A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Criminologia em questões - Parte 1

Pré-visualização | Página 1 de 1

Em sua obra "Criminologia" o insigne Professor Sérgio Salomão Shecaira discorre sobre duas visões
principais da macrossociologia que influenciaram o pensamento criminológico. À primeira delas, de
corte funcionalista, ele as denomina de teorias de consenso (escola de Chicago, teoria da
associação diferencial, teoria da anomia e teoria da subcultura delinquente). Por seu turno, a
segunda visão, argumentativa, foi conceituada como teorias do conflito (teorias do labelling
approach e crítica). A teoria da associação diferencial sugere que o crime não pode ser definido
simplesmente como disfunção ou inadaptação de pessoas de classes menos favorecidas, não sendo
ele exclusividade destas. Essa teoria assenta-se na consideração de que o processo de Comunicação
é determinante para a prática delitiva. Para ela, o comportamento criminal é um comportamento
aprendido. Para a teoria da anomia, o crime é visto como um fenômeno normal da sociedade e não
necessariamente ruim. Isto porque o criminoso pode desenvolver um útil papel para a sociedade,
seja quando contribuiu para o progresso social, criando impulsos para a mudança das regras
sociais, seja quando os seus atos oferecem a ocasião de afirmar a validade destas regras,
mobilizando a sociedade em torno dos valores coletivos. A subcultura delinquente pode ser
definida como um comportamento de transgressão que é determinado por um subsistema de
conhecimento, crenças e atitudes que possibilitam, permitem ou determinam formas particulares
de comportamento transgressor em situações específicas. Para a teoria crítica, o fundamento
imediato do ato desviado é a ocasião, a experiência ou o desenvolvimento estrutural que fazem
precipitar esse ato não em um sentido determinista, mas no sentido de eleger, com plena
consciência, o caminho da desviação como solução dos problemas impostos pelo fato de viver em
uma sociedade caracterizada por contradições. (MPE-GO - 2019 - MPE-GO - Promotor de Justiça -
Reaplicação)
A teoria da associação diferencial, segundo a qual o indivíduo desenvolve seu comportamento
individual com base nos exemplos e nas influências que possui, explica, de certa forma, o
denominado crime de colarinho-branco. (Prova: CESPE / CEBRASPE - 2020 - PC-SE - Delegado de
Polícia - Curso de Instrução)
 O Sistema de Justiça Criminal é composto por órgãos dos Poderes Executivo e Judiciário da
União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios e tem atribuições que abarcam desde a
prevenção ao crime até a execução imposta aos condenados, segundo Fanchinelli (2016). (Prova:
IADES - 2019 - PC-DF - Perito Criminal - Verificação de Aprendizagem - 2ª Prova)
 A Justiça Restaurativa surgiu nos anos 1960 e tem por propósito restabelecer a cidadania da
vítima ou das vítimas do sistema, sendo um mecanismo que possibilita a discussão do evento
danoso entre o delinquente, a vítima e a comunidade, permitindo, assim, que as vítimas também se
apropriem devidamente do conflito. Refere-se a um processo em que todas as partes envolvidas em
um ato que causou ofensa unem-se para decidir coletivamente como lidar com as circunstâncias
decorrentes desse ato e suas implicações para o futuro. Prova: TJ-AP - 2019 - Estagiário -
Conciliador/Mediador
1.
2.
3.
4.
PASSEI DIREITO
CRIMINOLOGIA EM QUESTÕES - PARTE 1
ageudourado.passeidireto@gmail.com
https://jadersantosadvogados.com.br/teoria-da-associacao-diferencial-e-o-criminoso-de-colarinho-branco/
https://www.editorajuspodivm.com.br/cdn/arquivos/44bb7bc2db3d6e23073500e1286cee71.pdf
https://canalcienciascriminais.com.br/a-teoria-da-subcultura-delinquente/#:~:text=Assim%2C%20a%20forma%C3%A7%C3%A3o%20de%20subculturas,limitad%C3%ADssimas%20possibilidades%20leg%C3%ADtimas%20de%20atuar.
https://repositorio.uniceub.br/jspui/bitstream/235/12710/1/O%20que%20%C3%A9%20%28era%29%20criminologia%20cr%C3%ADtica.pdf
https://repositorio.uniceub.br/jspui/bitstream/235/12710/1/O%20que%20%C3%A9%20%28era%29%20criminologia%20cr%C3%ADtica.pdf
https://jadersantosadvogados.com.br/teoria-da-associacao-diferencial-e-o-criminoso-de-colarinho-branco/
https://carceraria.org.br/wp-content/uploads/2012/07/IPEA_Justica_Criminal_e_Seguraca_Publica.pdf
https://carceraria.org.br/wp-content/uploads/2012/07/IPEA_Justica_Criminal_e_Seguraca_Publica.pdf
https://enciclopediajuridica.pucsp.br/verbete/138/edicao-1/justica-restaurativa