A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
16 pág.
Literatura Infanto-juvenil - 20 Exercícios resolvidos dos temas 5 ao 8

Pré-visualização | Página 1 de 4

Anhanguera Licenciatura Pedagogia – 4º Semestre 
Matéria: Literatura Infanto-juvenil 
20 Exercícios com respostas Temas 1 ao 4 
 
 
GOSTOU DO MATERIAL? Então não se esqueça de curtir! 
Tema 5 
Literatura Infantil Brasileira: do século XIX ao Século XXI 
Questão 1: 
Texto 1 
Numa época em que os adultos não costumavam conversar assuntos sérios com as 
crianças, Lobato fala sobre a guerra com o público infantil em um livro que se tornou 
um de seus grandes sucessos. Lançado pela primeira vez em 1942, ano da entrada do 
Brasil na Segunda Guerra Mundial, A chave do tamanho, de Monteiro Lobato, faz uma 
crítica aos governantes que mataram milhares de pessoas e destruíram cidades 
inteiras na Europa. 
Nessa história, Dona Benta e a turma do Sítio do Pica-Pau Amarelo estão muito 
preocupados com as notícias que chegam pelo rádio e pelos jornais sobre os 
bombardeios e as mortes causadas pela guerra. Escondida de todos, Emília resolve 
dar um jeito na situação, e, depois de mudar o tamanho de todos os seres humanos 
com seu pó de pirlimpimpim, sai pelo mundo enfrentando perigos e fazendo 
descobertas. 
Texto 2 
O que você faria se fosse menor que uma formiga e estivesse no meio de um jardim, 
sendo ameaçado por monstros gigantescos e tempestades intermináveis? É isso que 
acontece no filme Querida, encolhi as crianças! que foi um grande sucesso do cinema. 
O cientista Wayne Szalinsky constrói uma máquina que, acidentalmente, encolhe 
seus filhos (e os do vizinho também), levando-os a um mundo cheio de perigos. 
 
De acordo com a leitura dos textos 1 e 2 analise as afirmativas abaixo: 
I. A personagem Emília, da Literatura Infantil Brasileira, é similar às 
personagens à história de um filme americano. 
II. As duas histórias tratam de temas adultos que não envolvem aventuras com 
crianças. 
III. A máquina do cientista, no filme, provoca o mesmo efeito que o pó de 
pirlimpimpim, no livro de Lobato. 
Agora assinale a alternativa correta. 
 
 
 
GOSTOU DO MATERIAL? Então não se esqueça de curtir! 
2 Anhanguera – Licenciatura em Pedagogia – Literatura Infanto-juvenil 
a) Apenas a afirmativa I está correta. 
b) Apenas a afirmativa II está correta. 
c) As afirmativas I, II e III estão corretas. 
d) Apenas as afirmativas I e III estão corretas. 
e) As três afirmativas estão erradas. 
* Verifique a resposta correta no final deste tema na seção Gabarito. 
 
Questão 2: Nas décadas de 1920 e 1930, a produção de alguns autores da literatura 
brasileira se destacou pelas críticas feitas às condições de vida das populações do 
Brasil e aos problemas que comprometeriam o desenvolvimento do Brasil como 
sociedade moderna. 
 
O anúncio acima retratava aspectos da sociedade brasileira da época, expressando 
críticas principalmente às condições de: 
a) Acesso à escolarização. 
b) Assistência médico-hospitalar. 
c) Salubridade nas áreas rurais. 
d) Integração econômica regional. 
e) Preocupação política com o povo. 
* Verifique a resposta correta no final deste tema na seção Gabarito. 
 
Questão 3: Analise as assertivas abaixo e assinale com (C) as corretas e com (E) as 
erradas, corrigindo-as. 
 
 
 
