A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
25 pág.
Aula pós operatório

Pré-visualização | Página 1 de 1

Prof.renata Zarpelão
 fisioterapeuta
PÓS-OPERATÓRIO DE CIRURGIAS PLÁSTICAS
OBJETIVOS DO TRATAMENTO
PÓS-OPERATÓRIO
Reduzir edema
Regressão dos hematomas
Diminuição da dor
Melhorar cicatrização
Correção de irregularidades na pele
Redução de fibroses
Cirurgia plástica
Durante a cirurgia grandes porções de pele
 são deslocadas
Cirurgias estéticas descolamentos extensos
 + dissecção dos retalhos
Retalhos cutâneos
Retalhos cutâneos Porção de pele e 				 subcutâneo transferida de
 uma parte para outra
Cirurgia plástica batalha constante entre
 suprimento sanguíneo e
 beleza!
Retalho
A integração do segmento distal ao seu novo leito
 dura 21 dias
 totalmente revascularizado ( 100%)
A DLM atua diretamente no retalho.
Circulação tissular
Artérias segmentares artérias perfurantes
 Artérias miocutâneas
Rede anastomótica rede anastomótica
 profunda superficial 
Dura 21 d para restabelecer permite irrigação
 retalho
 
Vascularização tissular
Necrose tissular
Ocorre devido a paralisação sanguínea.
Tempo máximo de isquemia do retalho 8 horas
Necrose
Atenção
 Tração excessiva Podem comprometer
Compressões externas a vascularização
Angulações pronunciadas do retalho!!
Cuidar no P.O imediato!!
Deslizamentos no retalho a partir 21° dia.
Tecido adiposo
2 camadas Areolar
 lamelar
Lamelar + espessa, é a removida pelo médico
 sem prejuízo da circulação
Considera-se que após 21 dias a área receptora já é capaz de nutrir adequadamente o retalho.
Revascularização do retalho
Em 4 dias o número de vasos sanguíneos corresponde à metade do normal
Em 4 a 5 dias restaura-se circulação linfática.
Anastomoses
Ocorrem anastomoses do leito receptor e do enxertado.
Podem durar até 7 dias
A partir do 4º dia de P.O têm-se uma aderência que permite o manuseio da área.
Portanto, no retalho...
Nas 1ºs 24 horas não tocar!!
No 2º dia pode iniciar tto P.O sem deslizamentos
Fazer deslizamentos a partir do 21° dia ( por segurança)
Utilizar equipamentos a partir do 7º dia ou 21º dia ( depende médico)- “cuidar peso manopla”
Parar com a DLM reversa- do 4º ao 7º dia ( melhor 7° dia- por segurança)
Complicações dos retalhos
Tensão mecânica e torção
São as causas + frequentes de insuficiência vascular
Epidermólise sofrimento da epiderme
 pode evoluir para necrose!
Cirurgias com retalhos cutâneos
Abdominoplastia
Ritidoplastia
Redução de mama
P.O de cirurgias plásticas
DLM indicada devido a grande destruição de vasos locais
Favorece a formação de neoanastomoses
Estimula trabalho dos capilares
Aumenta motricidade dos linfangions.
Início das drenagens
Pode-se iniciar a DLM ainda no leito hospitalar, mas nesse caso sem fazer movimentos de deslizamentos. (técnica de Vodder)- ( não tocar retalho – nas 1ºs 24 horas).
A partir do 21° dia pode-se fazer movimentos de deslizamentos ( técnica de Leduc)- a partir do 4° dia já há aderência tecidual do segmento descolado.
 Entre os 4° e 7 ° dia de PO existe aumento da angiogênese e os vasos linfáticos respondem melhor aos estímulos (pode-se iniciar as DL a partir do 4º dia de P.O também)
Em 21 dias está totalmente refeita a revascularização
CICATRIZES PATOLÓGICAS
Hipertrófica
Regride espontaneamente;
Dentro dos limites da lesão;
Aparece após um trauma;
Sem recidivas após correção;
Sem grupo determinado
Quelóide
Não regride espontaneamente;
Ultrapassa os limites da lesão;
Aparece com ou sem trauma;
Risco de recidivas após correção;
Predisposição genética;
Pruriginosa ou assintomática;
Grupo de risco: negros e asiáticos
Atrófica
Adelgaçamento da pele;
Retrações