A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Atividade - VERTENTES MODERNAS DA CRIMINOLOGIA E POLÍTICA CRIMINAL

Pré-visualização | Página 1 de 1

PERGUNTA 1 
1. O MOVIMENTO DA LEI E ORDEM CORRESPONDE AO QUE SE 
AFIRMA NA SEGUINTE ALTERNATIVA:	
		
a.	defende o uso do método de controle estatal mais incisivo na vida dos 
indivíduos, devendo ser utilizado em situações extremas em que a 
intervenção do Estado por outros meios se torne insuficiente para 
reparar o dano e garantir a harmonia da sociedade.			
b.	veio abrir novos horizontes aos estudos sobre o criminoso e a pena, 
atentando-se à figura do homem delinquente, observando-o antes 
mesmo de observar o crime. Parte da ideia básica da existência de um 
criminoso nato, cujas anomalias constituiriam um tipo antropológico 
específico.			
c.	busca a elaboração de todo um novo sistema geral garantista com a 
finalidade de construir os alicerces fundamentais para um Estado de 
Direito que estabelece a proteção do direito de liberdade do indivíduo 
contra todas as formas de exercício arbitrário do poder, sob um ponto 
de vista racional, com enfoque especializado no Direito Penal e 
Processo Penal. 			
d.	discute sobre os crimes que ocorrem e não chegam ao conhecimento 
das autoridades policiais ou deixam de seguirem com os trâmites 
necessários para que o autor, responsável pela prática do crime seja 
devidamente responsabilizado civil e penalmente		
e.	 é uma política criminal que tem como finalidade transformar 
conhecimentos empíricos sobre o crime, propondo alternativas e 
programas a partir se sua perspectiva. Defende que a pena é, 
sobretudo uma retribuição, que crimes graves devem ser punidos com 
penas altas, privativas de liberdade, e que a prisão provisória deve ser 
considerada como uma resposta imediata a práticas delitivas de maior 
gravidade e que causam inquietude na população de bem.		
	
PERGUNTA 2 
1. DE ACORDO COM OS ENUNCIADOS, ASSINALE A ALTERNATIVA QUE 
CORRESPONDE CORRETAMENTE AO TIPO DE VITIMIZAÇÃO:	
 	
I- deriva do tratamento conferido pelas instâncias formais de controle social (Polícia, 
Ministério Público, Judiciário), consistindo em sofrimento adicional causado à vítima por 
órgãos estatais. Pode emanar do mau atendimento dado pelo agente público, que leva 
a vítima a se sentir como um objeto nas mãos do Estado, e não um sujeito de direitos.	
 	
II- decorre de familiares e do grupo social da vítima (instâncias informais de controle 
social), que segregam e humilham a vítima em virtude do crime por ela sofrido. Pode 
resultar em desestímulo para a formalização da notitia criminis, ocasionando a cifra 
negra (diferença entre a criminalidade real e a registrada pelos órgãos policiais). Essa 
falta de amparo da família, dos colegas de trabalho e dos amigos, e a própria sociedade 
acaba incentivando a vítima a não denunciar o delito às autoridades, ocorrendo o que 
se chama de cifra negra.	
 	
III- são os efeitos diretos e indiretos da própria conduta criminal. Decorre do delito, e 
compreende todos os prejuízos e danos sofridos pela vítima (lesão ao bem jurídico como 
integridade física, patrimônio, etc), bem como as demais decorrências (incluindo-se aí 
vergonha, raiva, medo, dentre outros abalos psicológicos).	
		 
I- Vitimização secundária, II- vitimização terciária, III- vitimização 
primária.	
 	
 		 
 I- Vitimização terciária, II- vitimização primária, III- vitimização 
secundária.	
 		 
I- Vitimização secundária, II- vitimização primária, III- vitimização 
terciária.			 
 I- Vitimização terciária, II- vitimização secundária, III- vitimização 
primária.	
 		 
I- Vitimização primária, II- vitimização secundária, III- vitimização 
terciária.	
 	
