A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
Educação Especial e Inclusão Escolar - prova com gabarito

Pré-visualização | Página 1 de 3

EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSÃO ESCOLAR 
UNIASSELVI 
 
1. Os subsídios históricos podem contribuir para entendermos de que 
forma a inclusão não é algo de hoje, não se restringe apenas aos 
aspectos políticos. Ao mesmo tempo em que vimos que a Educação 
Especial nem sempre existiu e teve a sua importância antes mesmo do 
que chamamos hoje de Educação Inclusiva. 
Considerando uma linha do tempo, que destaca principais acontecimentos no 
período de 1900 à 1990 em relação a Educação Especial, analise as assertivas 
e assinale V para as sentenças verdadeiras e F para as falsas. 
( ) 1900: primeiros congressos de medicina enfatizando os estudos sobre as 
pessoas com deficiência – “Tratamento médico-pedagógico dos idiotas”. 
Criação dos serviços de higiene mental e de saúde pública. 
( ) 1920: perspectiva escolanovista que não enfatizava a vertente 
psicopedagógica e tão pouco defendia a liberdade individual da criança, bem 
como os direitos de todos na educação. 
( ) 1971: Surge a educação especial (LDB 5692/71); Tratamento especial para 
os alunos com DF e DM que se encontram em atraso quanto à idade regular; 
( ) 1988: Constituição federal. ART. 5º: Educação como um direito de todos. 
Garante o pleno desenvolvimento da pessoa; 
( ) 1990: Declaração Mundial de educação para todos que defendia que no 
Brasil, a política educacional deveria continuar mantendo a Educação Especial 
a partir do mesmo modelo que segregava os estudantes especiais. 
 Assinale a alternativa com a sequência correta: 
 V – F – V – V – F. 
 
 
 
2. A Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação 
Inclusiva (BRASIL, 2008) apresenta-nos como objetivo: “[...] assegurar a 
inclusão escolar de alunos com deficiência, transtornos globais do 
desenvolvimento e altas habilidades/superdotação, orientando os 
sistemas de ensino para garantir: acesso ao ensino regular, com 
participação, aprendizagem e continuidade nos níveis mais elevados do 
ensino; transversalidade da modalidade de educação especial desde a 
educação infantil até a educação superior; oferta do atendimento 
educacional especializado; formação de professores para o atendimento 
educacional especializado e demais profissionais da educação para a 
inclusão; participação da família e da comunidade; acessibilidade 
arquitetônica, nos transportes, nos mobiliários, nas comunicações e 
informação; e articulação intersetorial na implementação das políticas 
públicas”. 
A partir das políticas de inclusão que produzem efeitos na organização das 
práticas pedagógicas, sendo estas entendidas a partir do conceito de 
in/exclusão, pode-se afirmar que: 
As práticas no contexto educacional devem ser desenvolvidas através de uma 
ênfase____________, envolvendo família, a comunidade como fonte de 
investigação sobre a criança a fim de explorar as formas como ela 
__________________________________. Os profissionais da educação 
precisam compreender a deficiência como 
____________________________________________ que não impedem de 
aprender se o professor propor estratégicas específicas. Os termos que 
completam, correta e respectivamente, as lacunas são: 
Assinale a alternativa correta: 
 
Pedagógica - aprende, seus interesses e possibilidades - uma limitação de 
ordem física, psicológica ou cognitiva 
 
O atendimento educacional especializado (AEE) é um serviço da educação 
especial que identifica, elabora, e organiza recursos pedagógicos e de 
acessibilidade, que eliminem as barreiras para a plena participação dos alunos, 
considerando suas necessidades específicas" (SEESP/MEC, 2008). 
 
3. Sobre o Atendimento Educacional Especializado - AEE e suas funções 
no contexto escolar, é correto afirmar: Assinale a afirmativa correta. 
 
O AEE deve ser marcadamente um atendimento pedagógico, e não clínico o 
objetivo é enfatizar o olhar pedagógico sobre a aprendizagem do aluno, 
buscando o professor em sala de aula para que possam construir 
possibilidades de trabalho, contribuindo assim para esse processo de inclusão. 
 
