A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
20 pág.
exercícios CONGRESSO DE VIENA ERA NAPOLEÔNICA COMUNA DE PARIS

Pré-visualização | Página 2 de 6

A principal característica do Império Austro-Húngaro, no início do século XX, era a articulação entre 
diversas nacionalidades através de um democrático regime parlamentarista inspirado na experiência 
inglesa. 
b) O Império Austro-Húngaro constituiu-se como reação nacionalista à ofensiva do Império napoleônico, 
que procurou incorporar antigos domínios dos Habsburgos e do Sacro Império Romano-Germânico. 
c) A inabilidade política em lidar com as minorias foram fatores importantes no agravamento das tensões 
que desembocaram na fragmentação e colapso do Império Austro-Húngaro em 1918. 
d) A indiscutível maioria eslava levou o Império Austro-Húngaro a articular-se com Rússia e Inglaterra na 
formação da Tríplice Entente, que combateria alemães, italianos e franceses durante a Primeira Guerra 
Mundial. 
e) Apesar da heterogeneidade da constituição do Império Austro-Húngaro, a questão das nacionalidades 
não se revelou relevante no contexto da Primeira Guerra Mundial. 
 
11. (Fgv 2013) Restauração é o nome do regime estabelecido na França durante quinze anos, de 1815 a 
1830, mas essa denominação convém a toda a Europa. Ela é múltipla e se aplica a todos os aspectos da 
vida social e política. 
(René Rémond, O século XIX: introdução à história do nosso tempo) 
 
Reconhece-se a Restauração no processo que 
a) restituiu o poder aos monarcas europeus alinhados a Napoleão Bonaparte, provocando a 
generalização da contrarrevolução na América colonial, que havia sido varrida pelas independências 
nacionais. 
 
 
VICTOR RYSOVAS DEZDEHISTORIA.COM.BR 
@DEZDEHISTORIA 6 
 
b) alçou a Inglaterra à condição da nação mais poderosa do mundo, com capacidade de reverter a 
proibição do tráfico de escravos africanos para a América e de defender a recolonização de espaços 
coloniais espanhóis americanos. 
c) restabeleceu as bases do sistema colonial na América e na Ásia, com a recriação de companhias de 
comércio marcadas pela rigidez metropolitana, além da prática do “mar fechado” e do porto único. 
d) permitiu a volta das antigas dinastias ao poder, que o haviam perdido com as guerras napoleônicas, e 
que criou a Santa Aliança, nascida com o intuito de reprimir movimentos revolucionários. 
e) ampliou os direitos trabalhistas em toda a Europa, condição que provocou as revoluções de 1820 e 
1830, eventos fundamentais para a retomada dos valores políticos anteriores à Revolução Francesa. 
 
12. (Ufrgs 2013) Em 1815, foi encerrado o Congresso de Viena que tinha como propósito reorganizar o mapa político 
da Europa. 
 
A respeito desse Congresso, considere as seguintes afirmações. 
 
I. Foi realizado após a derrota de Napoleão Bonaparte, que havia alterado o equilíbrio de forças na Europa. 
II. Resultou na formação da Santa Aliança para coibir qualquer tentativa de revolução liberal. 
III. Garantiu a Portugal e Espanha ganhos territoriais na Europa, por terem lutado contra as forças napoleônicas. 
 
Quais estão corretas? 
a) Apenas I. 
b) Apenas II. 
c) Apenas I e II. 
d) Apenas l e III. 
e) I,II e III. 
 
13. (Fuvest 2013) As guerras napoleônicas, entre o final do século XVIII e as primeiras décadas do século XIX, 
tiveram consequências diretas muito importantes para diversas regiões do mundo. Mencione e explique uma delas, 
relativa 
a) ao leste da Europa; 
b) ao continente americano. 
 
14. (Enem PPL 2013) Sou um partidário da Comuna de Paris, que, por ter sido massacrada, sufocada no 
sangue pelos carrascos da reação monárquica e clerical, tornou-se ainda mais viva, mais poderosa na 
imaginação e no coração do proletariado da Europa; sou seu partidário sobretudo porque ela foi uma 
negação audaciosa, bem pronunciada, do Estado. 
 
BAKUNIN, M. apud SAMIS, A. Negras tormentas: o federalismo e o internacionalismo na Comuna de Paris. 
São Paulo: Hedra, 2011. 
 
