A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Patologias do Sistema Respiratório

Pré-visualização | Página 1 de 2

31/05
PATOLOGIAS DO SISTEMA RESPIRATÓRIO
I) INTRODUÇÃO
* Vamos ver as principais patologias, lembrando que começa pelas fossas nasais depois tem
todo o trajeto até os pulmões. Percurso: Cavidade nasais -> nasofaringe ->Laringe -> Traqueia
-> Bronquios -> bronquíolos até chegar nos pulmões ( ???).
1) CONSTITUIÇÃO
♦ Fossas nasais
♦ Traquéia
♦ Seios paranasais
♦ Brônquios
♦ Faringe
♦ Pulmões
♦ Laringe
2) FUNÇÕES
♦ Respiração (absorção O2 e eliminação CO2 )
♦ Olfação
♦ Resfriamento corporal
♦ Eliminação de poeira: Vias aéreas superiores (> 10 µm) Árvore traqueobrônquica (2-10 µm)
II) FOSSAS E SEIOS NASAIS
1) ANOMALIAS CONGÊNITAS
A) PALATOSQUISE
* ‘Squise’ significa fenda, Patalosquise é a fenda patalina. É comum em animais de grande
porte e pequeno, normalmente é associado ao ‘Labio leporino’ acontece tanto na gente quanto
nos animais, nos humanos até ocorrer a cirurgia o neném usa uma prótese que tampa o palato.
O grande problema da Palatosquise é você ter falsa via, como o palato duro fica aberto ele ira
ter comunicação com cavidade nasal, então quando ele mandar parte do leite sendo
direcionado aos pulmões, isso irá ocasionar um processo inflamatório por um corpo estranho,
Pneumonia CE (corpo estranho) normalmente o animal irá a óbito. Como faz na veterinária?
Não temos nenhum aparelho parar vedar o palato, fazemos cirurgia para fechar o palato. TTO:
CIRURGICO
♦ Fenda palatina / lábio leporino (queilosquise)
♦ Pneumonia tipo CE
2) DISTÚBIOS CIRCULATÓRIOS
A) HIPEREMIA
*Ira falar mais quando chegar em pulmão, pq quando falamos de sistema respiratório e
hiperemia normalmente está relacionada a ICC. E quando falamos de hiperemia de pulmão,
congestão geralmente é Insuficiência cardíaca ESQUERDA, Hiperemia é o aumento do fluxo de
sangue se a hiperemia for ativa esta relacionada a sangue ARTERIAL que normalmente esta
relacionada a processo inflamatório (liberação de histamina, vasodilatação aumento de fluxo
do sangue arterial.). Se for hiperemia PASSIVA, esta relacionado a sangue VENOSO
principalmente pulmão esta relacionada a ICC ESQUERDA lesão de mitral.
♦ ATIVA - inflamação
♦ PASSIVA - ↓ drenagem venosa - cianose - consequências de lesões cardíacas
B) HEMORRAGIA (EPISTAXE / RINORRAGIA)
* Epistaxe é hemorragia de fossas nasais, tendo assim milhões de causas. Em humanos, pode
ser hipertensão, calor excessivo, ou quaisquer distúrbios da redução dos fatores de coagulação.
Nos animais, deficiência de vitamina K, Erlichiose porque diminui as plaquetas, tem milhões de
causas. Primeiro temos que olhar os sintomas pra depois achar o diagnostico.
♦ Traumatismos (introdução sonda nasogástrica)
♦ Neoplasias invasivas
♦ Deficiência de vitamina K
♦ Distúrbios da coagulação
3) INFLAMAÇÕES⇒ CLASSIFICAÇÃO
A) QUANTO AO AGENTE ETIOLÓGICO
♦ Virótica
♦ Bacteriana
♦ Micótica
♦ Parasitária
♦ Alérgica
B) QUANTO AO EXSUDATO
♦ SEROSA: transparente (infecções virais; alérgicos)
♦ CATARRAL: mucosa; erosão epitelial
♦ PURULENTA: pus
♦ FIBRINOSA: lesão vascular; ulceração mucosa
♦ GRANULOMATOSA: nódulos ou massas (granulomas)
C) QUANTO À EVOLUÇÃO
♦ Aguda
♦ Crônica
D) QUANTO À LOCALIZAÇÃO ANATÔMICA
♦ rinite
♦ faringite
♦ pneumonia
♦ sinusite
♦ traqueíte
♦ laringite
♦ bronquite
E) TÓPICA OU SISTÊMICA
♦ TÓPICA: agressão direta na mucosa - poeiras irritantes; fumaça; CE; parasitas
♦ SISTÊMICA: processos infecciosos generalizados - cinomose # RINOTRAQUEÍTE FELINA #
*A rinotraqueite felina é uma doença ocasionada pelo herpesvirus felino, confundida muito
com calicivirus. Tem sempre infecção secundaria por bactérias, a rinite atrófica dos suínos é o
mesmo processo, uma alteração viral com infecção secundaria e afeta toda a cavidade nasal e
o lado mais afetado faz com que o fucinho do animal fique (ñ entendi), na rinotraqueite vamos
ter destruição do ossos turbinados, um animal com muita secreção ocular (com a destruição
dos ossos turbinados, terá destruição das fossas ocular)e secreção nasal. As amidalas vão estar
aumentadas e com petequias (pontos hemorrágicos), além disso esse animal terá dificuldade
de se alimentar e de respirar.
