A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
20 pág.
A RÚSSIA DE IVAN, O TERRÍVEL

Pré-visualização | Página 1 de 2

TEMA:
A RÚSSIA DE IVAN, O TERRÍVEL E CATARINA, A GRANDE;
AUTOR:
ROBSON LUIZ LIMA SANTOS;
FORMAÇÃO:
PÓS-DOUTORADO EM HISTÓRIA SOCIAL PELA USP.
IVAN, O TERRÍVEL:
NASCIMENTO:
25 de agosto de 1.530, em Kolomenskoye, próximo de Moscou;
2) FALECIMENTO:
18 de março de 1.584, em Moscou;
3) PAI:
Vassili III, grão-duque de Moscou;
4) MÃE:
Elena Glinskaya, segunda esposa de Vassili III;
5) GRÃO PRÍNCIPE DE MOSCOU:
De 4 de dezembro de 1.533 (logo após a morte do pai) até 18 de março de 1.584 (data da sua morte);
6) REGÊNCIA:
Elena Gliskaya:
6.1 Período:
1.533 – 1.538 (ano da sua morte, possivelmente envenenada);
7) CONSEQUÊNCIA DA MORTE DE ELENA GLISKAYA:
Uma Duma composta de boiardos governou a Rússia entre 1.538 e 1.547. Houve uma série de lutas e conflitos sanguinários permanentes entre várias facções dos nobres para controlar o Príncipe e o poder.;
8) REINADO:
1.547 – 1.584 (37 anos);
8.1 Sagração:
16 de janeiro de 1.547, na Catedral da Assunção em Moscou, aos 17 anos;
8.2 Títulos:
Czar, do latim Caesar (César), significando Imperador pelos contemporâneos. Ivan foi o primeiro a ser chamado oficialmente de czar da Rússia;
Grão-Príncipe de toda a Rússia;
8.3 Dinastia:
Rurik;
9) CASAMENTO:
Fevereiro de 1.547, com Anastasiya Romanovna, tia avó do primeiro czar da Dinastia Romanov, Mikhail I. Ela era considerada uma moderada; Ivan costumava ouvir os seus conselhos;
10) AUXILIAR DO SEU GOVERNO:
Rada, um Conselho Privado, informal e consultivo, composto por três membros: um sacerdote (Silvestre); Macário, bispo de Moscou, que defendia um Estado cristão baseado nos princípios da justiça e o secretário Alexei Adashev, considerado um moderado que influenciou Ivan. O Conselho acabou no início dos anos 1.560, após a morte de Anastasiya Romanovna e de Macário;
11) ASSEMBLEIA NACIONAL (ZEMSKI SOBOR):
11.1 Convocação :
1.549;
11.2 Função:
Consultiva;
11.3 Composição:
Boiardos;
Clérigos;
Representantes eleitos da nova nobreza de serviço;
12) CRIAÇÃO DE UM NOVO CÓDIGO JURÍDICO PARA O REINO (“SUDIÉBNIK”):
12.1 Data:
1.550;
12.2 Significado:
Esse novo código, mais detalhado, substituiu o de 1.497;
13) ADMINISTRAÇÃO CENTRAL:
Reorganizada em departamentos;
Cada um dos departamentos tinha uma função específica;
14) MÉTODO DE ESCOLHA DOS COMANDANTES DAS FORÇAS ARMADAS:
Passaram a ser nomeados pelo mérito e não em função simplesmente da sua origem nobre;
15) ADMINISTRADORES DISTRITAIS:
Eleitos pela aristocracia local;
16) OBJETIVOS DAS MENCIONADAS REFORMAS:
Limitar os poderes da aristocracia hereditária de príncipes e boiardos;
Atender aos interesses da aristocracia de serviço;
17) CONCÍLIOS
17.1 Datas das Convocações:
1.547 e 1.549;
17.2 Resoluções:
Reforçaram a ortodoxia;
Canonização de vários santos russos;
18) Conquistas e Anexações:
18.1 Canato de Kazã:
Habitado por tártaros, islâmico, banhado pelo Rio Volga, estava sendo atacado desde 1.547, até ser conquistado em 1.552. Após a conquista houve um processo de cristianização forçada;
18.2 Canato de Astrakán:
Estado feudal tártaro, conquistado em 1.556, localizado na região do delta do rio Volga;
18.3 Significado de Ambas as Conquistas:
O Volga passou a ser um rio russo e a navegação para o Mar Cáspio tornou-se segura;
19) Guerra Contra a Livônia, Atual Letônia e Estônia:
19.1 Período:
1.558 – 1.583:
19.2 Motivo:
Saída para o Mar Báltico para ter livre acesso ao comércio com a Europa;
19.3 Início dos Combates:
Vitórias russas contra os cavaleiros da Livônia;
19.4 Papel da Lituânia:
Aliada da Livônia;
Tornou-se parte da Polônia em 1.569 (Comunidade das Duas Nações, extinta em 1.791);
19.5 Ataque dos Tártaros da Criméia:
Atacaram Astracã;
Avançaram sobre o território russo e incendiaram Moscou;
19.6 Ataque Polonês:
Os exércitos poloneses, liderados pela novo monarca Estêvão Bathory, entraram no território russo;
19.7 Vitórias Suecas:
Recuperaram partes da Livônia;
19.8 Armistício com a Polônia:
Data:
15 de janeiro de 1.582;
Termos:
A Rússia perdeu todas as conquistas na Livônia;
19.8 Armistício com a Suécia:
Data:
1.583;
Termos:
A Rússia abandonou as cidades no Golfo da Finlândia;
19.9 Mediação em Ambos os Acordos:
Antônio Possevino, núncio papal, cristão novo da Companhia de Jesus, atendendo ao pedido de Ivan feito ao Papa Gregório XIII;
 20) CONQUISTA DA SIBÉRIA:
Iniciada em 1.581, liderada por Yermark, concluída em 1648 com a chegada ao Estreito de Bering;
21) MOTIVOS DA RADICALIZAÇÃO DE IVAN:
Morte da sua primeira esposa, ocorrida em 1.560;
Deserção de Andrey Kurbsky, um dos seus melhores comandantes, para a Polônia em 1.564;
Derrotas na Livônia;
Traição dos boiardos;
22) INTENÇÃO DE IVAN:
Abdicar;
21.1 Resposta dos Moscovitas Liderados pelo Clero:
Pediu para que ele desistisse da abdicação;
21.2 Condição Imposta por Ivan para Continuar Governando a Rússia:
Tratar os traidores como ele desejasse, ou seja, ele precisava de um poder discricionário;
21.3 Oprichnina:
Em 1.565 começou a governar diretamente cidades e distritos específicos, separados do restante do território, como terra da Coroa;
21.4 Oprichniki:
Um corpo de guarda-costas composto entre 1.000 a 6.000 homens;
21.4.1 Ações da Oprichniki
Atacou, impunemente, todos os que eram considerados inimigos do czar;
Em 1.570 Novgorod foi destruída e milhares dos seus habitantes foram mortos;
Muitos boiardos e outros membros da aristocracia morreram, inclusive executados publicamente;
23) FONTE DE FINANCIAMENTO DA NOVA CORTE E DOS SEUS SERVIDORES:
As receitas dos territórios inseridos na Oprichnina;
24) FIM DA OPRICHNINA:
1.572, incorporada no Zemschina. Um dos motivos alegados do fim da Oprichnina foi o fracasso em defender Moscou do ataque dos tártaros da Criméia;
25) SAÚDE MENTAL DE IVAN:
Ele teria se tornado desconfiado e vingativo?
25.1 Assassinato do Filho Ivan:
Ivan matou seu filho mais velho em 1.581, durante um acesso de raiva;
26) SIGNIFICADO DA ÉPOCA DA OPRICHNINA:
Luta de Ivan contra a nobreza hereditária, que para não perder os seus privilégios resistiu aos seus projetos reformistas;
Tentativa de Ivan criar um Estado altamente centralizado com o intuito de diminuir os poderes econômico e  político dos príncipes e da alta nobreza, que conspiraram várias vezes contra ele;
27) SÍNTESE DO SEU GOVERNO:
Forçou a ligação da Rússia à Europa, política continuada por Pedro I, o Grande;
Enfraqueceu todos os estratos aristocráticos;
Despovoou várias províncias russas;
Centralizou a Rússia administrativa e culturalmente;
28) IMPORTÂNCIA DE IVAN, O TERRÍVEL, PARA A HISTÓRIA DA RÚSSIA:
Mudou a história russa;
Seu legado político e social ainda persiste até os dias atuais;
CATARIANA, A GRANDE:
1) NASCIMENTO E PAIS:
Nasceu em 2 de maio de 1.729 em Stettin, Prússia, norte da atual Polônia. Seu nome era Sofia, o qual foi mudado para Catarina depois de se converter à Igreja Ortodoxa. O pai era um príncipe e governador militar de Stettin, foi um aliado de Frederico II. Sua mãe, Joana Isabel, era duquesa de Holstein-Gottorp;
2) EDUCAÇÃO DURANTE A INFÂNCIA:
Foi educada por duas governantas francesas e teve um tutor para cada área de conhecimento;
3) CASAMENTO:
Casou-se com o Grão-Duque Pedro Ulrico, neto de Pedro, o Grande, herdeiro da Coroa e filho de Ana, irmã de Isabel. Após adotar a religião ortodoxa, ele era luterano, mudou o nome para Pedro Fiodorovithc. Participaram da escolha da noiva a Czarina Isabel e o rei Frederico II da Prússia. O casamento ocorreu em 1.745, mesmo ano em que se converteu à Igreja Ortodoxa;
4) ASCENSÃO AO TRONO:
Após a morte de Isabel, ocorrida em 25 de dezembro de 1.761, Pedro Fiodorovithc, esposo de Catarina, tornou-se czar. Após seis meses no poder foi vítima de um golpe e assassinado. Pedro tinha se aproximado de Frederico II, ambos assinaram um tratado de “Aliança Perpétua”, assinado em 5 de maio de 1.762, sendo que a Rússia havia rompido as relações diplomáticas com a Prússia desde 1.750, além de lutar contra ela durante a Guerra