 
VICTOR RYSOVAS DEZDEHISTORIA.COM.BR 
@DEZDEHISTORIA 7 
 
 
A Comuna de Paris despertou a reação dos setores sociais mencionados no texto, porque 
a) instituiu a participação política direta do povo. 
b) consagrou o princípio do sufrágio universal. 
c) encerrou o período de estabilidade política europeia. 
d) simbolizou a vitória do ideário marxista. 
e) representou a retomada dos valores do liberalismo. 
 
15. (Pucrj 2012) Surpreendidas pela invasão napoleônica em 1807, as duas Coroas ibéricas tiveram 
desdobramentos políticos diferenciados. No caso espanhol, a captura do Rei Fernando VII por Napoleão 
acelerou a luta pela autonomia nas cidades e províncias de todo o Império. No caso português, a 
transmigração da família real para a colônia permitiu desdobramentos mais lentos ao Império luso. 
 
Tendo em vista a conjuntura descrita acima, 
a) cite duas medidas tomadas pelo Príncipe Regente D. João, a partir de 1808, que tenham favorecido a 
manutenção do controle português sobre as províncias brasílicas e seus territórios; 
b) identifique uma característica das independências na América hispânica também encontrada nos 
movimentos pela independência ocorridos na América portuguesa. 
 
16. (Ueg 2012) Em 1804, Napoleão Bonaparte recebeu o título de Imperador, mediante um plebiscito. Durante sua 
cerimônia de coroação, ele retirou do Papa a coroa e colocou-a em sua cabeça com as próprias mãos. Esse gesto 
ousado representou 
a) o rompimento entre a Igreja Católica Romana e o novo Estado Revolucionário Francês. 
b) que Napoleão estava assumindo todas as responsabilidades do Poder Moderador na França. 
c) que Napoleão, símbolo máximo da força da burguesia, considerava-se mais importante que a tradição 
da Igreja. 
d) a criação de uma religião de Estado, tendo como figura central o Imperador, a exemplo do 
Anglicanismo inglês. 
 
17. (Ufu 2012) Texto 1 
 
Depois que o Estado ficou em estado de orfandade política devido à ausência e prisão de Fernando VII, os povos 
reassumiram o poder soberano. Ainda que seja verdade que a nação havia transmitido esse poder aos reis, sempre 
foi com um caráter reversível, não somente no caso de uma deficiência total, mas também no de uma deficiência 
momentânea e parcial. 
 
 
 
VICTOR RYSOVAS DEZDEHISTORIA.COM.BR 
@DEZDEHISTORIA 8 
 
Fragmento do Regulamento da Divisão de Poderes, Buenos Aires, 1811. Apud PAMPLONA, Marco A. e MÄDER, 
Maria Elisa (orgs.). Revoluções de independências e nacionalismos nas Américas. Região do Prata e do Chile. São 
Paulo: Paz e Terra, 2007, p. 251. 
 
Texto 2 
 
Para sustentar a escravidão dos povos, não têm outro recurso que transformar em mérito o orgulho de seus 
sequazes e cobri-los de distinções que criam uma distância imensa entre o infeliz escravo e seu pretendido senhor. 
Essa é a origem dos títulos de condes, marqueses, barões, etc., que a corte da Espanha prodigalizava para duplicar 
o peso de seu cetro de ferro que gravitava sobre a inocente América. Longe de nós tão execráveis e odiosas 
preeminências; um povo livre não pode ver brilhar o vício diante da virtude. Estas considerações estimularam a 
Assembleia a expedir a seguinte LEI: 
A Assembleia Geral ordena a extinção de todos os títulos de condes, marqueses e barões no território das Províncias 
Unidas do Rio da Prata. 
 
O redator da Assembleia, n. 9. 29 de maio de 1813. In. PAMPLONA, Marco Antônio e MÄDER, Maria Elisa (orgs.). 
Revoluções de independências e nacionalismos nas Américas; regiões do Rio da Prata e Chile. São Paulo: Paz e 
Terra, 2007, p.110. (Adaptado) 
 
Os textos apontam para ânimos distintos relativos ao processo de independência na América espanhola. 
 
a) Explique o contexto histórico europeu relacionado ao início do processo revolucionário na América espanhola. 
b) Identifique as mudanças no processo de independência do Rio da Prata a partir dos documentos acima 
apresentados. 
 
18. (Cesgranrio 2011) Na caricatura, os vencedores de Napoleão – o rei da Inglaterra, o rei da Prússia, o 
czar da Rússia e o imperador austríaco – se preparam para dividir um patê, que