A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
12 pág.
Endócrino - Produção hormonal do tecido adiposo.

Pré-visualização | Página 1 de 4

POR: AMANDA CALFA
Indo além: Produção hormonal pelo
tecido adiposo.
COD: AMANDA6995
1 
 
 
HORMÔNIOS PRODUZIDOS PELO TECIDO ADIPOSO 
 
Tecido adiposo é uma glândula que regula a velocidade do nosso metabolismo e o comportamento 
alimentar. Ele controla a homeostase energética “quanto eu gasto e extraio de calorias”. Essa capacidade de 
aproveitamento metabólico é pessoal, pois ela é dada pela quantidade de tecido adiposo que você tem. 
Tecido adiposo Branco: Controla homeostase e energética, regula quanto de fome tem, quanto mais 
tecido adiposo mais fome tem, menos caloria aproveita. De fato, é um ciclo vicioso e que em nós não há 
regulação, pois os indivíduos seres humanos pode passar muito do peso. O estoque de calorias não tem 
nenhuma regulação 
 Não existe regulação para essa via de estoque de caloria. 
Tudo isso nós fazemos com 2 tipos de receptores que regulam a homeostase energética e o 
comportamento alimentar: GPCR e TIROSINA KINASE (dentre os 6). Então, controla-se o índice de massa 
corpórea e o apetite através desses 2. Todos os hormônios dessa via terão como alvo esses receptores. 
Processo de ganho e acúmulo de triacilglicerol é um processo inflamatório. Hoje a obesidade é, também, 
estudada como forma de inflamação. Tecido adiposo branco recebe infiltrados de macrófagos são ativados e 
mudam a expressão de citocinas como qualquer tecido inflamado. Essa inflamação nos deixa mais predisposto a 
resistência a insulina, por exemplo. Então pode ser que uma das formas de combater a DM2 é combater a 
própria inflamação. 
“Há uma certa resistência para se considerar o tecido adiposo branco como uma glândula, mas até o fim 
da aula isso ficará claro: é uma glândula com importantíssima produção de moléculas com uma atividade muito 
grande. 
A função é garantir a nossa existência mesmo em condições de escassez de nutrientes. Nós somos 
capazes de estocar todo excesso de caloria, excesso de nutrientes convertidos em lipídios. Se eu mantenho 
uma dieta muito calórica seja lipídeos, carboidratos, eu converto esse excesso em lipídeos. Ganho mais tecido 
adiposo branco porque ele é o estoque de triacilglicerol. Isso foi essencial há 50 anos. A abundância calórica em 
nós tem 50 anos. Somo máquinas de acumular combustível. “sou saudável como banha” a população era a 
estimulados a consumir calorias. 
Com uma rara condição: não tem controle  Quanto mais eu como mais eu estoco. 
Sempre há conversão de carboidratos em lipídios, nunca o contrário na célula animal (bactérias fazem). 
Podem-se converter carboidratos em aminoácidos. 
2 
 
 
Por serem hidrofóbicos eles podem armazenar grandes quantidades, pois não são atrelados à água, ou 
seja, eu pego um grão de tecido adiposo branco: 90% é lipídio, mas quando eu pego um grão no fígado: 1/3 do 
glicogênio é água. Além disso, por unidade de massa ele tem mais que o dobro de energia em relação com os 
carboidratos: 1 grama de carboidratos de 4 kcal e 1 grama de lipídio tem 9 kcal. Os carbonos são mais 
reduzidos em lipídeos, ou seja, eles têm mais elétrons e colocam a cadeia transportadora de elétrons para 
movimentar muito mais. O lipídio rende muito mais, pois a resposta não é o número de carbono, mas o estado 
redox do carbono, assim, nos lipídeos os carbonos doam mais elétrons, os elétrons ficam na cadeia 
transportadoras e ela é nossa principal fonte calórica, tanto é que os venenos mais efetivos são inibidores da 
cadeia transportadora, por exemplo, o cianureto, que é o maior inibidor da cadeia respiratória. 
 