♦ Herpesvírus felino 1
♦ Agentes secundários: Pasteurella multocida; Bordetella bronchisptica; Streptococcus sp;
Micoplasma sp.
♦ Portador latente → stress; tto esteróides → doença ativa
♦ ACHADOS AP:
- trato respiratório superior e tonsilas
- inflamação serosa → mucopurulenta ou fibrinosa (crônico)
- tonsilas aumentadas, com petéquias
- destruição dos ossos turbinados
- broncopneumonia bacteriana secundária
- corpúsculos de inclusão intranuclear acidófilos (céls epiteliais)
- conjuntivite # CALICIVIROSE FELINA #
♦ Calicivírus felino
*A calicivirose também vai afetar todo sistema respiratório, só que diferente da rinotraqueite
são erosões e ulcerações tanto da língua, quanto no palato. Não terá lesões de amidalas
(tonsilas), normalmente vamos encontrar as vesículas (bolha com liquido), com atrito essas
bolha se rompe, viram erosão e depois ulceras tanto na língua quando no palato, tendo uma
estomatite (ulceração da cavidade oral). Se esse animal for a óbito, na necrose oq chama
atenção é que o pulmão fica com bordas mais avermelhadas.
♦ ACHADOS AP:
- vesículas cav oral e nasal → necrose epitélio → ulceração
- cicatrização lenta
- lesão pulmonar de contorno irregular
- tonalidade roxa-escura → periferia do pulmão (frequência)
- pneumonia intersticial # RINOSPORIDIOSE #
♦ Rinosporiduim seeberi
*A rinosporidiose é comum em locais de agua parada, uma zoonose e antropozoonose. É um
processo crônico, que provoca lesões granulomatosas (granuloma = processo crônico), pode ser
ocasionada por fungos também. Quando temos um corpo estranho, vamos encontrar
infiltrados das células de macrófagos epitelióides, células gigantes multinucleadas parecidas
com a da tuberculose, os microrganismos tem esporângios de membrana dupla que são
arredondas. Quando tivemos células epitioides mononucleadas ao redor dos moo, células
gigantes multinucleadas isso será um granuloma, na macroscópia parece um pólipo (quando
chamamos de pólipo é quando esta dentro da cavidade, quando estas fora chamaram de
papiloma).
* Quando falando ‘ processo granulomatoso’ quando não conseguimos identificar o agente
etiológico, pode por Aspergillus, Penicillium, Criptococose.
♦ incidência: humanos; cães; equinos e ruminantes.
♦ Associado a águas paradas
♦ ACHADOS AP:
- lesões granulomatosas → pólipos mucosa nasal
- pólipos de tec fibroso com muitos MO esféricos
- esporângios de membrana dupla
- infiltrado céls epitelióides; gigantes multinucleadas
- linfócitos
- tecido conjuntivo fibrovascular
# RINITE GRANULOMATOSA #
♦ Aspergillus e Penicillium: cães
♦ Cryptococcus: cães e gatos *Tem que diferenciar de Carcinoma epidermóide, Esporotricose,
quando observamos na microscopia leveduras arredondada.
♦ Animais debilitados
♦ ACHADOS AP:
- superfície nodular ou lesões destrutivas
- agente etiológicos no tecido
4) NEOPLASIAS
♦ ADENOCARCINOMA *Tecido Epitelial
♦ CONDROSSARCOMA *cartilagem
♦ CARCINOMA EPIDERMÓIDE
♦ CONDROSTEOSSARCOMA PATOLOGIAS DO SISTEMA RESPIRATÓRIO *osso
- PULMÕES
I) INTRODUÇÃO
1) CONSTITUIÇÃO
♦ PNEUMÓCITO TIPO I
- protege a superfície alveolar
♦ PNEUMÓCITO TIPO II
- produção de substância surfactante (película insolúvel)
♦ PNEUMÓCIO TIPO III
- função desconhecida
♦ BARREIRA MUCO-CILIAR
- filtração do ar
- partículas maiores: narinas
- tamanho médio: traquéia e brônquios
- pequenas: fagocitadas (MØ alveolares)
♦ POROS INTERALVEOLARES DE KOHN
- comunicação entre alvéolos → circulação colateral
II) ALTERAÇÕES CIRCULATÓRIAS
1) HIPEREMIA
*Se é processo inflamatório, pneumonia. Antracose, criptococose, qualquer agente que
chega no pulmão e é reconhecido com um corpo estranho, irá gerar um processo
inflamatório (pneumonia), o órgão fica hiperemiado tendo liberação de histamina,
vasodilatação e aumento do fluxo arterial (chamamos isso de rubor).
*Quando falamos de congestão será hiperemia