A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Osteologia Veterinária

Pré-visualização | Página 1 de 1

Osteologia
Anatomia Óssea
● Matriz osteogênica
● Matriz orgânica
● Matriz mineral
● Osteoblastos (osteóide): crescimento/proliferação óssea
● Osteócito: maturação
● Osteoclasto: remodelação óssea – formação do calo ósseo
● Matriz óssea: compacto/esponjoso
Divisão Anatômica
● Diáfise
● EpÍfase
● Linha Epifisária / Fisária / Linha de Crescimento
FRATURA
● Definição = toda solução de continuidade, completa ou incompleta, que
acomete, o osso ou cartilagem.
● Uma fratura é acompanhada por graus variáveis de injúria aos tecidos moles
circunjacentes, inclusive o suprimento sanguíneo.
● O estudo radiográfico das fraturas pode ser solicitado por vários motivos:
o Confirmar o diagnóstico clínico; determinar o foco da lesão
o Visualizar fraturas não detectadas clinicamente; fraturas incompletas
não consegue identificar apenas com palpação
o Demonstrar a posição e a relação entre os fragmentos, permitindo
optar pelo melhor tratamento; quantos fragmentos, tipo de fratura,
linhas de fratura, quantos segmentos fraturados
o Determinar o tempo de fratura.
o Acompanhamento da cicatrização pós: contenção, imobilização,
cirúrgico; para verificação de formação de calos ósseos, contenção
alinhada. Serve como documentação de que o procedimento foi bem
sucedido.
Etiologia da Fratura
● Intrínseca
o Ação muscular cavalos sob grande estresse, exercício
o Patológica : doenças que levem a deficiência de cálcio. Ex: osteoporose,
osteodisfagia , neoplasia osteo-articular, osteomielite
● Extrínseca
o Queda, tiro, chute, briga com outros animais, atropelamento
❖ Classificação da Fratura
● Incompleta
o Não há separação por completo daquele segmento ósseo.
o “Galho Verde” comum em filhotes, osteoporose, desequilíbrio Ca:P.
o Fissura
o Depressão formada a partir conjunto de fissuras
● Completa
o Quando há separação entre dois segmentos distintos.
o Simples única linha de fratura, simples completa.
o Dupla linha de fratura
o Tripla linha de fratura
o Múltipla
obs : isso é o processo de descrição da fratura.
❖ Linha de Fratura
● Transversal transversal referente ao eixo ósseo
● Oblíquo grau de inclinação em relação ao eixo ósseo
● Bisel ou bico de flauta pontiaguda
● Espiral movimento elicoidal
● Cominutiva espirolosa
● Farinácea osso esfarela
● Avulsão mais comum onde tem inserção de ligamentos; cachorro cai da cama
ou pula, esforço excessivo causando deslocamento de patela
Fratura Completa Transversal
Bisel Dupla Linha de Fratura Espiral Transversal
Fratura Completa Condilar
Fratura Completa Compressão :ocorre com frequência na coluna por atropelamento.
Difícil acontecer num osso longo.
❖ Localização:
● Epifisário (proximal/distal)
● Diafisário (proximal/distal)
● Linha metafisária/ Fisária (proximal/distal)
● Condilar
❖ Deslocamento: Se houve ou não. Se não, bordos fraturados se encontrando,
confrontados, se mantem alinhados. Importante informar ao cirurgião para direcionar
o procedimento.
● Acavalgamento/ Cavalgadura: segmento ósseo passa por cima do outro, um
bordo encostando no outro.
● Longitudinal / Encurtamento: fratura leteraliza segmento proximal do
segmento fraturado sem tocar um bordo no outro
● Lateral: laterelizou apenas
● Penetração: o corpo ósseo entra sob o outro. Obliqua e bisel, segmento
pontudo penetra no outro segmento fraturado.
● Angular: fratura completa com desvio do eixo ósseo.
Fraturas Pediátricas CURIOSIDADE
● Tipo I fratura na linha
epifisária, fratura simples
completa transversal
organizada na linha
metafisária distal do fêmur
● Tipo II fratura porção
metafisária e se estende a
linha de crescimento
epifisária.
● Tipo III fratura linha
efisária de crescimento e se
estende a superfície
articular.
● Tipo IV porção metafisária obliqua ou em bisel, se entende a superfície articular
● Tipo V compressão da linha de crescimento
● Tipo VI
Classificação de fraturas infanto juvenil, ainda existe a linha de crescimento
aberta. Mais utilizada na medicina humana.
Complicações:
● Infecção osteomielite, procedimentos cirúrgicos, fratura exposta
● Movimentação do foco da fratura
● Não União – União Retardada não teve tempo hábil para formação de calo
ósseo, calo ósseo de não união após 40,50 dias
● Alterações em tecidos moles
● Fechamento precoce da linha de crescimento trauma no radio e ulna, fará
processo cicatricial mas essa linha vai se fusionar, formando o calo ósseo no
radio e na ulna , só que o osso vai continuar crescendo no sentido longitudinal
quanto forma centrípeta , onde está fusionado não cresce, acarretando em
futuros problemas articulares.
● Alterações articulares provocados por esses procedimentos invasivos (pinos)
O laudo da fratura deve ser feito da seguinte maneira:
Classificação + Linha de Fratura + Localização + Deslocamento
Ex: Fratura simples completa transversal na linha metafisária distal do fêmur
esquerdo com deslocamento cranial e acavalgamento