GOSTOU DO MATERIAL? Então não se esqueça de curtir! 
3 Anhanguera – Licenciatura em Pedagogia – Literatura Infanto-juvenil 
( ) Na Literatura Contemporânea a sequência narrativa nem sempre é linear como 
nas narrativas primordiais. Na Literatura de hoje em dia é utilizada a técnica do 
flashback. 
( ) Os heróis de Monteiro Lobato nem sempre apresentam as características típicas 
desse tipo de personagem: valentia, nobreza de caráter e pureza. Pelo contrário, 
muitas vezes são rebeldes e contestadores. 
( ) Para Monteiro Lobato, a criança é um leitor potencial e imaginativo, inserido na 
cultura, que troca ideias, resolve problemas, cria e recria o universo a sua volta, 
sendo capaz de produzir significados a partir daquilo que lê, assim como as 
personagens principais de suas narrativas. 
( ) As obras de Monteiro Lobato, apesar de estimularem as crianças à imaginação e 
ao desprendimento, não rompem com o tradicionalismo da língua, incorporando 
em sua linguagem a gramaticalidade e o rebuscamento que eram muito comuns 
aos autores de sua época. 
( ) As obras conhecidas como inovadoras mantiveram a representação da vida e do 
mundo como antigamente, sendo conhecidas também como continuadoras. 
Agora, assinale a alternativa que corresponde a sequência correta: 
a) C, C, C, E. 
b) E, C, C, E. 
c) C, E, C, E. 
d) C, C, E, E. 
e) E, C, C, C. 
* Verifique a resposta correta no final deste tema na seção Gabarito. 
 
Questão 4: Quem primeiro retratou o saci-pererê em histórias infantis foi Monteiro 
Lobato, na série de livros Sítio do Pica-pau Amarelo. 
 
Foi desse jeito que a lenda se espalhou pelo Brasil. 
Depois disso, apareceu em seriados na TV e nas 
histórias em quadrinhos da Turma da Mônica. O 
saci-pererê é considerado um símbolo nacional, 
pois congrega as três raças que compõem o povo 
brasileiro (branco, negro e índio). 
Segundo a lenda, os sacis vivem exatos 77 anos. 
Eles são gerados pelos gomos do bambu. Quando 
morrem, se transformam em cogumelos 
venenosos. 
 
 
 
GOSTOU DO MATERIAL? Então não se esqueça de curtir! 
4 Anhanguera – Licenciatura em Pedagogia – Literatura Infanto-juvenil 
 
Que característica essencial às obras contemporâneas foi herdada dessa 
interpretação de Monteiro Lobato da miscigenação brasileira? 
a) A miscigenação. 
b) A incorporação dos mitos e lendas do Brasil. 
c) A consciência da nacionalidade 
d) Todas as alternativas estão corretas. 
* Verifique a resposta correta no final deste tema na seção Gabarito. 
 
Questão 5: Nelly Novaes Coelho, em Panorama histórico da literatura infantil e 
juvenil, explica que Emília aparece como personagem secundária na primeira versão 
de A menina do narizinho arrebitado. 
 
“(...) era apenas uma bruxinha de pano que Lúcia 
levava para todo o canto consigo, mas que nada fazia". 
Daí em diante, a bonequinha cheia de reinações ganha 
cada vez mais posto de porta-voz do escritor paulista 
Monteiro Lobato. Por ser uma boneca de pano, Emília 
pode cometer impunemente pecados infantis como 
birra, malcriação, egoísmo, teimosia, tirania e 
esperteza. A criaturinha, com sua torneirinha que 
jorra asneiras, não teme nada, apronta todas, é cheia 
de vontades, faz o que dá na veneta. Curiosa, sempre 
lança um olhar poético para as coisas ao redor. Quando 
leva bronca, finge que não é com ela e sempre tem uma 
resposta desconcertante. 
“A Emília é infernal", bem definiu Lobato certa vez. “Quando estou batendo o teclado, 
ela posta-se ao lado da máquina e quem diz que eu digo o que eu penso?", indagou. 
Laura Sandroni, no livro De Lobato a Bojunga, ressalta que Emília é o personagem 
mais significativo do Sítio do Pica-Pau Amarelo. “Visto por muitos como o alterego 
de Lobato, através de quem ele emite os seus pontos de vista, denuncia os absurdos 
do mundo civilizado, ri da empáfia dos sábios e poderosos. Sendo uma boneca, 
embora evolua e vire gente de verdade, ela está livre das obrigações sociais impostas 
pela educação à criança. Ela pode dizer o que pensa sem nenhum tipo de coerção", 
afirma. 
 
Considerando o texto apresentado analise as duas proposições abaixo: 
I. Monteiro Lobato tentou, com a criação de Emília, representar as características 
de uma criança do século XX. 
 
 
 
GOSTOU DO MATERIAL? Então não se esqueça de curtir! 
5 Anhanguera – Licenciatura em Pedagogia – Literatura Infanto-juvenil 
PORQUE 
II. É visível verificar na Emília de Lobato a nova visão da criança como alguém 
capaz de inferir, surpreender, a ter vontades e voz, liberar sua irreverência 
infantil, sua preocupação com os mais variados problemas sociais, a fim de 
questionar