	
PERGUNTA 3 
1. QUANTO AS NOVAS TENDÊNCIAS DA CRIMINOLOGIA 
PODE-SE AFIRMAR QUE A ASSERTIVA CORRESPONDENTE 
AO SEU AUTOR É:	
		
a.	 “A prisão é um depósito no qual as pessoas indesejadas são 
inocuizadas. O criminoso não é politicamente perigoso.” (Bauman).	
 		
b.	 “Diante do surgimento de condutas ‘indesejáveis’, o Estado neoliberal 
engendra para neutralizar os comportamentos ‘desviantes’ 
(Mathiesen)			
c.	 “o direito é uma instância de manutenção da exploração e nunca será 
usado para reduzir desigualdades (vide os crimes econômicos).” 
(Hulsman)			
d.	• “A prisão é o substitutivo do gueto, que impede a politização das 
demandas diante da criação da miséria” (Wacquant).	
• 		
e.	 “ o criminoso é o ‘consumidor falho’, que não interessa à sociedade de 
consumo e deve ser tirado das vistas da sociedade pós-moderna” 
(David Garland).		
	
PERGUNTA 4 
1. FAZ-SE NECESSÁRIO, SEMPRE, LEMBRAR AS PALAVRAS DE _______________ PARA 
FALAR SOBRE O FIM OBJETIVADO PELO ______________:	
“O	fim	desse	sistema	não	suprimiria,	por	óbvio,	a	situação	problemática,	mas	a	ausência	das	
chaves	que	reduzem	a	interpretação	e	as	soluções	estereotipadas	que	este	sistema	impõe	
desde	do	alto	e	desde	longe	permitiria,	em	todos	os	planos	da	vida	social,	a	erupção	de	uma	
multidão	de	enfoques	e	soluções	que	hoje	apenas	podemos	imaginar”	
EXAMINE A CITAÇÃO ACIMA E MARQUE A ALTERNATIVA QUE COMPLETA 
ADEQUADAMENTE A PRIMEIRA FRASE:	
	
	
a.	Michel	Foucault,	criticismo	penal.			
b.	Louk	Hulsman,	Abolicionismo	Penal.			
c.	Juarez	Cirino,	movimento	de	criminologia	radical.			
d.	Robert	Merton,	Etiquetamento	social.			
e.	Alessandro	Baratta,	direito	penal	mínimo.	
	
PERGUNTA 5 
1. ASSINALE	A	ALTERNATIVA	CORRETA:			
a.	O minimalismo, enquanto movimento crítico ao sistema de justiça penal, foi 
concebido com a proposta de supressão integral do sistema penal por outras 
instâncias de controle social. Em sentido oposto, revelou-se o movimento “Lei e 
Ordem”, que reconhecia no direito penal máximo o instrumento primordial à 
resolução dos problemas que afligem a sociedade.		
b.	A política de repressão implementada nos anos 90 pelo então Prefeito de Nova 
York, Rudolph Giuliani, orientada pelo chamado “movimento da lei e da ordem”, 
é criticada porque resultou no aumento da violência policial e não obteve redução 
dos índices de criminalidade.		
c.	Para	Alessandro	Baratta	o	Direito	Penal	Máximo	seria	o	“espaço	residual	que	fica	para	a	
intervenção	 punitiva	 dentro	 da	 política	 integral	 de	 proteção	 dos	 direitos,	 quando	 se	
considere	inevitável	para	responder	a	gravíssimas	violações	de	direitos	fundamentais.			
d.	O	Garantismo	se	baseia	na	concepção	de	Ferrajoli	e	tem	como	objetivo	principal	edificar	
um	 conceito	 específico	 para	 a	 criminologia,	 a	 partir	 da	 discussão	 da	 legitimidade	 da	
intervenção	 penal,	 não	 se	 ocupando,	 por	 isso,	 do	 estudo	 da	 qualidade,	 quantidade	 e	
necessidade	da	pena.		
e.	Para o Neo realismo de esquerda a justiça criminal, atualmente, além de aplicar 
as leis e delimitar o direito, busca dar cumprimento ao decreto condenatório e 
assegurar a devida proteção aos direitos e garantias fundamentais dos presos.