A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Remédios constitucionais

Pré-visualização | Página 2 de 2

governamentais ou de caráter público; 
É NECESSÁRIA A NEGATIVA 
ADMINISTRATIVA! 
Legitimação Ativa: pessoa física, 
brasileira ou estrangeira e pessoa jurídica 
– caráter personalíssimo. 
Legitimidade passiva: Banco de 
dados públicos (CADIN) ou privados de 
natureza pública (SERASA, SPC). 
• Dados Sigilosos: CF inc. 
XXXIII do art. 5º - todos têm direito a 
receber dos órgãos públicos informações 
de seu interesse particular, ou de 
interesse coletivo ou geral, que serão 
prestadas no prazo da lei, sob pena de 
responsabilidade, ressalvadas aquelas 
cujo sigilo seja imprescindível à 
segurança da sociedade e do Estado; 
 
 
Mandado de injunção 
 É um instrumento processual 
constitucional hábil a proporcionar o 
exercício de prerrogativas, direitos e 
liberdades, de cunho constitucional, que 
se mostra inviabilizado pela ausência de 
norma regulamentadora. 
• LXXI - conceder-se-á mandado 
de injunção sempre que a falta de norma 
regulamentadora torne inviável o 
exercício dos direitos e liberdades 
constitucionais e das prerrogativas 
inerentes à nacionalidade, à soberania e 
à cidadania; 
Legitimidade: as pessoas naturais 
ou jurídicas que se afirmam titulares dos 
direitos, das liberdades ou das 
prerrogativas, devido a falta de 
regulamentação de preceito da 
Constituição. 
 
STF - Mandado de injunção 
coletivo 
Pode ser impetrado por partido 
político com representação no 
Congresso Nacional, na defesa de seus 
interesses legítimos relativos a seus 
integrantes ou à finalidade partidária, ou 
por organização sindical, entidade de 
classe ou associação legalmente 
constituída e em funcionamento há, pelo 
menos, 1 (um) ano. 
O art. 5º, LXXIII da CF, prevê 
que qualquer cidadão é parte legítima 
para propor ação popular que vise anular 
ato lesivo ao patrimônio público ou de 
entidade de que o Estado participe, à 
moralidade administrativa, ao meio 
ambiente e ao patrimônio histórico 
cultural. 
Para Hely Lopes Meirelles ação 
popular “é o meio constitucional posto à 
disposição de qualquer cidadão para 
obter a invalidação de atos ou contratos 
administrativos – ou a estes equiparados 
– ilegais e lesivos do patrimônio federal, 
estadual e municipal, ou de suas 
autarquias, entidades paraestatais e 
pessoas jurídicas subvencionadas com 
dinheiros públicos”. 
LEGITIMADOS: 
Cidadão, brasileiro nato ou 
naturalizado, inclusive entre 16 e 18 
anos, e o português equiparado, no gozo 
de seus direitos políticos. 
O cidadão pode ajuizar a ação em 
comarca a qual não resida, onde não 
possua domicílio eleitoral, independente 
de pertencer ou não na comunidade a que 
diga respeito ao litígio. 
- O MP não possui legitimação 
para ingressar com a Ação Popular, no 
entanto, é incumbido de zelar pela 
regularidade do processo e de promover 
a responsabilização civil e criminal dos 
responsáveis pelo ato ilegal. 
GRATUITA, salvo se comprovar 
a má-fé. 
Representado por advogado!!