 
 
4. Mianes afirma que é preciso entender que o trabalho pedagógico deve 
ocorrer em conjunto, cada qual com sua função tornará a escola um 
espaço inclusivo para todas as pessoas. O fundamental é a empatia, o 
conhecimento sobre as diferenças e peculiaridades dos alunos com 
deficiência, bem como de estrutura física e instrumental adequada para 
um trabalho exitoso. 
Sobre os profissionais do AEE e a deficiência visual, é correto afirmar. Assinale 
a afirmativa correta: 
 
São aqueles que tem formação específica para lidar com algumas deficiências 
e para dar suporte ao professor no processo de ensino e aprendizagem. São 
aqueles que ensinam braille aos alunos que precisam aprender, são os que 
confeccionam os materiais nesse código de escrita para os cegos. São eles 
que adaptam os livros para que possam ser lidos pelos softwares leitores de 
tela, ou então que adaptam os materiais para os alunos com baixa visão 
conforme suas necessidades, ou que descrevem imagens ou materiais 
audiovisuais. 
 
5. A história da Educação Especial não é linear. A história pode ser 
entendida como um conjunto de acontecimentos onde os fatos são 
narrados a partir de uma rede de relações definidas pelos imperativos de 
poder e de saber inscritos na modernidade, a qual buscava a ideia de 
progresso. Precisamos tomar a história não para reconstruir o que os 
homens fizeram ou pensaram pela simples transcrição documental e 
arrumação dos fatos cronológicos, mas antes para tensionar aquilo que 
vem sendo tomado como verdade. Mais do que os fatos verídicos o 
estudo da História deve se concentrar na produção da verdade, ou seja, 
nas tramas que enredam tais verdades. 
Tomando o foco principal do primeiro capítulo do livro, intitulado DA 
EDUCAÇÃO ESPECIAL À EDUCAÇÃO INCLUSIVA, que trata sobre as 
questões históricas, relacionadas à inclusão, responda por que é possível 
afirmar que houve uma passagem da Educação Especial para a Educação 
Inclusiva? 
Assinale a afirmativa correta. 
 
Devido às condições históricas, políticas, sociais, educacionais e culturais que 
foram produzindo tais mudanças. 
 
6. Alguns pressupostos teórico-metodológico contribuem para organização 
das práticas pedagógicas na sala de aula, considerando o ensino 
regular, a turma e o aluno com autismo. 
Pensar na inclusão do aluno com o Transtorno do Espectro Autista é pensar 
em estratégias para o seu atendimento, adaptação e melhor funcionamento de 
suas habilidades. Analise as afirmativas abaixo em relação aos pressupostos 
teórico-metodológico que o professor deve observar quando for organizar a sua 
pratica pedagógica. 
I. Conhecer e estudar as características comuns às pessoas com autismo. Para 
isso, o profissional precisa buscar constantemente formação para atender a 
especificidade. 
II. Definir a forma de atendimento educacional a ser ofertado, que deve ocorrer 
somente na sala de recursos. 
III. Estabelecer estratégias pedagógicas para incluir no planejamento – um 
exemplo, pode ser adaptações do Método Teacch, onde é possível estruturar e 
organizar a rotina deste sujeito. 
IV. Considerar a palavra “adaptar o método”, pois ao pensarmos em propostas 
de inclusão a turma inteira pode ser beneficiada com essa organização de 
rotina que o método propõe. 
 Assinale a alternativa com a os itens corretos: 
 
 I, III e IV. 
 
7. Para Renata Scherer duas questões são fundamentais para o 
desenvolvimento do trabalho no Atendimento Educacional Especializado 
- AEE. A primeira consiste no Atendimento Individualizado e a segunda, 
refere-se ao trabalho realizado junto com os professores regulares. 
 O trabalho de inclusão escolar, de acordo com Scherer, precisa envolver 
alguns pressupostos teóricos e metodológicos para que as práticas 
pedagógicas desenvolvidas possam considerar tanto as necessidades do aluno 
(individualização) tanto seu envolvimento nas atividades coletivas 
desenvolvidas pelo grupo. Para ela é importante considerar três pressupostos.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.