A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Rastreamento do CA Colorretal

Pré-visualização | Página 2 de 2

massa abdominal ou sinais de metástases (como hepatomegalia). O toque retal permite 
o diagnóstico do câncer de reto distal e pode ser o primeiro indício da doença. 
Os exames confirmatórios são: (1) Retossigmoidoscopia flexível; (2) Clister opaco (enema baritado), com 
duplo contraste; (3) Colonoscopia – o melhor e mais completo. 
Retossigmoidoscopia flexível: tem a vantagem de avaliar uma extensão maior de intestino e de mucosa. 
Porém não substitui a retossigmoidoscopia rígida para determinar a distância de uma lesão do reto à 
borda anal. 
O clister opaco (exame contrastado do cólon) costuma revelar apenas os tumores mais avançados, 
quando demonstra o famoso sinal da “maçã mordida”. 
A colonoscopia é um exame obrigatório, sendo considerado o padrão-ouro para o diagnóstico. O 
método avalia com precisão a presença ou não de tumores sincrônicos e de pólipos adenomatosos. 
Quando um tumor exerce efeito “estenosante” na luz do tubo digestivo, impedindo a passagem do 
colonoscópio, pode usar a colonoscopia virtual (reconstrução com imagens da TC) para delinear as 
características anatômicas da lesão antes de partir para a cirurgia. 
Marcadores tumorais - Vários marcadores séricos foram associados ao CCR, principalmente o antígeno 
carcinoembrionário (CEA). Entretanto, todos os marcadores, incluindo CEA, têm uma baixa capacidade 
de diagnóstico CRC, com baixa sensibilidade para doença em estágio inicial.