálcio e 
magnésio no organismo. Caso estejam alterados, o médico poderá receitar o uso de um suplemento para repor os 
níveis desses minerais. 
Algumas dicas que devem ser seguidas para prevenir novos episódios de cãibras na gravidez são: 
 
1. Fazer alongamentos diários, pois ajuda a dar flexibilidade e corrigir alterações na postura; 
2. Praticar atividades físicas leves a moderadas, como caminhadas, durante cerca de 30 minutos por dia, por 3 
a 5 dias por semana, pois melhoram a força, elasticidade e circulação nos músculos 
3. Evitar o excesso de exercícios, pois atividades intensas e esgotantes também podem desencadear fadiga e 
contrações súbitas dos músculos; 
4. Beber cerca de 1,5 a 2 litros por dia, mantendo o corpo hidratado; 
5. Fazer uma alimentação rica em cálcio, potássio e magnésio, presente em alimentos como abacate, suco de 
laranja, banana, leite, brócolis, sementes de abóbora, amêndoa, avelã ou castanha-do-pará, por exemplo. 
6. Apesar desses alimentos serem ricos em minerais que ajudam a evitar as cãibras, pode ser necessário tomar 
suplementos ricos nesses minerais, que só devem ser tomados pela grávida quando indicados pelo médico. 
 
Arlinda Marques Moitinho Dourado – Medicina 2021 5 
 
Esses sintomas de falta de ar e aumento da frequência de urinar é comum no ultimo trimestre de gestação por conta 
do rápido aumento do útero. O aumento uterino acaba realizando uma compressão tanto do diafragma e pressiona 
a bexiga, fazendo a bexiga mesmo com uma qualidade adequada de água faz com aumente a frequência de urinar.