Existem 2 formas de tecido Adiposo: 
 
1. Tecido Adiposo Marrom (TAM): É muito discreto em nós, só se mostra em recém-nascidos (RN) 
e em outros animais. Ele ganha esse nome marrom, pois possui muita mitocôndria (tem ferro e enxofre, por isso 
é marrom). Essas mitocôndrias não produzem calorias e sim produzem calor. 
 Possuem proteínas desaclopadoras (as termogeninas) elas produzem calor mesmo e aquecem o RN. 
É importante para bebês e animais que hibernam, função termogênica em RN (ficam no dorso do RN). 
 Hoje, coloca-se a proteína termogenina, que gasta calorias e emite calor, na soja para emitir calor, 
empresas utilizam essas proteínas no controle da soja plantada através das fotos térmicas. Portanto, o TAM tem 
vários depósitos de triacilglicerol em pequenas gotículas e uma elevada quantidade de mitocôndria. 
 
2. Tecido Adiposo Branco: Tem Única gota de triacilglicerol (e poucas mitocôndrias) ocupa quase 
todo espaço celular. Quando o TAB estoca calorias é para um momento de privação, se essa privação não 
surgir: estoca-se, estoca-se... Antigamente era um mamute por dia, hoje “é um a cada 2 horas e uma cerveja por 
cima”. 
Possui 3 funções: 
1º Proteger contra choque térmico, isolante mecânico. A face é preparada para receber soco, 
comprova que somos preparados para o choque. Preservam de choque mecânico. Adipócito Um núcleo 
espremido e triacilgligerol no meio dele. Isola-nos do meio externo. Sendo acumulada entre as vísceras é 
um isolante mecânico. 
2º Reserva Energética. Permite-nos passar longos períodos sem alimentação (um indivíduo 140 
quilos pode passar 15 meses sem se alimentar, só tomando água). Todos nós, independente do IMC, 
temos a mesma reserva de glicogênio de 12 horas, mas a reserva de lipídeo varia. 
3 
 
 
3º Função Endócrina TAB é uma glândula e cada vez mais amplia o número de hormônios que 
esse tecido produz. As células de armazenamento de triacilglicerol são chamadas de adipócito e é a 
principal célula secretora de adipocina. Além dos adipócitos, tem matriz de tecido conjuntivo, fibra 
colágeno e reticulada, principalmente, tem neurônio, nódulos linfáticos, células imunes: macrófagos, 
principalmente em indivíduos obesos e esses estão ativados, aptos para o combate, tem fibroblastos, tem 
pré-adipócitos células indiferenciadas do tecido adiposo. Por isso, grupos que estudam células troncos 
têm como alvo tecido lipoaspirado. Muito difícil alterar o número depois de 3 anos, pois as células 
indiferenciadas que ficaram vão repovoar a região retirada. 
 Número de adipócitos determinado em torno dos 3 anos de idades (Se você é magro até os 3 anos 
provavelmente será sempre, mesmo abusando na mesa). Se tiver muito adipócito aos 3 anos a balança vai ser 
um problema a vida toda. A razão para isso é que o número clonal de adipócitos é feito em torno dos 3 anos. 
Esses adipócitos passam a secretar substâncias que regulam a fome e o gasto calórico. Tem indivíduos que 
falam “eu como pouco e engordo”, isso é verdade, pois eles aproveitam muitas calorias. 
Resposta de pergunta: um dos alvos do TAB é o hipotálamo, por isso alguns medicamentos que modulam 
o metabolismo para obesos foram proibidos por causar tendências suicidas. 
 
ADIPOCINAS: proteínas secretadas pelo TAB 
Toda secreção hormonal é em nós sumarizada em adipocina, lembrando que nem sempre é onde 
guardamos os adipócitos. 
A estrutura proteica e a função fisiológica das adipocinas é altamente variada e compreende proteínas 
relacionas ao sistema imune. TNF alfa e Interleucina-6 são citocinas, molécula produzidas por leucócitos, mas 
também produzida pelo tecido adiposo, em quantidade e locais muitos diferentes do que são normalmente 
vistos na função imune. 
 Função vai além da imunológica. Temos: 
 Fatores de crescimento do endotélio vascular (VEGF). 
 Regulação Pressão Sanguínea: Angiotensinogênio (produzido no fígado), mas tecido adiposo 
também produz. Por isso, o casamento- obesidade e hipertensão- quanto mais TCA mais angio1 e angio 2, mais 
predisposto a hipertensão você estará. 
 Secreta o inibidor do ativador do plasminogênio, logo o plasminogênio não vai ser transformado em 
plasmina. Isso compromete processo de fibrinólise, gerando a associação: obesidade e trombose, você não 
dissolve o coágulo adequado, porque você está inibindo a molécula que degrada o coágulo que é a plasmina, 
então pode ter a pró-coagulação