A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Câncer de Mama

Pré-visualização | Página 2 de 2

direito da paciente, descobre somente a 
mama a ser examinada e inicia a palpação. 
 Deve ser realizada com os dedos em movimento de rotação. 
 Mama dividia em 4 quadrantes para ser totalmente avaliada. 
 Começa pelo mamilo seguindo para a periferia em raios 
imaginários. 
 Obedecer o sentido horário ou anti-horário = depende do 
quadrante pelo qual se iniciou o exame. 
 Avaliar consistência do tecido = variável e depende das 
proporções relativas do tecido glandular (mais firme) e de 
gordura (mais mole). 
 Nodularidade fisiológica = aumenta durante o período 
menstrual e avaliar hipersensibilidade comum do período pré-
menstrual. 
 Palpar o prolongamento mamário axilar. 
 Detalhar a presença de nódulo quanto à: 
a. Localização. 
b. Tamanho. 
c. Formato (oval, redondo, lobulado ou indiferenciado). 
d. Consistência (lisa, regular, amolecida ou endurecida). 
e. Delimitamento (bem delimitado ou não. 
f. Sensibilidade (dor ou não a palpação). 
g. Mobilidade (fixo em planos profundos ou movimentação livre). 
 Identificar se solitário ou múltiplo. 
 Aspecto da pele sobre o nódulo. 
 Linfonodomegalia associada. 
 Palpação dos mamilos: observar retrações ou deslocamento. 
 Pesquisa de descarga papilar: aplicar pressão e pinçar o 
mamilo. Realizado em pelo menos 2 direções. 
Diagnóstico. 
 Histopatológico: 
 Biópsia cirúrgica incisional ou excisional = retirar um pedaço 
ou nódulo completo e mandar para avaliação 
histopatológica. 
 Core Biopsy = punção por agulha grossa. Guiada por USG. 
Corta um pedaço do nódulo → tecido para avaliação 
histopatológica. 
 Histoquímico: 
 Saber tipo molecular do carcinoma para indicação de 
tratamento adequado posterior. 
 Pesquisar receptores hormonais positivos, supraexpressão de 
Her-2 (proteína aumentada na replicação das células 
tumorais) e grau de proliferação do ca. 
 Tipos moleculares: 
 Luminais A = receptores hormonais positivos + Her-2 negativo 
+ Ki67 < 14%. 
 Luminais B = receptores hormonais positivos + Her-2 negativo + 
Ki67 > 14%. 
 Her-2 = receptores hormonais negativos + aumento de Her-2. 
 Luminal Her-2 = receptores hormonais positivos + aumento Her-
2. 
 Basal = triplo negativo. 
Estadiamento. 
O sistema de estadiamento mais utilizado é o preconizado pela 
União Internacional Contra o Câncer (UICC), denominado Sistema 
TNM de Classificação dos Tumores Malignos. 
Este sistema baseia-se na extensão anatômica da doença, levando 
em conta: 
1. As características do tumor primário (T); 
TX O tumor primário não pode ser avaliado. 
T0 Não há evidência de tumor primário. 
Tis Carcinoma in situ. 
T1 (< 2 cm), T2 (2 – 5 cm), T3 (> 5cm), T4 (qualquer tamanho 
acometendo tecidos adjacentes). 
Tamanho crescente e/ou extensão local do tumor primário. 
2. As características dos linfonodos das cadeias de drenagem 
linfática do órgão em que o tumor se localiza (N); 
NX Os linfonodos regionais não podem ser avaliados. 
N0 Ausência de metástase em linfonodos regionais. 
N1, N2, N3 Comprometimento crescente dos linfonodos regionais. 
 N1 = linfonodos axilares ipsilaterais móveis. 
 N2 = linfonodos aderidos. 
 N3 = outras cadeias de linfonodos (infra/supraclavicular). 
3. A presença ou ausência de metástases à distância (M). 
MX A presença de metástase à distância não pode ser avaliada. 
M0 Ausência de metástase à distância. 
M1 Metástase à distância. 
Tratamento. 
 Cirúrgico = 1ª opção. 
