A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
14 pág.
Clínica de Equinos-Digestivo

Pré-visualização | Página 3 de 3

e 
compromete a vida do animal na 
maioria das vezes. 
Descrito melhor no esquema abaixo 
as milhares de causas e 
consequências do íleo adinâmico. 
 
 
 
11 
Clínica de Equinos-2021/1 UFMG 
Ana Flávia Sousa Santos 
 
–
Diarreias 
Pode ocorrer por causas tanto 
infecciosas quanto não infecciosas, 
com um aumento do volume e 
quantidade de defecação, podendo 
relacionar-se com mecanismos de 
hipersecreção, aumento da 
permeabilidade, alterações de 
motilidade e má absorção. A 
etiologia pode ser por uma colite 
dorsal direita, doenças 
inflamatórias, parasitárias, 
salmonelose, clostridioses, erliquiose 
e enterite proliferativa. 
Colite esta muito associada ao uso 
da fenilbutazona que inibe a Cox 
reduzindo a perfusão e as 
prostaglandinas deixando o colón 
mais expostos a essas lesões, 
aderindo neutrófilos no endotélio 
que causa lesão na mucosa. 
Animais com fezes aquosas e 
profusas com sinais de endotoxemia 
sendo uma emergência. Samonela 
muito comum com enterocolite e 
diarreia causando perda de proteínas 
e diarreias que geram anorexia e 
febre. 
Já as clostridioses por C.difficile é 
comum em animais internadoos e 
tratados com antibioticoterapia, 
enquanto que com C. perfringens é 
caracterizada por uma colite aguda, 
podendo ter diarreia profusa e 
hemorrágica. Parasitárias são 
comuns por grandes e pequenos 
etrongilus levando a inflamação 
crônica e edema, a diarreia ocorre 
junto com dano na barreira mucosa 
com a liberação de larvas mais 
intensas na administração dos 
anti-helmínticos. 
Erliquiose monocítica equina age 
na parede intestinal nas células 
epiteliais intestinais, mastócitos e 
macrófagos onde permanecem 
intracitoplasmáticas, causando 
mudança de absorção e secreção. 
Sendo que todas essas o diagnóstico 
vai ser com base na clínica, exames 
patologia clínica, abdominocentese 
nada específico, fazer os exames 
 
12 
Clínica de Equinos-2021/1 UFMG 
Ana Flávia Sousa Santos 
 
específicos nas fezes de acordo com a 
suspeita, fazer a US nos casos de 
espessamento de parede, se não chego 
a um diagnóstico pode ser recorrido 
à cirurgia exploratória. 
Tratamento a ser realizado é com o 
uso da reposição hidroeletrolítica, 
suporte com coloide e uso da 
antibioticoterapia, prevenindo e 
tratando a SIRS e SEPSE se 
houver, e administração de 
probióticos para melhora da saúde 
intestinal. 
Afecções Inflamatórias do trato 
gastrointestinal 
Muito associadas a animais com 
intensa perda de peso, sendo 
interessante uma anamnese bem 
feita para eu chegar a conclusão se 
temos ou não a absorção de 
nutrientes. Pois as doenças 
inflamatórias eu vou ter a má 
absorção e má digestão, 
normalmente no ID podendo 
progredir para o IG, com infiltração 
anormal de células na mucosa e 
submucosa com dificuldade de se 
definir o que causou essa 
inflamação. 
 
 
Dentre as doenças inflamatórias 
temos a Enterite eosinofilica e 
doença epiteliotrófica eosinofilica 
multissitêmica, enterite 
granulomatosa, enterite 
linfocitica/plasmocitária ou 
linfosarcoma. 
A enterite eosinofilica eu tenho um 
infiltrado NE eosinófilos e linfócitos 
na mucosa do ID, podendo acometer 
outros órgãos dando origem a 
doença epiteliotrófica eosinofilica 
multissitêmica, causando cólicas 
recorrentes e levando a fibrose 
mural. 
 
13 
Clínica de Equinos-2021/1 UFMG 
Ana Flávia Sousa Santos 
 
 
Enterite granulomatosa é aquela 
que tenho infiltrado de linfócitos e 
macrófagos na lâmina própria, 
podendo se estender ao trato 
respiratório, pele, fígado e baço. 
Causa uma atrofia das vilosidades, 
com hiperplasia de cristas, edema, 
erosão de mucosas e linfangiectasia. 
Linfosarcomas é menos comum mas 
causam também inflamações 
intestinais, sendo uma deficiência 
seletiva de IgM que pode ocorrer 
primariamente no mediastino, mas 
pode também ser metástase de 
algum outro órgão, gerando cólicas 
recorrentes perdas de peso, 
infiltrados difusos, anemias e 
trombocitopenias. 
Diagnósticos dessas doenças são 
baseados no histórico e sinais 
clínicos, dietas oferecidas, perda de 
peso, cólicas recorrente, edema, 
motilidade reduzida e palpação 
sentem alguns nódulos. Exames 
laboratoriais vão ter uma anemia, 
com hipoproteinimia e 
hipoalbuminemia, aumento do 
fibrinogênio diferenciando sempre 
de salmonelose e clostridioses. A US 
vai ajudar confirmar o edema de 
parede, me mostra as 
linfadenopatias e efusões cavitárias, 
podendo ser esse animal levado para 
biopsias retal e duodenal (cuidado 
pq tem muito intestino e pode dar 
falso negativo), exploração cirúrgica 
para coleta de material e por fim 
podemos fazer os testes de absorção 
onde fornecemos glicose e vejo como 
q tá a absorção pela curva glicêmica. 
Tratamento é inespecífico com a 
mudança na dieta, uso de anti-
helmínticos, uso dos corticoides por 
longos períodos e também em 
situações uso de antibióticos e anti-
inflamatórios. 
 
 
 
 
14 
Clínica de Equinos-2021/1 UFMG 
Ana Flávia Sousa Santos

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.