A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Terapia Cognitivo-Comportamental - part 1

Pré-visualização | Página 1 de 1

→ Aaron Temkin Beck (1921) é um psiquiatra norte-
americano, que desenvolveu uma forma de 
psicoterapia no início da década de 1960, denominada 
originalmente “terapia cognitiva”. 
 
→ Beck é considerado o pai da Terapia Cognitiva, pois 
foi quem estruturou a TCC para tratar os sintomas da 
depressão. 
 
→ O termo “terapia cognitiva” hoje é usado como 
sinônimo de “terapia cognitivo-comportamental”. 
 
→ A TCC é formada por características de outros 
ramos da psicologia, sobretudo da comportamental e 
da cognitiva. 
 
→ A Terapia Cognitivo–Comportamental (TCC) tem 
suas origens na filosofia, especialmente com os 
“filósofos estoicos” (filosofia grega que se propôs a 
discutir o papel das emoções e dos sentimentos na 
vida, reforçando a separação entre razão e emoção). 
 
→ A ideia de que a lógica poderia ser aplicada para 
desmistificar crenças falsas e pensamentos ilusórios 
que levavam as pessoas a construírem emoções 
prejudiciais ou negativas, influenciou no modo como a 
TCC reconhece os distúrbios psicológicos. 
 
 
→ Seu embasamento prático esta no modo em como 
as emoções, pensamentos e consequentemente os 
comportamentos impactam na vida das pessoas. 
 
→ O objetivo terapêutico da TC tem sido reestruturar 
e corrigir esses pensamentos distorcidos e 
colaborativamente desenvolver soluções pragmáticas 
para produzir mudanças e melhorar transtornos 
emocionais. 
 
→ A TCC parte daquilo que é observável, dos 
sintomas, das manifestações pessoais. 
 
→ Segundo Beck, os transtornos mentais, 
especialmente a depressão, são causados devido ao 
pensamento automático ser negativo, que trazem 
visões negativas e irreais para a mente. 
 
→ Os terapeutas cognitivos trabalham em um nível 
mais profundo de cognição: 
 
 As crenças básicas do indivíduo sobre si 
mesmo; 
 Sobre seu mundo; 
 Sobre outras pessoas. 
 
→ O modelo cognitivo propõe que o pensamento 
disfuncional é comum a todos os transtornos 
psicológicos, mas quando as pessoas aprendem a 
avaliar esses pensamentos de forma mais realista e 
adaptativa, elas obtêm uma melhora em seu estado 
emocional e no comportamento. 
 
→ A TCC busca tratar os sintomas atuais do sujeito, 
analisando e auxiliando-o a perceber a relação entre o 
que de fato acontece e o modo como interpreta e 
transfere para a vida social. 
 
 
 
 
Jéssica Alves - Psicologia 
 
 
Ex.: Ao subestimar suas habilidades, pode ser que o 
sujeito tenha uma crença subjacente de 
incompetência. 
 
↪ A modificação dessa crença pode alterar a 
percepção do sujeito em situações 
específicas em que cometa erros, não 
generalizando este pensamento aos outros 
campos da vida. 
 
 
 
→ Pode-se destacar dois movimentos básicos das 
técnicas que podem ser utilizadas nesse tipo de 
terapia: 
 Diagnóstico: coleta de informações sobre o 
sujeito (dados pessoais, objetivos de vida, 
traços da rotina) e sondagem dos sintomas. 
 Análise do problema: identificação dos 
comportamentos prejudiciais e delimitação da 
melhor forma de tratamento. 
 
→ É uma psicoterapia: 
 Estruturada 
 De curta duração 
 Voltada para o presente 
 Direcionada para a solução de problemas 
atuais 
 Consiste na modificação de pensamentos e 
comportamentos disfuncionais. 
 
 
→ A Escala de Depressão de Beck (BDI) está na lista 
dos instrumentos que mais são empregados no 
diagnóstico de sintomas relacionados à depressão. 
 
→ São utilizados diversos outros instrumentos para 
que o indivíduo seja levado à refletir sobre a 
qualificação de seus pensamentos automáticos, 
variações de humor e comportamentos. 
 
→ O tratamento de um transtorno específico é 
baseado na conceituação ou compreensão de cada 
sujeito e em uma formulação cognitiva, sobre as 
crenças e estratégias comportamentais que o 
caracterizam. 
 
→ O terapeuta auxilia o indivíduo a identificar tais 
ações em seu dia a dia, para que consciente disso, o 
próprio paciente possa iniciar um processo de 
mudança cognitiva - modificação no pensamento e 
sistema de crenças - para produzir mudanças na 
forma como percebe os fenômenos e como isso 
impacta em sua vida. 
 
 
 
 
 
 
 
Referência 
BECK, J. S. Terapia Cognitiva-Comportamental: teoria 
e prática. Ed. Porto Alegre. Artmed, 2013.