A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Sistema Digestório - Imagem do Abdome II

Pré-visualização | Página 1 de 1

Imagem do Abdome
 
Avaliação da cavidade oral 
Radiografia panorâmica 
 
→ Radiografia panorâmica: ótima avaliação da 
arcada e posicionamento dentário; 
→ 4 dentes centrais da parte superior e inferior: 
corte de alimentos; 
o Dois incisivos laterais; 
o Dois incisivos mediais; 
→ 2 dentes pontiagudos: laceração e 
perfuração de alimentos; 
o 2 caninos; 
→ Molares: mais rombos e relacionados a 
trituração de alimentos. 
o 4 pré-molares; 
o 4 ou 6 molares; 
→ Há presença da coluna cervical nas duas 
extremidades da imagem: 
o Ocorre devido a planificação da 
estrutura arredondada da boca; 
Radiografia panorâmica infantil 
 
Radiografia panorâmica em indivíduo idoso ou 
com tratamento dentário insuficiente 
Tomografia computadorizada 
 
→ A tomografia exerce as mesmas funções da 
radiografia panorâmica, mas traz possibilidade 
de avaliação mais detalhada; 
→ É um avanço tecnológico da radiografia; 
→ Permite melhor planejamento de 
intervenção; 
→ Auxilia a aplicação de próteses, a 
harmonização orofacial, cirurgias plásticas, etc. 
 
→ Em verde a estrutura de passagem do nervo 
alveolar, importante de ser localizado para 
evitar danos na intervenção; 
Avaliação do esôfago 
Esofagograma 
 
→ É uma radiografia, portanto é simples e 
barato; 
→ Há uso obrigatório de contraste (bário), por 
ser um tecido mole; 
→ Demonstra a parte anatômica do esôfago; 
→ Na imagem mais à esquerda é a imagem de 
um bebê, com suas constrições esofágicas 
(nesse caso, em excesso); 
 
→ É possível filmar o esôfago no processo de 
deglutição e peristalse – chamado de 
deglutograma; 
→ Utiliza-se fluoroscopia, mesma estratégia de 
avaliação vascular; 
→ Pode aparecer em escala de cores invertida; 
Avaliação do estômago 
Radiografia contrastada 
 
→ Após o esofagograma, aproveitando-se do 
contraste já deglutido, é possível fazer a 
avaliação radiográfica do estômago; 
→ No entanto, essa avaliação ainda é muito 
simplória e rudimentar; 
Tomografia Computadorizada 
 
→ Avaliação mais rápida e detalhada; 
→ Estômago aparece entre fígado e baço; 
→ O estômago pode aparecer em contraste ou 
não, e em diversos formatos; 
 
Estômago com água 
Ressonância magnética 
 
→ Na ressonância o estômago se localiza, 
também, entre fígado e baço; 
→ Nesta imagem, apresenta-se vazio; 
Cintilografia estomacal 
 
→ Paciente ingere material radioativo; 
→ É preciso um referencial, nesse caso a boca 
está para cima; 
→ Serve para avaliação de refluxo 
gastroesofágico; 
o No entanto, a endoscopia é mais 
indicada; 
→ Nessa imagem é possível notar refluxo em 
direção à boca; 
Avaliação do intestino delgado 
 
→ A avaliação do intestino delgado é também 
chamada de enterografia; 
→ Quanto a porção de absorção, o duodeno 
possui análise mais complexa; 
o Por ora, há foco no jejuno e íleo; 
 
Tomografia computadorizada 
→ A rapidez da tomografia possibilita análise 
com alta riqueza de detalhes, afinal o tubo 
digestório está em constante movimento; 
→ Permite alta resolução e análise da anatomia 
com detalhes; 
→ O que diferencia jejuno de íleo não é 
necessariamente a posição, mas sim as 
pregas presentes em suas camadas internas: 
o O íleo é bem mais liso que o jejuno; 
 
→ É possível ver o jejuno, mais pregueado, na 
primeira imagem. 
→ Na segunda imagem é possível ver o íleo 
mais inferior e liso e o jejuno na porção 
superior direita; 
Ressonância magnética 
 
→ Na ressonância magnética é possível 
distinguir o íleo e jejuno por grau de 
enrugamento, mas com menos riqueza de 
detalhes; 
→ A ressonância é um pouco mais lenta e pode 
sofrer interferência com os movimentos 
peristálticos, no entanto é possível filmar; 
Avaliação do intestino grosso 
Enema 
 
→ Exame de radiografia rápido e ainda muito 
utilizado; 
→ É preciso utilizar contraste retal, através de 
sonda endorretal; 
 
 
→ Acima, imagens em AP e PA em tempos 
distintos; 
→ É possível visualiza colo ascendente, curva 
para o colo transverso (flexura hepática), o 
colo transverso, a curva para o colo 
descendente (flexura esplênica), o colo 
descendente, o colo sigmoide e reto; 
→ Avaliação muito anatômica, bom para 
avaliações rápidas; 
 
→ O colo transverso pode apresentar 
curvaturas – variação anatômica; 
Tomografia computadorizada 
 
Reformatações tridimensionais; 
 
Imagem em janela de partes moles; 
→ É possível visualizar os gases no intestino 
grosso; 
→ Nessa imagem o indivíduo apresenta tumor 
intestinal; 
 
→ Nessa imagem o paciente está saudável; 
 
→ Permite colonoscopia virtual, onde todo o 
aparelho intestinal pode ser visitado sem 
utilização de sonda; 
Avaliação do ânus 
Defecografia 
 
→ Descrição do processo de evacuação do 
paciente; 
→ É uma radiografia 
→ Paciente deve estar sentado sobre penico, 
canal retal é preenchido com contraste 
concentrado (a base de bário) e as imagens 
são feitas durante defecação; 
→ Possibilita análise de indivíduos que possuem 
dificuldades no ato da defecação: 
o Indivíduos que projetam o canal retal 
para fora, o que leva à eliminação de 
pouca quantidade de fezes; 
o Incontinência fecal: é solicitada 
contrição do esfíncter anal, para 
avaliar estrangulamento das fezes; 
 
Ressonância magnética 
 
→ Defecorressonância ou ressonância do 
assoalho pélvico; 
→ Canal retal é preenchido por gel retal; 
→ É solicitado que o paciente faça o esforço da 
evacuação; 
→ Na segunda imagem, paciente faz projeção 
do reto e não há saída do gel – enterocele 
e retocele; 
o Reflete enfraquecimento do assoalho 
pélvico.