 Quanto menor a retirada da mama melhor para a autoestima 
e evitar complicações. 
 Setorectomia = retirada parcial da mama. Sempre associar a 
radioterapia. 
 Contra-indicações: 
1. Tumores > 1/5 da mama. 
2. Gestantes (contraindicação a radioterapia). 
3. Doenças do colágeno (contraindicação a radioterapia). 
4. Tumores multicêntricos. 
5. TTO anterior com radioterapia na região. 
 Mastectomia total = pode ser simples ou radical. 
 Simples – retira apenas o tecido mamário. 
 Radical – além do tecido mamário, linfonodos e peitoral 
menor e maior. 
 Linfonodo sentinela – primeiro linfonodo a receber drenagem 
da mama. Se livre de câncer, muito provavelmente os outros 
também estejam. 
 Pesquisa de linfonodo sentinela – retira o linfonodo sentinela 
para estudo histológico transoperatório, para verificar se o 
mesmo está comprometido. 
 Como identificar? Injetar corante azul patente ou tecnécio 
(detectado por radiação), massagear a mama para 
drenagem linfática e dissecar as axilas em busca do linfonodo 
azul que é retirado e mandado para o anatomopatológico. 
 Quimioterapia = sempre indicada quando: 
 Linfonodo sentinela positivo. 
 Outras situações específicas. 
 Quimioterapia Neoadjuvante = antes da cirurgia. 
 Tumores volumosos = reduzir o tamanho do nódulo para 
cirurgia mais conservadora. 
 Avaliar teste de sensibilidade (in vivo) = verificar a qual 
fármaco o tumor vai responder. 
 Radioterapia = é indicada quando? 
 Cirurgia conservadora. 
 Radical se = bordas comprometidas no anatomopatológico, 
comprometimento de pele e parede torácica. 
 Mais que 4 linfonodos acometidos. 
 Tumores lumiais (receptores de estrogênio positivos) utiliza-se 
hormonioterapia = 
 Tamoxifeno: modulador seletivo do receptor de estrogênio, 
atua como antagonista nos receptores de estrogênio na 
mama = ↓ efeito do tumor sobre células possivelmente 
cancerígenas que se proliferariam com exposição a esse 
hormônio. 
 Inibidores da Aromatase (anastrozol) → enzima conversora de 
androgênio em estrogênio. 
 CONTRAINDICADA em pacientes antes da menopausa. 
 Manter por 5 anos para reduzir o risco de recidivas. 
 Tumores Her-2+ utiliza-se = 
 Trastuzumab: anticorpo com terapia direcionada para 
cânceres com superexpressão do Her-2. 
 Terapia mais direcionada para células com esse receptor. 
Linha de cuidado no câncer de mama. 
 Atenção Básica = porta de entrada. 
 Consulta com generalista. 
 Investigação de lesões palpáveis e suspeitas. 
 Rastreamento (mulheres assintomáticas de 50 a 69 anos). 
 Indicações de mamografias bienais. 
 Médica complexidade (atenção secundária). 
 Consulta com especialista. 
 Diagnóstico. 
 Alta complexidade (UNACON/CACON). 
 UNACON = Unidade de Alta Complexidade em Oncologia. 
Oferece consultas, exames, cirurgias e ttos com quimioterapia 
e radioterapia, não sendo uma obrigatoriedade. 
 CACON = Centro de Referência de Alta Complexidade em 
Oncologia. Exercem o papel auxiliar, de caráter técnico, ao 
gestor do SUS nas políticas de atenção oncológica. 
 OBRIGATÓRIO ter radioterapia, fazer reconstrução da mama. 
 Cuidados paliativos. 
 Cuidado domiciliar = ao voltar para casa, geralmente 
realizado pela Atenção Básica. 
 Pacientes com diagnóstico histológico de CA = iniciar o tto em 
até 60 dias (Lei Nº 12.732/2012). 
 Toda paciente com mutilação da mama, tem garantida sua 
reconstrução, preconizada sua realização na cirurgia radical, 
porém, a reconstrução imediata pode ser contraindicada em 
alguns casos (Lei Nº 9.797/1999).