A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Bronquite_aguda

Pré-visualização | Página 1 de 1

Bronquite aguda
Definição
Inflamação autolimitada da traqueia e brônquios
Epidemio
Maior incidência em fumantes, idosos e crianças pequenas e durante os meses
de inverno
Condição do trato respiratório mais comum tratada na atenção primária
Etiologia
Infecções virais são a principal causa de bronquite (rinovírus, vírus influenza,
adenovírus, VSR)
Organismos atípicos (Mycoplasma, Chlamydia pneumoniae)
Infecções bacterianas (Bordetella pertussis, Haemophilus influenzae, Moraxella,
Streptococcus pneumoniae)
Patógeno Sazonalidade Observações
Vírus influenza Inverno Epidemias locais duram de 6 a 8
semanas, durante as quais a doença
clínica de tosse e febre tem alto valor
preditivo
Rinovírus Outono e
primavera
Causa mais frequente do resfriado
comum; imunidade é sorotipo
específico
Coronavírus Inverno e
primavera
Causa resfriado comum
Adenovírus Ano inteiro, com
elevação no
inverno
Altas taxas em populações fechadas,
como pessoas que moram em quartéis
militares ou dormitórios de faculdades;
imunidade específica para sorotipo
VSR Final do outono até
início da primavera
Taxas se aproximam de 75% em
neonatos, de 3% a 5% em adultos;
associado à sibilância em todas as
faixas etárias
Metapneumovírus
humano
Inverno e começo
da primavera
Associado à sibilância em adultos e
crianças; difícil de isolar na cultura de
tecidos e geralmente requer RT-PCR
Vírus
parainfluenza
Outono até a
primavera
Semelhante ao RSV e hMPV, os vírus
parainfluenza são principalmente
patógenos pediátricos, mas podem
causar doença aguda grave em alguns
adultos
Sarampo Ano inteiro Pode causar doenças respiratórias em
crianças desnutridas; doença causa
imunossupressão transitória
Mycoplasma
pneumoniae
Ano inteiro, queda
no outono
Longo período de incubação (10 a 21
dias) resulta em um padrão epidêmico
escalonado nas famílias; tosse
persistente não produtiva típica;
diagnosticado por sorologia IgM;
tratados com antibióticos macrolídeos,
quinolonas ou tetraciclina
Chlamydia
pneumoniae
Ano todo Associado com sinusite
Coqueluche
(Bordetella
pertussis )
Ano todo Doença grave em crianças não
imunizadas; doença mais branda em
adultos parcialmente imunes; pode
estar associado a tosse prolongada;
terapia precoce com antibióticos pode
reduzir a propagação
Sinais e sintomas
Em geral, inicia com sinais e sintomas típicos do resfriado comum (congestão
nasal, dor de garganta), seguidos logo pelo início da tosse
Tosse, geralmente pior pela manhã, geralmente produtiva; causada
principalmente por hiperresponsividade brônquica transitória
Febre baixa
Desconforto substernal agravado pela tosse
Gotejamento pós-nasal
Ronco que pode desaparecer após tosse, chiado ocasional
Fatores do hospedeiro (idade, estado imunológico, tabagismo, condições
médicas subjacentes) podem influenciar a gravidade da doença e a apresentação
clínica
Em casos leves, a doença dura apenas 7 a 10 dias, enquanto em outros, a tosse
pode persistir por até 3 semanas ou mais
Ddx
Pneumonia
Asma
Sinusite
Bronquiolite
Aspiração
Fibrose cística
Faringite
Tosse devido à medicações
Neoplasma
Influenza
Aspergilose
DRGE
IC
Dx
Laboratório
Inespecífico e geralmente desnecessário
Imagem
Rx tórax é geralmente reservado p/ pctes c/ suspeita de pneumonia, influenza
ou DPOC subjacente e sem melhora com a terapia
Tto
Não farmacológico
Evitar o tabaco e outros irritantes pulmonares
Ingestão de líquidos
Uso de vaporizador para aumentar a umidade do ambiente
Farmacológico
Terapia é geralmente sintomática e direcionada ao alívio da tosse e chiado no
peito
Broncodilatadores inalados (por exemplo, albuterol, metaproterenol) p/ 1-2sem
em pctes com sibilância ou tosse problemática. O albuterol inalado demonstrou
ser eficaz na redução da duração da tosse em adultos com bronquite aguda não
complicada.
Recomenda-se geralmente a supressão da tosse com dextrometorfano e
guaifenesina; adição de codeína para a supressão da tosse se a tosse for grave e
interromper significativamente o padrão de sono do pcte
Uso de atbs (TMP-SMX, amoxicilina, doxiciclina, cefuroxima) p/ bronquite aguda
geralmente não é indicado; deve ser considerado em pctes c/ DPOC e escarro
purulento concomitantes ou c/ suspeita de coqueluche. Nos poucos casos de
bronquite aguda causada por B. pertussis ou bactérias atípicas, como C.
pneumoniae ou Mycoplasma pneumoniae, o uso precoce de antibióticos
macrolídeos é razoável
Atbs são usados em excesso em pctes com bronquite aguda; essa prática está
contribuindo para o aumento de organismos resistentes